Home  >  Carreira

13 mulheres líderes para acompanhar no LinkedIn

Temas como empoderamento, igualdade de gênero, diversidade, carreira, educação e tendências de TI são abordados por algumas dessas líderes

Tatiana Olaya

07/03/2019 às 8h15

Foto: Shutterstock

O LinkedIn é uma das redes sociais mais usadas pelos profissionais. Até março de 2018, a rede contava com 500 milhões de usuários em 200 países – 45 milhões são brasileiros. Diariamente, encontra-se por ali conteúdo dos mais diversos temas de negócios, tendências, política, economia, cultura organizacional, gestão de talento humano e futuro da humanidade. Pelo visto, a rede consegue reunir em uma plataforma um grande número de especialistas das diferentes áreas.

A plataforma tem facilitado significativamente a troca de conhecimento, experiências e planos entre profissionais dos diferentes segmentos, quebrando fronteiras geográficas. O LinkedIn redefiniu o conceito de networking no mundo inteiro, especialmente entre as novas gerações.

Não é segredo que as lideranças dos diferentes segmentos expressam suas opiniões em assuntos de economia, diversidade, comunicação, carreira etc. Entre toda essa produção de conhecimento, encontram-se uma ampla quantidade de executivas que fazem a diferença. Confira algumas das líderes que revolucionam a indústria de TI tanto no Brasil como no mundo.

Brasil

Camila Achutti, CEO e cofundadora da Mastertech

A empreendedora autodenominou-se como “Youthquake”, uma vez que com sua juventude e conhecimento revolucionam a indústria de TI. Camila é referência mundial na luta por mais mulheres na tecnologia e letramento tecnológico. Conquistou o prêmio Women of Vision 2015 sendo a primeira estudante latina a receber tal honra. Fundadora do blog Mulheres na Computação, falou em um TEDx num estádio de futebol e viajou o Brasil ensinando mais de 15 mil jovens a criar aplicativos na Amazônia e em comunidades do Rio de Janeiro.

No LinkedIn de Camila você encontra textos relacionados a empreendedorismo, análise do cenário de startups, tendências de TI, reviews de eventos, carreira e movimento youtquake.

Paula Bellizia, vice-presidente de Vendas, Marketing e Operações Latam da Microsoft

Paula possui mais de 23 anos de experiência no mercado. Ela começou sua carreira em Marketing na Whirlpool em 1992 e depois de sete anos foi para a Telefônica como gerente de Grupo de Produtos. Paula deixou a Telefônica em 2002 para iniciar sua trajetória na Microsoft como gerente de Vendas para Pequenas e Médias Empresas. Em seus dez anos na Microsoft, ocupou diferentes posições, sendo a última a de presidente da empresa no Brasil. Recentemente, foi promovida a vice-presidente de Vendas, Marketing e Operações Latam da Microsoft.

A executiva toca uma ampla variedade de temas como liderança, tecnologia como instrumento de inclusão, tendências do mercado e o cenário do Brasil no digital.

Patricia Peck, head de digital do escritório Pires & Gonçalves Advogados Associados

Patricia conta com uma ampla experiência no direito digital, tecnologia, inovação, cibersegurança, compliance, negócios on-line e contratos digitais. A executiva possui mais de 20 anos de experiência na área de serviços industriais. Em 2018, foi reconhecida entre o seleto grupo de influenciadores LinkedIn Top Voices no Brasil, por conta das suas contribuições para a indústria de TI nacional e internacional.

No LinkedIn da especialista em direto digital, há artigos relacionados a privacidade de dados, inteligência artificial, ética e tecnologia, analisados desde uma perspectiva jurídica.

Maitê Lourenço, fundadora do BlackRocks Startups

A executiva é especializada em Neuropsicologia pelo Centro de Diagnóstico Neuropsicológico (CDN) na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Psicóloga, com atuação de mais de 12 anos nas áreas de Gestão de Carreira, Outplacement, Assessment, Orientação Profissional, Treinamento e desenvolvimento em empresas de médio e grande portecomo consultora de Inclusão de Pessoas com Deficiência – Instituto Aprender, Catho, Santander, Work Telemarketing, EMS, Elétrica PJ e Itaú.

Maitê fala sobre diversidade, empreendedorismo, como o cenário está mudando para as pessoas afro, empoderamento e algumas das suas experiências do dia a dia na trajetória com a BlackRocks, aceleradora de startups voltado para os negros. Certamente, a executiva se move pelos objetivos de desenvolvimento sustentável e pode-se considerar seu trabalho como uma ponte para atingir alguns dos objetivos relacionados à inclusão e empoderamento das mulheres.

Lisiane Lemos, especialista em soluções da Microsoft Brasil

Lisiane foi reconhecida em 2017 pela revista Forbes Brasil como uma das 91 jovens abaixo de 30 anos que fazem a diferença no Brasil por conta das atividades relacionadas à inclusão e diversidade que liderou no ambiente corporativo. No mesmo ano, Lisiane levou essa experiência para o palco do TEDx Floripa.

Na área, a executiva destaca-se pela ampla expertise na área comercial B2B, englobando planejamento e prospecção de novos negócios e análises de mercado. Em seu feed, encontram-se reflexões sobre diversidade, racismo, carreira em TI, desenvolvimento de habilidades e empatia.

Christiane Silva Pinto, recrutadora do Google Brasil

Cristiane é reconhecida como fundadora do comitê AfroGooglers, espaço que zela pelos diretos e inclusão de pessoas afro no Google Brasil. A executiva que conta com formação em jornalismo está mudando a dinâmica de um dos maiores players de TI, tornando-a mais diversa e inclusiva, promovendo iniciativas internas e externas que estão abrindo as portas para as mulheres afro no Brasil.

