Home  >  Negócios

Telefônica Brasil tem lucro líquido recorde de R$ 8,9 bilhões em 2018

Operadora tem crescimento de 93,7% no lucro líquido quando comparado ao ano anterior

Da Redação

20/02/2019 às 9h05

Foto: Divulgação/Telefônica Brasil

A Telefônica Brasil anunciou nesta quarta-feira (20/2) o balanço financeiro e operacional de 2018, que aponta crescimento no EBITDA recorrente – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – de 5,5%, totalizando R$ 15,4 bilhões, com margem recorrente de 35,6%. Já o lucro líquido, de R$ 8,9 bilhões – valor recorde apresentado pela companhia – cresceu 93,7% quando comparado com o ano anterior.

O resultado recorde, segundo a empresa, é reflexo da estratégia da em focar em negócios de maior valor com planos pós-pagos e expansão da rede de fibra, além dos esforços de simplificação, digitalização e forte disciplina financeira, aliados a efeitos não recorrentes no segundo e terceiro trimestre de 2018. Mesmo sem os efeitos não recorrentes ao longo do ano, ainda assim o lucro líquido apresentaria alta de 13%.

O fluxo de caixa livre da atividade de negócio apresentou crescimento de 75,3% no quarto trimestre de 2018, atingindo R$ 2 bilhões, impulsionado pela expansão do EBTIDA e otimização dos investimentos em comparação ao mesmo período do ano passado. No acumulado de 2018, o fluxo de caixa livre foi de R$ 6,9 bilhões, representando um aumento de 20,6%, ou R$ 1,2 bilhão, quando comparado com o ano anterior, em função da melhora no resultado operacional.

David Melcon, CFO da operadora, comenta que, mesmo em um ano de incertezas econômicas, a empresa conseguiu evoluir de maneira relevante na transformação digital da companhia, executando a estratégia de expansão acelerada de fibra, enquanto seguiu incentivando o uso de canais digitais na relação com clientes, melhorando sua experiência e aumentando a rentabilidade.

Investimentos

Os investimentos da empresa alcançaram R$ 8,2 bilhões no ano, representando 18,9% da Receita Operacional Líquida. O aporte se concentrou, essencialmente, na expansão da rede de fibra – presente hoje em 241 cidades do país – e na maior cobertura e capacidade na tecnologia 4G e 4.5G.

Pós-Pago se destaca no segmento móvel

A Receita Líquida Móvel apresentou aumento de 3,3% no ano, influenciado por atividades comerciais dentro do segmento, como a expansão de 10,6% da Receita de Dados e Serviços Digitais – que já representa 78,9% do total da receita do serviço móvel –, e maior receita de aparelhos, que cresceu 56,5% no ano, após expandir 70% no quarto trimestre.

O resultado, segundo a companhia, se deve à estratégia da empresa de acelerar e ganhar participação em um mercado relevante e em expansão, por meio do poder da marca Vivo e dos canais de venda da Companhia, que vem atraindo consumidores de alto valor tanto para as lojas virtuais quanto físicas.

O total de acessos móveis em 2018 foi de 73,2 milhões. O segmento pós-pago seguiu com crescimento consistente, alcançando mais de 3,6 milhões novos acessos no ano – 990 mil somente no último trimestre de 2018 –, um aumento anual de 7,5%.