Home  >  Plataformas

Atualizações do Windows 7 vão acabar em 2020

Confira o calendário com tudo que está confirmado e o que deve acontecer com o sistema operacional

Gregg Keizer | Computerworld EUA

30/11/2018 às 10h31

windows_7_desktop.jpg
Foto: Shutterstock

Em cerca de 400 dias, o Windows 7 deixará de ter suporte. A Microsoft definiu o fim do suporte geral – tanto para o gratuito quanto para pathes exclusivos para eliminar vulnerabilidades – no dia 14 de janeiro de 2020.

Mas o que acontece antes dessa data? Ou depois?

Usando o ano antes da aposentadoria do Windows XP - que o sistema operacional era o antecessor do Windows 7 como elemento essencial da empresa – é possível entender eventos definidos e prováveis no calendário do 7.

Início de 2019

POSSÍVEL

A Microsoft pode repetir um acordo como em 2013, descontando uma combinação do Windows 10 Pro e do Office 2019 e lançando a oferta para empresas de pequeno e médio porte.

Cerca de um ano antes da data de fim de suporte do Windows XP, a Microsoft ofereceu um pacote - Windows 8 Pro e Office 2013 Standard - com um desconto de 15%. Esse acordo tinha um limite de 100 licenças para cada um dos dois produtos.

Em alguns meses, a Microsoft poderia repetir a oferta com o SO e Office - Windows 10 Pro e Office 2019 Professional - ou algum outro acordo, talvez um plano de assinatura com desconto da Microsoft 365 E3, como um incentivo para os retardatários migrarem.

9 de abril de 2019

DEFINIDO

Os PCs com Windows 7 não receberão correções de segurança após essa data, a menos que tenham sido modificados para aceitar as atualizações assinadas com o algoritmo SHA-2.

A Microsoft, como outros fornecedores de software, digitalmente "assina" as atualizações antes de serem distribuídas pela Internet. O SHA-1 (Secure Hash Algorithm 1), que estreou em 1995, foi declarado inseguro uma década depois - ele foi mantido por razões de compatibilidade com versões anteriores, incluindo o Windows 7. Mas a Microsoft quer abandonar o SHA-1 e confiar apenas no SHA-2, mais seguro.

A partir das atualizações mensais de fevereiro de 2019, a empresa apresentará suporte para a substituição do SHA-2 para o Windows 7. Esse suporte será incluído nas atualizações de março, bem como para aqueles que pularam o mês anterior.

9 de julho de 2019

DEFINIDO

Empresas que usam o WSUS 3.0 (Windows Server Update Services) SP2 devem ter adicionado suporte a SHA-2 até essa data para continuar a fornecer atualizações (de qualquer tipo, para qualquer software da Microsoft) aos PCs dos funcionários.

O WSUS 3.0 SP2 foi criado a partir de 2009 e foi associado ao Windows Server 2008 R2, software de servidor previsto para a aposentadoria ao lado do Windows 7 em janeiro de 2020. Desde a versão 3.0, a Microsoft lançou o WSUS 4.0 (com o Windows Server 2012) e o WSUS 5.0 (Windows Server 2016).

14 de dezembro de 2019

POSSÍVEL

A Microsoft pode começar a forçar o Windows 7 a mostrar aos usuários uma mensagem na tela lembrando-os do prazo de aposentadoria de 14 de janeiro de 2020 e pedindo que eles atualizem para o Windows 10.

A empresa fez exatamente isso com o Windows XP, começando um mês antes da data do último patch do sistema operacional. Se a Microsoft repetir isso no Windows 7, a mensagem retornará à tela no dia 14 de cada mês seguinte, a menos que seja desabilitada pelo usuário.

14 de janeiro de 2020

DEFINIDO

A Microsoft entregará a última atualização de segurança gratuita para os PCs com Windows 7.

A aposentadoria será presumivelmente a última de seu tipo: o fim de uma versão amplamente adotada do Windows, após uma década de suporte. A Microsoft apelidou repetidamente o Windows 10 de "o último Windows", já que, em teoria, ele nunca será realmente aposentado. Em vez disso, seu ciclo de vida será estendido repetidas vezes por novas atualizações de recursos.

É muito improvável que a Microsoft renuncie ao prazo final de suporte de janeiro de 2020. Houve pedidos para a empresa fazer isso para o Windows XP. A Microsoft ignorou os pedidos.

Depois de 20 de janeiro de 2020

DEFINIDO

A Microsoft continuará a criar patches de segurança para o Windows 7 após a data de aposentadoria do sistema operacional.

Mas essas correções não serão oferecidas ao público em geral ou gratuitamente aos clientes corporativos. Em vez disso, a Microsoft venderá o que chama de "Atualizações de segurança estendidas do Windows 7" (ESU) para empresas que executam o Windows 7 Professional ou o Windows 7 Enterprise e somente se esses sistemas forem obtidos por meio de uma transação de licenciamento por volume.

A Microsoft não divulgou o custo da ESU, mas disse que os patches pós-aposentadoria serão vendidos em incrementos de um ano por não mais de três anos, ou até o início de 2023.

13 de abril de 2021

PROVÁVEL

A Microsoft provavelmente irá retomar uma mudança feita com o Windows XP após a expiração do suporte público do Windows 7: Continuar fornecendo assinaturas de antivírus (AV) para o software Security Essentials desenvolvido internamente.

Três meses antes do XP, a Microsoft anunciou que continuaria produzindo assinaturas do Security Essential por 15 meses após a aposentadoria do sistema operacional, ou até julho de 2015. Isso foi uma reversão do que a empresa havia dito no ano anterior, quando declarou que as assinaturas parariam no final de abril de 2014.

O Security Essentials, um programa antivírus gratuito que foi lançado em 2008, foi substituído pelo Windows Defender com o lançamento do Windows 8 em 2012. Desde então, o Defender foi incluído em cada versão do SO, incluindo o Windows 10.

Se a Microsoft refizer a etapa do Security Essentials com o Windows 7, ela distribuirá assinaturas AV para o sistema operacional até 13 de abril de 2021.

Janeiro de 2022

PROVÁVEL

O Google quase certamente produzirá atualizações de segurança para o Chrome depois que a Microsoft parar de fazer manutenção no sistema operacional.

O Chrome recebeu atualizações, incluindo patches de erros, no Windows XP até abril de 2016 ou dois anos após o encerramento da Microsoft. "Sabemos que nem todos podem mudar facilmente para um sistema operacional mais recente", disse um diretor de engenharia do Google Chrome em 2015, quando o Google anunciou a aposentadoria do XP. Originalmente, a extensão deveria durar cerca de 21 meses, mas foi posteriormente expandido para 24 meses.

O Google parou de atualizar o Chrome no Windows XP quando esse sistema operacional gerava aproximadamente 12% de todos os PCs com Windows em todo o mundo. Embora seja impossível conhecer o status do Windows 7 dois anos após sua aposentadoria, os sinais atuais indicam que serão vários pontos percentuais acima dos do XP. O Google vai querer esperar até que o Windows 7 seja responsável por uma parte relativamente pequena do consumo total de PCs antes de ligar o Chrome.

Tags