No mundo

Melinda Gates, copresidente da fundação Bill & Melinda Gates

Melissa é uma das executivas mais famosas do mundo, uma vez que tem executado ações para promover a luta pela igualdade de gênero por meio da fundação Bill & Melinda Gates há quase 20 anos. Ela também atuou no início da sua carreira na Microsoft, fundada e ex-presidida por Bill Gates, seu marido.

Em seu LinkedIn encontram-se recomendações de livros, reflexões sobre empoderamento feminino, igualdade e justiça social e desenvolvimento humano.

Aruna Ravichandran, vice-presidente global de marketing e CMO da Cisco

Aruna tem passagem por grandes players da indústria de TI como IBM, Hewlett Packard (HP) e CA Technologies. Atualmente, a executiva atua na Cisco como vice-presidente global. Formada em ciências da computação pelo Instituto de Tecnologia de Bangalore, mestre em engenharia da computação e MBA em Administração e Marketing, Aruna conta com uma trajetória de mais de 20 anos na indústria de TI.

A executiva também participou de publicações impressas, em livros que tratam sobre metodologias de aceleração DevOps. Suas contribuições se encontram nos títulos: DevOps para Líderes Digitais: alavanque seu negócio com uma moderna fábrica de software ativada para DevOps e The Kitty Hawk Venture: um romance sobre testes contínuos em DevOps para apoiar a entrega contínua e o sucesso nos negócios (em tradução livre).

Entre os temas abordados no seu feed, encontram-se tendências em TI, DevOps, inteligência artificial (AI), análise de dados, blockchain e reflexões sobre outras tendências que norteiam o futuro da indústria.

Krystal Choo, CEO & cofundadora da Tickle

A empreendedora foi reconhecida desde 2015 até 2018 como influenciadora pelo LinkedIn Top Voice em Cingapura, na categoria CEO, ganhadora do prêmio 50 mulheres líderes da Ásia eduas vezes palestrantes de TEDx. Ela se considera experiente em duas vertentes: estratégia e cair e se levantar, pelo menos é isso que demostra sua trajetória de empreendedorismo. Seu objetivo é conectar as pessoas por meio da tecnologia.

Alguns dos temas abordados por Krystal são empreendedorismo na TI, diversidade, marketing, uso da TI para criação de comunidades, igualdade de gênero e liderança.

Joy Buolamwini, pesquisadora e membro do conselho do Instituto de Tecnologia da Georgia

Cientista de formação, Joy foi reconhecida como uma das 30 Under 30 pela Forbes na categoria tecnologia empresarial, Top 50 das mulheres da TI, homenageada pelo MIT Tech entre os 35 com menos de 25 em 2018. Os reconhecimentos da executiva não param por aí. Sua trajetória é marcada por passagens pelo Yahoo!, Universidade de Harvard e MIT.

Joy acredita que a tecnologia é essencial para uma transformação social bem-sucedida, sua pesquisa analisa a interseção entre impacto social da tecnologia e inclusão. Entre os tópicos abordados por ela estão inteligência artificial, analise de dados, computação e impacto social.

Sarah Clatterbuck, diretora de engenharia do Google

A executiva norte-americana tem uma vasta trajetória na indústria de TI. Sua carreira está marcada por passagens em gigantes da indústria como Apple, Yahoo! e LinkedIn. Formada em publicidade com mestrado em ciências da informação, Sarah gerenciou equipes dos mais diversos tamanhos, incluindo até mais de 250 colaboradores sob sua gestão. Ao longo da sua carreira, a executiva tem objetivado aprimorar a construção de produtos para atender pessoas com desafios físicos ou cognitivos

Recentemente, foi reconhecida pela Forbes como uma das 50 mulheres norte-americanas mais influentes na TI. No LinkedIn de Sarah encontram-se posts sobre inclusão de mulheres na TI, avaliações sobre eventos da indústria, reflexões sobre carreira e desenvolvimento humano.

Monique Morrow, presidente da fundação VETRI

A executiva suíça atuou durante 17 anos como Chief Tecnhlogy Officer (CTO) e evangelista na Cisco, liderando projetos de pesquisa que articularam economia e tecnologia. Hoje, dedica-se a mostrar como a tecnologia blockchain apresenta um novo mundo de possibilidades para a humanidade por meio da fundação Humanized Internet.

Entre os múltiplos reconhecimentos que já conquistou ao longo da sua trajetória, destacam-se sua participação como TEDx speaker e parte da lista das 50 mulheres mais influentes da TI no mundo em 2018, levantamento feito pela Forbes. Em seu feed, encontram-se vários artigos sobre aplicabilidade do blockchain para gerar impacto social, desenvolvimento de equipes e humanização da TI.

 Reshma Saujani, fundadora e CEO do Girls who code

Nomeada para concorrer ao prêmio Booking.com Technology Playmaker Awards na categoria mulher inspiração na TI, Reshma é fundadora do Girls who code (garotas que programam, em tradução livre), organização sem fins de lucro que visa reduzir a brecha de gênero na tecnologia ensinando garotas a programar está revolucionando a indústria de TI.

Reshma conta com uma trajetória bem diversa, uma vez que começou sua carreira na área do direito. Logo passou a atuar na política norte-americana, e hoje está completamente dedicada a Girls who code, além de palestrar sobre empoderamento feminino em diferentes eventos, como o TEDx.

No seu feed, se encontram vários artigos sobre igualdade de gênero, carreira, desenvolvimento de soft skillks e algumas novidades sobre gadgets úteis para o dia a dia.