Home  >  Negócios

IaaS: mercado global chega a US$ 80 bi e AWS mantém liderança disparada

Microsoft Azure e Google Cloud registram forte crescimento e vêm logo atrás no ranking de market share

Da Redação

25/02/2019 às 11h27

Foto: Shutterstock

O mercado global de infraestrutura de nuvem como serviço (IaaS) teve outro trimestre forte no quarto trimestre de 2018, com os gastos crescendo 46%, para quase US $ 23 bilhões - o gasto total em 2018 ultrapassou a casa dos US$ 80 bilhões, bem acima dos US $ 55 bilhões faturados 2017, de acordo com dados da empresa de pesquisas Canalys.

A Amazon Web Services (AWS) permanece como líder do mercado, com sua parcela de gastos de cliente inalterada em 32%. O Microsoft Azure aumentou sua participação para 16%, contra 14% no mesmo período do ano passado. E a Google Cloud atingiu 9% pela primeira vez, enquanto o Alibaba Cloud manteve sua participação de 4%. IBM, Salesforce, Oracle,  NTT Communications, Tencent Cloud e OVH completam o rol dos 10 principais provedores.

A dinâmica do mercado mudou nos últimos 12 meses, com mais empresas optando por ambientes de nuvem híbrida e multicloud para usar os pontos fortes de diferentes provedores de serviços de nuvem e modelos de implementação dependentes de requisitos de aplicativos e dados, conformidade, custo e desempenho.

O papel dos parceiros de canal nos serviços em nuvem está crescendo em importância como resultado direto dessas tendência. Caba a ele, cada vez mais, entender as necessidades dos clientes e recomendar serviços, implantação e integração, além de simplificar o faturamento e o gerenciamento de vários serviços em nuvem.

"A Canalys espera que a parcela de negócios em nuvem gerenciada por ou com parceiros de canal aumente em 2019. Os provedores de serviços em nuvem devem, portanto, encontrar maneiras de melhorar sua própria diferenciação para parceiros e aumentar a maturidade de seus modelos de canal", comenta Alastair Edwards, analista-chefe da empresa.

Segundo ele, os provedores de serviços de nuvem precisarão criar confiança com os parceiros de canal e não implementar iniciativas ou alterar os termos e condições que geram mais vendas diretas. A Microsoft, por exemplo, é a força dominante hoje no canal de serviços em nuvem, através da expansão contínua de seu programa Cloud Solution Provider (CSP). Mas, como oferece mais opções de compra direta aos clientes do Azure por meio de seu novo Microsoft Customer Agreement, sua estratégia de parceria cria uma oportunidade para os rivais explorarem a crescente incerteza entre os parceiros da Microsoft.