Home  >  Plataformas

Exército dos EUA usará Microsoft HoloLens em acordo de US$ 480 milhões

Dispositivo será diferente dos vendidos para consumidores

Matthew Finnegan | Computerworld EUA

05/12/2018 às 13h31

Foto: Shutterstock

A Microsoft ganhou um contrato de US$ 480 milhões para fornecer aos soldados do Exército dos EUA dispositivos de realidade virtual HoloLens para treinamento e missões de combate - um passo significativo na adoção da tecnologia de realidade aumentada.

O acordo faz parte do projeto Integrated Visual Augmentation System do Exército, que visa desenvolver um headset que aumentará a "letalidade, mobilidade e consciência situacional" dos soldados em ação.

Os dispositivos usados pelo Exército serão diferentes das versões de consumo do HoloLens e devem ser compatíveis com os capacetes já utilizados. Entre a lista de requisitos estão visão noturna, sensoriamento térmico e detecção de concussão, bem como a capacidade de monitorar e exibir a frequência cardíaca e respiratória de um indivíduo.

O contrato cobre o fornecimento inicial de 2,5 mil protótipos dentro de dois anos, com potencial para aumentar a produção após esse período. O número total de dispositivos pode chegar a 100 mil dispositivos, segundo a Bloomberg, que divulgou o acordo.

A Microsoft foi premiada com o contrato após um processo de licitação, com funcionários do Exército eventualmente selecionando HoloLens sobre sistemas da rival Magic Leap.

O acordo segue a publicação de uma carta aberta de funcionários da Microsoft que exigia que a tecnologia da empresa não fosse usada para fins militares - uma resposta à oferta da Microsoft por um contrato de US$ 10 bilhões do programa do Pentágono Joint Defense Defense Infrastructure (JEDI).

Impulso

O HoloLens, lançado em 2016, já está sendo usado por várias organizações de grande porte, incluindo empresas automotivas, aeroespaciais e de construção. Ele também já é foi usado para fins militares no passado, mas para fins de treinamento, em vez de missões de combate.

O mais recente acordo do Exército dos EUA parece ser o maior lançamento planejado de HoloLens, disse Anshel Sag, analista da Moor Insights & Strategy, com outros “ofuscados em termos de tamanho e importância”.

Annette Jump, diretora de pesquisa do Gartner, disse que um acordo de alto perfil como esse pacto ajudará a “aumentar a conscientização sobre a realidade mista (MR, na sigla em inglês)” entre compradores de empresas nos EUA e em outros lugares. "Este é um grande anúncio para a Microsoft e um grande marco para a adoção da tecnologia", disse ela.

No entanto, Annette observou que algumas barreiras devem ser superadas para que uma adoção mais ampla seja realizada. Por exemplo, há pouca escolha de dispositivos para suportar MR, além de HoloLens e Magic Leap - ambos são caros. E projetar interfaces 3D é um processo caro para as empresas, exigindo que uma interface ou experiência especializada seja construída para cada caso de uso.

“A tecnologia ainda não está madura e há mais foco em experiências imersivas que podem ser ativadas via smartphones, já que muitas vezes é uma alternativa mais barata e um ponto de partida fácil para começar com tecnologias imersivas”, acrescenta ela.

A especialista vê a Microsoft como líder do nascente mercado de AR e se tornando o padrão de fato para o desenvolvimento.

“Acredito que o HoloLens será o padrão corporativo para realidade aumentada e isso é realmente tudo o que a Microsoft quer. Já é a primeira plataforma em que a maioria dos desenvolvedores pensa quando quer construir um aplicativo de AR corporativo.”

 

Tags