Home  >  Negócios

Para CEO da Red Hat, união com IBM traz oportunidade de transformação

Fala do executivo aconteceu ao lado de Ginni Rometty, CEO da IBM, durante o maior evento da big blue nos EUA

Vitor Cavalcanti

13/02/2019 às 12h30

Foto: Vitor Cavalcanti

Os processos de aprovações governamentais ainda estão em andamento, mas a expectativa em torno da união de portfólio e de como será o trabalho pós-aprovações é grande. Ainda sem expectativa para concluir toda a transação, já que dependerá de autoridades regulatórias em dezenas de países, a CEO da IBM, Ginni Rometty, resolveu convidar o CEO e presidente da Red Hat, Jim Whitehurst, para estar no palco durante a abertura do maior evento da big blue para clientes e parceiros, o Think, que reúne em San Francisco (EUA) 25 mil pessoas de mais de 150 países.

A ideia foi contar um pouco da visão da Red Hat para o futuro da tecnologia e mostrar sinergia com a visão da IBM, até porque, como todos executivos da companhia frisam, ambas empresas eram parceiras antes de qualquer movimento de aquisição. A própria Ginni brincou com a situação dizendo: “Namoramos por 40 anos antes da aquisição. Nosso compromisso de levar a Red Hat e toda a inovação para o futuro é muito sério, por isso, o convidei para esse evento hoje”.

“Estou bastante empolgado com a integração por diversas razões, também conversei com CIOs e clientes de diversas partes do mundo e todos estão recebendo bem a aquisição”, afirmou Whitehurst. “Open source resolve muito mais os problemas corporativos de maneira mais efetiva e poder seguir levando isso numa escala maior é muito bom. Já quando você pensa em AI e, há diversas ferramentas boas disponíveis, somos uma plataforma grandiosa para compor isso e disponíveis numa estratégia de multicloud. Combinar com IBM e toda a experiência em processos (que a IBM tem), por exemplo, é uma grande oportunidade de transformação”, completou.

Kubernetes, containers, edge computing e todo o discurso em torno de nuvem híbrida também une a estratégia das duas companhias. E muito da crença de inovação futura de Whithurst passa por esses termos e é endossado pela IBM. “A inovação está acontecendo em torno de containers e kubernetes, não importa se nuvem ou edge. Se você pensa em carro autônomo, tem tanto dado analisado num trajeto que as pessoas não fazem ideia e isso demanda processamento e infraestrutura na ponta, por isso, estamos animados com isso”, pontuou Whitehurst.

*O jornalista viajou a San Francisco a convite da IBM