Home  >  Inovação

Um Natal movido a blockchain

“Papai Noel Digital” pode usar a tecnologia para garantir que os pedidos feitos pelas crianças sejam recebidos exatamente como foram descritos

Mauricio Magaldi*

19/12/2018 às 8h02

Foto: Shutterstock

No mundo acelerado em que vivemos hoje, é fácil perdermos a perspectiva das coisas mais simples e nos deixar sobrecarregar pelas coisas que acontecem a nossa volta, online e off-line.

Convido você leitor a para um pouco para refletir e me acompanhar num exercício de imaginação, na tentativa de exercitar a arte do possível, pensando como seria um “Natal movido a blockchain”.

Antes de começarmos esse exercício é importante entender que blockchain é uma tecnologia que vai muito além das já famosas criptomoedas. Por sua característica, a tecnologia Blockchain insere confiança em um contexto de negócios, onde não necessariamente haveria confiança, e assim, permite que as interações sejam feitas de maneira mais dinâmica, com menos atores envolvidos, maior transparência e uma capacidade de convergência única entre as tecnologias atualmente disponíveis.

O que faz um Natal realmente mágico? O Natal moderno é uma experiência sensorial: as luzes e a música, os cheiros e sabores, além da sensação sempre prazerosa de abrir os presentes que o Papai Noel deixou debaixo da árvore de Natal! Para um Natal verdadeiramente mágico, nenhuma dessas experiências sensoriais deve entregar menos do que a expectativa do público.

O “Papai Noel Digital” pode usar blockchain para garantir que os pedidos feitos pelas crianças sejam recebidos exatamente como foram descritos, fabricados sob as especificações técnicas (ou lúdicas) exatas, de modo que os fornecedores de matérias primas tenham como atender a Fábrica do Papai Noel de maneira ágil e precisa, e os duendes do Papai Noel podem ter a garantia de estar lidando com materiais não-tóxicos, de origem comprovada, além de poderem ter controle sobre a remuneração pelas horas trabalhadas.

A Fábrica do Papai Noel pode ainda enviar por contêineres, com muita antecipação, e com toda documentação digitalizada, os presentes maiores, minimizando o risco de atraso e permitindo que nada falte embaixo daquela árvore lindamente decorada.

blockchain

A ceia de Natal, com diversos pratos saborosos, pode ser feita com produtos comprados em supermercados que sabem exatamente quando e de onde vieram os pernis, lombos e perus, garantindo aos compradores que, em caso de algum acidente de segurança alimentar, produtos comprometidos podem ser rapidamente, e de forma precisa, retirados de circulação, ou até mesmo impedidos de chegarem até as lojas.

Os consumidores mais ativos, podem trocar seus presentes do Amigo Secreto por pontos nos programas de fidelidade em suas lojas favoritas, somando com seus pontos já existentes, e completar pra uma viagem de férias no Ano Novo, tudo devidamente documentado e integrado entre diversos parceiros operando numa mesma rede Blockchain.

Gamers aficionados podem jogar com a garantia de serem devidamente identificados, trocar seus créditos por mais jogos, além de operar em plataformas de jogos diferentes, usando uma mesma identidade digital.

O mais interessante em todos esses casos é que em todos eles a existência desses processos de negócios só é possível, dessa exata maneira, com o uso de sistemas baseados em redes blockchain. Em todos eles a presença da tecnologia blockchain é invisível para os consumidores finais. Para eles ficam apenas a experiência de uma época cheia de fantasia e as memórias de um Natal inesquecível.

*Mauricio Magaldi é líder de Blockchain da IBM para América Latina