Home  >  Carreira

Simpress investe na contratação de pessoas com deficiência

Empresa contratou uma consultoria que forneceu treinamentos para a liderança da companhia

Simpress (Via Envie seu Release)

01/03/2019 às 15h03

Foto: Shutterstock

Segundo o Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Brasil há mais de 45 milhões de Pessoas com Deficiência (PCDs) - este número representa 24% da população. No mercado de trabalho, a realidade é complexa: apenas 0,9% de profissionais com deficiência têm carteira assinada. Atualmente, a lei vigente no país determina que as companhias com mais de 100 funcionários reservem de 2% a 5% de vagas para PCDs.

Embora o percentual destes profissionais no mercado de trabalho ainda seja baixo, este cenário apresentou mudança nos últimos anos. Isso porque as empresas contam com novas políticas de contratação que incentivam a candidatura de pessoas com deficiência a todos os tipos de cargos.

Acima da obrigação legal, a Simpress, empresa que promove o outsourcing de equipamentos e soluções, vem investindo na contratação desses profissionais. ‘’Muitas pessoas capacitadas perdem oportunidades porque as empresas não conseguem enxergar além da sua deficiência. Na Simpress, todos têm as mesmas chances de crescimento. Hoje contamos com Pessoas com Deficiência em posições estratégicas para a empresa’’, afirma Daniela Santos, gerente de Recursos Humanos da Simpress.

Pensando na conscientização dos seus funcionários sobre o tema, a Simpress contratou uma consultoria que forneceu treinamentos para a liderança da empresa. Além desta ação, a matriz da Simpress, em São Paulo, ganhou recentemente um novo endereço, mais moderno e acessível.

A mudança faz parte do processo de conscientização que a empresa desenvolveu no último ano. ‘’É muito bom ver que as empresas estão se transformando, pensando no próximo e dando oportunidades igualitárias para todos. Estar a frente desse processo faz com que eu ajude na visão do funcionário com deficiência e abre um caminho para que nenhum outro colaborador olhe para nós com algum tipo de receio ou preconceito. Além de ajudar a tornar a empresa um local mais diversificado e colaborativo’’, conta Amanda Abreu, analista de Recursos Humanos, portadora de Mielo, uma malformação congênita nos membros inferiores.

Há três meses na área de Recursos Humanos na Simpress, Amanda conta que estar a frente desse processo é muito desafiador. Ela afirma que é muito importante que todos os funcionários tenham conhecimento sobre acessibilidade. ‘’O maior objetivo é entender as necessidades dos colaboradores e fazer disso algo bom para que eles implementem a cultura da diversidade.’’ Ela é responsável pelas ações de sensibilização com os colaboradores e a comunicação sobre o que é ser um PCD, seus direitos e deveres para todos da empresa.

Sua primeira experiência foi como jovem aprendiz. ‘’Sempre fui muito independente e quando fiz 17 anos me inscrevi em um processo seletivo para saber como me sairia. Fui aprovada e fiquei super animada, estudava de manhã e trabalhava no período da tarde’’, relata.

Processo seletivo igualitário

Na Simpress, os processos seletivos são feitos de acordo com o cargo que o candidato está concorrendo e não existem vantagens para Pessoas com Deficiência, as etapas e os processos são os mesmos para todos. ‘’A nossa única preocupação é cuidar para que a acessibilidade seja garantida em todas as fases, desde o momento da candidatura até a sua aprovação. É importante entender qual é a deficiência do candidato porque quando o convidamos para a entrevista, precisamos saber se ele possui alguma necessidade diferenciada do que se refere à acessibilidade. Em alguns casos, é preciso adaptar testes, formulários de inscrição, aparelhos digitais, piso tátil e avisos sonoros, por exemplo.’’, completa Daniela.

Com a Amanda foi assim, a primeira entrevista dela foi remota, prática cada vez mais adotada pelas empresas, mas apenas por uma questão de logística. ‘’Apesar do meu acesso a empresa ser fácil, eu não moro tão próxima. Não encarei a entrevista por vídeo como um tratamento especial, pelo contrário, além da questão de praticidade, mostra que a empresa está acompanhando a modernização do mercado’’, afirma.

Com a campanha de inclusão, a Simpress tem como objetivo dar autonomia ao funcionário e manter a equidade entre os colaboradores. ‘’Em ambientes de trabalho cada vez mais autônomos e desafiadores, oferecer aos nossos funcionários informações claras e objetivas sobre o colega com deficiência é o mínimo que podemos fazer para manter os profissionais mais humanos e responsáveis’’, completa Daniela.

Para saber mais e se inscrever nos processos seletivos da empresa, clique aqui.

Tags