Home  >  Plataformas

Omie inclui tecnologia da Systax para recursos fiscais em ERP

Empresa afirma ser o primeiro sistema com inteligência artificial fiscal

Da Redação

31/01/2019 às 16h44

Foto: Shutterstock

A Omie, desenvolvedora de sistemas de gestão empresarial para PMEs, está apostando em uma parceria com a Systax, empresa de inteligência fiscal, para apoiar usuários com questões tributárias diretamente pelo seu ERP.

Muitas empresas presentes no mercado, principalmente as pequenas, não conseguem acompanhar as frequentes mudanças na legislação tributária, passando a operar com alíquotas e outros parâmetros incorretos, gerando riscos ou até mesmo pagamento maior ou menor de tributos. A solução da Systax visa facilitar o processo de atribuição, e agora está presente na nuvem em conjunto com os sistemas da Omie, fazendo com que a tributação seja fornecida automaticamente aos clientes.

O principal motivo da aproximação entre as empresas foi uma questão enraizada nos valores de cada uma delas: a ética. A Systax e a Omie explicam que vinham estruturando em conjunto ideias sobre como poderiam desenvolver uma oferta que levasse benefícios operacionais e qualidade da informação para as operações dos clientes. A parceria conta com processos sem a necessidade de interação humana, reduzindo tempo e, principalmente, esforços por parte dos usuários.

Marcelo Lombardo, CEO e fundador da Omie, explica que a rotina de acompanhar a legislação e promover as atualizações de tributos no ERP consome bastante esforço dos clientes, e exige profissionais capacitados. "A questão fiscal é uma dor para quem empreende. Sentimos essa dor e entendemos. Por isso, focamos em trazer soluções que potencializem a produtividade, de forma que o negócio ganhe espaço para crescer. Buscamos esta parceria com a Systax e nos tornamos o primeiro ERP a ter inteligência artificial fiscal, de forma integrada no sistema. Com a Systax, conseguimos gerar valor, segurança dos dados, maior assertividade e antecipação de alterações na legislação vigente", destacou.

Jerson Prochnow, CEO da Systax, comenta que a principal atividade da companhia consiste em acompanhar as mais de 30 publicações diárias de atos legais e normativos. "Nossos sistemas aplicam essas informações no monitoramento constante das operações de nossos clientes, avisando o sistema Omie, por exemplo, quando uma determinada mercadoria teve a sua alíquota alterada", disse.

Ele explica também que, como o sistema trata tanto os tributos federais (IPI, PIS e COFINS) quanto o ICMS Estadual (com variações como Substituição Tributária, Partilha, Antecipação etc.), são mais de 160 campos de informações entregues ao ERP. "Ou seja, a informação é complexa e ‘instável’, já que a legislação muda muito. Daí é que decorrem os erros nas empresas que não conseguem acompanhar tudo isso manualmente", completou.