Home  >  Negócios

Next, banco digital do Bradesco, chega a 550 mil clientes

Conheça os planos do banco para bater de frente com fintechs

Guilherme Borini

16/01/2019 às 18h21

Foto: Divulgação

O Next, banco digital do Bradesco, atingiu a marca de 550 mil clientes ativos. Destes, cerca de 100 mil foram conquistados em dezembro do ano passado, fruto de uma estratégia de aceleração da expansão do serviço, conforme explica Jeferson Ricardo Garcia Honorato, superintendente executivo do Next.

O executivo destacou que, destes novos clientes, 82% não eram clientes do Bradesco. "Estamos de fato endereçando um novo mercado", comentou Honorato, durante conversas com jornalistas em evento da Dell EMC - uma das empresas provedoras de tecnologias para a plataforma do Next -, em São Paulo (SP).

Lançado em outubro de 2017, o Next é parte da estratégia de transformação digital do Bradesco, com foco sobretudo no público mais jovem, para bater de frente com startups emergentes, como o Nubank. O número de 550 mil ainda fica atrás dos mais de 5 milhões de clientes do Nubank, por exemplo, mas já é considerado um grande salto para o Bradesco.

Honorato ressalta que o Next está de olho na "nova concorrência digital". "Antes disso, nosso concorrente era conhecido e a concorrência era simples de mapear. O mundo digital rompeu tudo isso. Podemos ter um concorrente que vai nascer de hohe para amanhã."

Separados, mas juntos

Apesar de ter sido criado como uma unidade independente, o Next se apoia no próprio Bradesco como diferencial. Honorato classifica o banco digital como uma espécie de laboratório dentro do Bradesco. "O onboard digital do Next está disponível para o Bradesco, por exemplo. Não pode haver descasamento de modernidade das plataformas. Elas caminham juntas", disse.

O foco é usar a reputação do Bradesco a favor do Next. Honorato comenta que os jovens brasileiros, ao mesmo tempo que são disruptivos e early adopters de novos serviços, também se mostram conscientes sobre a confiabilidade do local onde guardam seu dinheiro. "Temos estudos que mostram que os jovens querem experimentar produtos, mas na hora de guardar o dinheiro, a questão de saber quem vai fazer a gestão é importante. Nisso temos uma vantagem importante."

Ao mesmo tempo que bate de frente com fintechs, a intenção do Next é se aproximar e firmar parcerias com outras startups. Para isso, o banco criou o inovabra, centro de inovação colaborativa, de onde saiu, por exemplo, a EasyCrédito, empresa que criou uma oferta de empréstimo para não correntistas em parceria com o Bradesco. "Existe a visão destorcida de fintech como ameaça. Não vejo dessa forma", completou.