Home  >  Negócios

Unisys aposta em solução Dynatrace para fortalecer serviços da Caixa

Saiba quais foram os desafios e resultados da implementação da ferramenta de APM

Guilherme Borini

31/01/2019 às 8h59

Foto: Guilherme Borini

Como conseguimos viver tanto tempo sem uma ferramenta dessa? A pergunta de Marcelo Viana  (foto), gerente de arquitetura e DevOps da Unisys, é uma referência à adoção da ferramenta de Application Performance Monitoring (APM - gestão de desempenho de aplicações) da Dynatrace, utilizada desde o ano passado para fortalecer os serviços de um dos seus principais clientes, a Caixa Econômica Federal.

A Unisys realiza, de ponta a ponta, os processos de hipoteca da Caixa. A complexidade é enorme: a instituição é responsável por 70% de todas as operações de hipoteca no Brasil, com mais de 350 mil contratos por ano e 150 milhões de transações.

"A quantidade de serviços cresce muito, por isso a ferramenta Dynatrace é importante", destacou Viana, durante apresentação no Perform, evento anual da Dynatrace realizado nesta semana em Las Vegas (EUA).

O executivo comenta que os principais desafios eram entender a complexidade, administrar o alto volume de mudanças, entender o motivo de falhas nos sistemas, além de mapear lentidões das aplicações. Todas atividades endereçadas com a adoção da plataforma Dynatrace, que utiliza inteligência artificial para monitoramento das operações de TI de ponta a ponta.

"Tínhamos uma visão limitada das dependências das aplicações e uma dificuldade muito grande para encontrar problemas antes do clientes. Muitas vezes os clientes percebiam antes de nós. Isso reforça: como conseguimos lidar com um ambiente desse tamanho sem essa ferramenta?", comentou Viana, que lembrou a utilização de ferramentas caseiras para monitoramento.

Resultados

Como principais resultados, Viana destaca o melhor entendimento da infraestrutura - tornando a operação mais responsiva -, antecipação de problemas, identificação da causa raiz das anomalias, bem como a aposentadoria de aplicações caseiras desenvolvidas ao longo dos últimos anos.

Ainda, o executivo apontou a automação, análise full stack, além de um item não ligado a tecnologias. "Outro ponto é a mudança cultural. A ferramenta tem ajudado a quebrar silos e estreitar a relação entre diversas áreas, principalmente desenvolvimento e operações", completou.

Para 2019, a meta é estreitar o relacionamento Unisys e Dynatrace para dar novos passos na jornada de transformação da Caixa - e de outros clientes.

*O jornalista viajou a Las Vegas (EUA) a convite da Dynatrace