Home  >  Inovação

Nuvem será foco entre tecnologias da terceira plataforma

Até 2020, mais de 50% dos serviços modernos de TI e rede de ponta serão gerenciados a partir da cloud, sustentados por arquiteturas de borda

Crawford Del Prete, IDC

03/01/2019 às 8h30

Nuvem na terceira plataforma
Foto: Shutterstock

Conforme as tecnologias da terceira plataforma continuam a se expandir e a evoluir, as empresas precisarão continuar a desenvolver suas estratégias de transformação digital para melhor fornecer aos clientes os serviços digitais e as experiências que eles esperam.

Nos próximos dois anos, o número de organizações "digitalmente determinadas" com uma arquitetura de tecnologia corporativa totalmente integrada crescerá de 33% para quase 90%. Essas organizações estão comprometidas em passar de uma era de experimentação para a inovação multiplicada, segundo a consultoria global IDC.

Enquanto as organizações buscam novas maneiras de obter sucesso na economia digital, um aspecto fundamental da tecnologia da terceira plataforma está experimentando um crescimento rápido que pode dar suporte a essas iniciativas digitais. A nuvem, um mercado que continuou amadurecendo por meio do primeiro capítulo da inovação tecnológica, está na base dessa onda de inovação multiplicada. Aqui estão apenas três maneiras pelas quais a tecnologia de nuvem está se expandindo para facilitar os impactos da inovação multiplicada:

1-A nuvem está ultrapassando os gastos de TI

Um dos elementos essenciais do blueprint digital é o dimensionamento de inovações digitais com uma plataforma integrada. As conexões e os endpoints estão se tornando padronizados e a capacidade da nuvem de dimensionar e distribuir dados em uma organização maior excederá muitos sistemas legados ou no local. Portanto, faz sentido que as organizações estejam priorizando os gastos na nuvem. Até 2022, quase 40% dos principais gastos de TI estarão relacionados à nuvem e, em 2028, ela representará 80% ou mais dos gastos com TI.

Além disso, se a nuvem se expande, a borda se torna mais importante. A borda distribui melhor a nuvem e permite que as organizações ampliem dados e aplicativos, especialmente IoT, do núcleo à borda. Até 2020, mais de 50% dos serviços modernos de TI e rede de ponta serão gerenciados a partir da nuvem, sustentados por arquiteturas de borda virtualizadas seguras. Investir em tecnologia de nuvem agora reforçará as habilidades das empresas para gerenciar melhor não apenas seus próprios dados e processos, mas também permitirá que eles se conectem com as plataformas de seus clientes.

2-A nuvem está otimizando as cargas de trabalho

A borda não está apenas suportando a expansão da nuvem, mas também potencializando a otimização da carga de trabalho. Até 2022, espera-se que 25% da nuvem pública seja não-x86. Os clientes passarão para redes de microssegmentação e multi-inquilinos, impulsionadas pelo DevOps e pela automação de software.

No futuro, os aplicativos e cargas de trabalho devem trabalhar com diferentes arquiteturas de computação para diferentes cargas de trabalho. Isso mudará dramaticamente o que conhecemos como cenário de computação de “hoje”, com o número de nuvens públicas não-x86 crescendo para mais de 50% até 2028, incluindo a computação quântica.

Conforme a inteligência na borda continua a se multiplicar, a capacidade da nuvem de fornecer experiências perfeitas de nuvem para borda também capacitará as organizações a otimizar as cargas de trabalho e a criar melhores processos internos e serviços externos. Até 2020, todos os provedores de serviços em nuvem da Camada 1 terão uma oferta de ponta a ponta, permitindo uma conexão contínua de dados e de computação entre a margem do cliente e a nuvem do provedor.

3- Aplicativos baseados em nuvem estão assumindo o mercado 

O número de aplicativos explodirá no segundo capítulo da inovação da terceira plataforma. Na verdade, novas ferramentas permitem que os desenvolvedores melhorem os serviços de terceiros, o código da comunidade e as soluções em containeres, o que, por sua vez, facilita a reutilização do código e de outros componentes para que sejam mais produtivos e criativos. O mercado de aplicativos na nuvem não é diferente.

Até 2022, mais de um milhão de aplicativos e serviços estarão disponíveis nos cinco principais mercados de provedores de serviços em nuvem. Isso é mais de cinquenta vezes o valor atualmente disponível em 2018. Essa explosão de aplicativos é impulsionada pelo crescimento de aplicativos e microsserviços verticais. Cada vez mais, esses aplicativos serão a base da vantagem competitiva.

Os fornecedores vão se esforçar para construir a melhor biblioteca de código e serviços para atrair os desenvolvedores dentro de seu mercado-alvo. As organizações que buscam selecionar tecnologias baseadas em nuvem precisarão incluir os mercados de aplicativos no processo de consideração do fornecedor.

A inovação multiplicada do segundo capítulo continua a trazer insights melhores, alcance mais amplo, maior confiança e experiências reinventadas. A inovação multiplicada está mudando a maneira como a tecnologia em nuvem suporta e capacita organizações empresariais e continuará a produzir oportunidades para inovação digital.