Home  >  Inovação

Mundipharma e IBM unem forças no combate ao câncer com AI no Brasil

Estratégia visa expandir alcance da solução na área de saúde em todo o País

Solange Calvo

09/01/2019 às 13h11

Foto: Shutterstock

A Mundipharma, rede de empresas do mercado farmacêutico nas regiões Ásia-Pacífico, América Latina, Oriente Médio e África, e a IBM firmaram parceria comercial para ampliar o alcance do Watson for Oncology em todo o Brasil. No acordo, a farmacêutica passa a distribuir e a comercializar de forma exclusiva a solução em solo nacional. A estratégia visa expandir o alcance da solução na área de saúde, entre variadas unidades, em hospitais e centros oncológicos.

O Watson for Oncology (WfO) é um sistema cognitivo desenvolvido pela IBM que apoia médicos na pesquisa sobre tratamentos de pacientes com câncer. A solução foi treinada pelo maior centro de saúde sobre o tema no mundo, o Memorial Sloan Kettering Cancer Center (MSK), que analisa os principais registros clínicos e traz informações para fornecer suporte científico aos oncologistas na recomendação de tratamentos.

Como funciona? O médico alimenta a plataforma com informações relevantes do paciente que ajudam na busca de artigos científicos e na construção de um ranking das possíveis alternativas de tratamento, relacionando-as com estudos de casos semelhantes do MSK.

O WfO também fornece um vasto universo de evidências médicas para serem consideradas pelos oncologistas, como literatura médica, registros médicos, imagens, relatórios laboratoriais e de patologia para prover insights sobre as diferentes sugestões terapêuticas. Assim, a tecnologia otimiza o tempo do médico e permite que ele passe mais tempo em contato com a pessoa que buscou sua ajuda.

“Para Mundipharma, a solução representa uma ferramenta que vai melhorar a satisfação dos pacientes e promover a maior eficiência do setor. A parceria com a IBM reforça o posicionamento da Mundipharma como líder em Cancer Care, que foco principalmente nos pacientes”, diz Hugo Saavedra, CEO da Mundipharma Brasil.

Ele acrescenta que além de oncologia, a empresa também atua nas áreas de dor e oftalmologia. “O Brasil é o primeiro país no qual a Mundipharma e a IBM estabeleceram essa parceria comercial, que deve ser ampliada para outros países.”

AI no combate ao câncer

A inteligência artificial (AI, na sigla em inglês) trouxe inúmeros benefícios para os pacientes e as instituições de saúde, uma vez que é capaz de gerar, cruzar e compartilhar dados entre instituições e especialistas, diminuindo as barreiras geográficas e ilhas de conhecimento.

Na avaliação do executivo, com as ferramentas tecnológicas, os diagnósticos se tornam mais precisos, rápidos e seguros. Segundo ele, hoje, os dados digitalizados possibilitam que os softwares de AI auxiliem na tomada de decisão terapêutica de maneira personalizada e mais assertiva.

É importante ressaltar, ele diz, que existe garantia de segurança de dados do paciente e da instituição. “Esse novo panorama gera um benefício direto ao paciente, pois permite ao especialista dedicar mais tempo a ele, aumentando a relação de confiança.”

Atualmente, a AI permeia todos os âmbitos da atenção ao paciente (primário, secundário, terciário e quaternário), além de ter o potencial como ferramenta para o gerenciamento da medicina preventiva e promoção de saúde, já que um dos desafios do segmento é promover a conscientização e o empoderamento da população em relação à própria condição clínica.

Evolução da medicina

A medicina personalizada e de precisão não tem volta, considerando-se os inúmeros benefícios da individualização do tratamento. A Mundipharma tem mundialmente uma parceria com a Caris Molecular Intelligence.

Essa plataforma utiliza várias tecnologias, incluindo sequenciamento gênico (Next-Generation Sequencing), imuno-histoquímica, hibridização in situ, inteligência artificial, entre outras, para avaliar DNA, RNA e proteínas, a fim de revelar um perfil molecular e orientar decisões de tratamento mais precisas e individualizadas.

Com base nas características moleculares únicas do câncer de um paciente, os resultados permitem direcionar a imunoterapia e a terapia alvo, identificando terapias com potencial para serem mais eficazes e descartando aquelas com menor probabilidade de funcionar. A medicina de precisão é um movimento muito importante, pois tem o potencial de fazer uma diferença significativa na qualidade de vida dos pacientes. 

IA como diferencial no setor

O uso de tecnologias como inteligência artificial é um grande diferencial para a Mundipharma. As inovações tecnológicas no segmento de saúde têm contribuído muito para o desenvolvimento de soluções terapêuticas cada vez mais eficientes.

No Brasil e na América Latina, existe uma grande necessidade não atendida no tratamento de pacientes com dores causadas pelo câncer e outras enfermidades. “A nossa responsabilidade como indústria farmacêutica é oferecer inovação e acesso fácil às estratégias terapêuticas que contribuem para a melhora da qualidade de vida”, destaca Saavedra.

A abertura do escritório no Brasil em 2013 reforça o objetivo da farmacêutica de oferecer novas possibilidades em tratamentos focados no melhor interesse dos pacientes e a quem deles cuidam. “Temos mais de 60 anos de herança, com uma rede de distribuição presente em seis continentes”, contabiliza o executivo.

São nada menos do que 38 medicamentos comercializados no planeta pela farmacêutica, em seis áreas terapêuticas, com pipeline em franco crescimento, garante. “Nossos produtos são vendidos em mais de 120 países, contribuindo para a qualidade de vida de mais de 4 bilhões de pessoas.”

Conquistas e o que vem por aí

O portfólio da Mundipharma no Brasil cobre os segmentos de analgesia, oncologia e oftalmologia. Em 2018, a farmacêutica ingressou na medicina de precisão, além em seu pipeline outras linhas terapêuticas. Focada em pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias, assim como em mecanismos de segurança para o paciente, a Mundipharma afirma se empenhar em busca constantemente por medicamentos e serviços inovadores.

Em 2018 firmou parceria com a Farmadelivery para divulgar aos médicos que seus pacientes podem adquirir medicamentos para glaucoma via WhatsApp. Além de estar amplamente difundido no Brasil, o aplicativo possibilita que o pedido seja realizado por meio de mensagem de voz, diminuindo a dependência do paciente em solicitar a familiares e amigos a compra dos seus medicamentos.

Para 2019, Saavedra adianta que estão trabalhando para aumentar o portfólio, diante da vasta oportunidade de crescimento e desenvolvimento de novas soluções para incrementar o acesso da população a medicamentos e ao sistema de saúde. “Vamos aprimorar a satisfação e promover a maior eficiência do setor”, promete.