Home  >  Plataformas

Por que blockchain ainda está no “vale da desilução”

Pesquisadores apontam que empresas estão adotando tecnologia antes de sua maturidade

Lucas Mearian | Computerworld EUA

06/12/2018 às 10h01

Foto: Shutterstock

Em um relatório para a conferência Monitoring, Evaluation, Research and Learning (MERL) Technology, nos EUA, pesquisadores que estudaram 43 casos de uso de blockchain chegaram à conclusão de que nem todos projetos estão entregando o esperado.

E, quando contataram vários provedores de blockchain para o projeto, o silêncio foi ensurdecedor. "Ninguém estava disposto a compartilhar dados", disseram os pesquisadores.

Christine Murphy, pesquisadora social da Social Solutions International, John Burg e Jean Paul Pétraud, bolsistas da Agência Norte-Americana para o Desenvolvimento Internacional, descobriram uma proliferação de press releases, white papers e artigos persuasivamente escritos, elogiando os muitos atributos da distributed ledger technology (DLT).

"No entanto, não encontramos nenhuma documentação ou evidência dos resultados que o blockchain conseguiu alcançar nesses projetos. Também não encontramos lições aprendidas ou insights práticos, como estão disponíveis para outras tecnologias em desenvolvimento", relataram os pesquisadores.

"Apesar de todo o hype sobre como blockchain vai trazer transparência para processos e operações em ambientes de baixa confiança, a indústria é em si opaca. A partir disso, determinamos a falta de evidências que suportam declarações de valor de blockchain no espaço internacional de desenvolvimento lacuna para os potenciais adotantes", acrescentaram.

Pilotos de blockchain e provas de conceito, no entanto, não são sem valor, os pesquisadores notaram. No final, o valor real das implantações de blockchain pode não ser a própria tecnologia, "mas como um ímpeto para questionar o que fazemos, por que fazemos e como podemos fazê-lo melhor".

2019 tendências

A avaliação contundente de blockchain pelo trio de pesquisa foi apoiada em certa medida por analistas da indústria, que disseram que o hype de marketing em torno dele criou expectativas irrealistas, especialmente porque o uso corporativo ainda não está totalmente consolidado.

Avivah Litan, vice-presidente do Gartner, disse que, embora as descobertas do relatório não tenham sido uma surpresa, faltou equilíbrio. Os pesquisadores não se preocuparam em perguntar por que os projetos não cumpriram as metas, como melhorar a eficiência transacional, transparência e privacidade.

"No início de 2018, dissemos que 99% dos projetos corporativos são um beco sem saída - 99% não precisam da tecnologia e não saem do laboratório (...) É uma tecnologia muito valiosa. As pessoas começaram a tentar usá-la antes de estar pronta. Isso é verdade no mundo das criptomoedas e no mundo das blockchain empresarial”, frisa ela.

Qual estágio do blockchain?

O Gartner mede o amadurecimento da nova tecnologia por meio de um "Hype Cycle", um ciclo de vida baseado em gráficos que segue cinco fases: do Technology Trigger, quando surgem histórias de prova de conceito e interesse da mídia, até o Plateau of Productivity, quando observa-se se a tecnologia é mais do que um nicho.

Entre esses cinco Hype Cycles está o Vale da Desilusão (Trough of Disillusionment), quando o interesse diminui à medida que os pilotos e as provas de conceitos falham e os provedores de tecnologia resolvem as falhas e melhoram a tecnologia para a satisfação dos usuários ou acabam fracassando. Confira o gráfico:

blockchain

No início deste ano, uma pesquisa do Gartner revelou que, em média, apenas 3,3% das empresas em todo o mundo haviam implantado o blockchain em um ambiente de produção.

Em um post, Avivah listou oito obstáculos necessários para blockchain para avançar e atingir as metas declaradas por provedores de tecnologia, como uma solução para virtualmente qualquer necessidade de rede transacional internacional - de pagamentos transfronteiriços sem taxas para a cadeia de suprimentos rastreamento.

Os desafios incluem um algoritmo de consenso mais eficiente, um design mais escalável - incluindo a capacidade de mover a maior parte dos dados para um banco de dados separado - e confidencialidade de dados através de provas de conhecimento zero (ZKP), uma tecnologia de criptografia que permite ao usuário para provar que fundos, ativos ou informações de identificação existem sem revelar as informações por trás dele.

"Até o momento em que esses obstáculos forem superados, a maioria dos projetos blockchain autorizados permanecerá em desenvolvimento ou no modo POC. Mais importante, eles não apoiarão o princípio fundamental da descentralização, portanto, nessas circunstâncias, esses projetos provavelmente ficarão muito melhores usando a tecnologia comprovada de banco de dados legado", explica a especialista.

Na prática

Grupos industriais e fornecedores estão trabalhando para superar esses obstáculos. Por exemplo, a Ernst & Young criou um protótipo de blockchain público que planeja lançar em 2019, que permite que as empresas usem ZKPs para concluir transações comerciais confidencialmente.

A Hyperledger Foundation e a Enterprise Ethereum Alliance (EEA) - os dois maiores consórcios de blockchain de código aberto - se uniram para resolver problemas de desempenho, incluindo o desenvolvimento de arquiteturas "Camada 2" para descarregar dados de blockchains para ajudar na escalabilidade.

Martha Bennett, analista principal da Forrester Research, observou que qualquer projeto blockchain ou "DLT" é uma iniciativa estratégica de longo prazo, e a decepção é inevitável "quando os esperados milagres não se concretizarem”.

"Não é realista esperar um modelo de custo sólido ou uma declaração definitiva de benefícios porque é simplesmente cedo demais para isso. Para reunir provas reais, precisamos ter um número de implementações totalmente operacionalizadas e em expansão que duram pelo menos dois anos. E simplesmente ainda não chegamos lá”, explica ela.

Assim como existem muitos projetos que têm apenas em papel branco ou formato de apresentação de conferência - onde a linguagem é toda sobre o potencial "poderia" - "igualmente, há muitas iniciativas que estão avançando porque é claro para os participantes que os benefícios são realizável", acrescentou Martha.

Por exemplo, o Walmart tem, nos últimos dois anos, testado uma cadeia de suprimentos de produtos com o serviço blockchain da IBM. O piloto foi tão bem-sucedido que a empresa recentemente apresentou a seus fornecedores um edital: coloque os dados do seu produto no sistema em setembro de 2019 para que ele possa ser rastreado da fazenda para loja.

A Linux Foundation, que supervisiona a Hyperledger Foundation, apontou para outros pilotos bem-sucedidos, como a implantação de cadeias de suprimento blockchain pela indústria de diamantes.

"Concluímos recentemente uma pesquisa de percepção sobre desenvolvedores e tomadores de decisões financeiras em grandes empresas usando ou considerando blockchain. Quase 90% dos 376 entrevistados que responderam à pesquisa on-line em agosto e setembro esperam crescimento moderado a alto no blockchain de negócios nos próximos dois anos anos", disse um porta-voz da Linux Foundation via e-mail. "Uma maioria similar vê o blockchain de negócios como uma tecnologia central do futuro que permitirá o surgimento de novos modelos de negócios”.