Home  >  Negócios

O que esperar da Cisco em 2019?

Software, SD-WAN, segurança e redes de data center de alta velocidade são temas quentas para a empresa

Michael Cooney | Network World (EUA)

29/11/2018 às 18h31

Foto: Shutterstock

Software parece ser o mantra da Cisco para 2019, conforme a empresa avança em redes definidas por software, incrementa parcerias na nuvem, programas de aplicativos aprimorados e foca na sua iniciativa abrangente para vender mais licenças de software baseadas em assinatura.

Com o fechamento do primeiro trimestre fiscal de 2019, a companhia está divulgando o crescimento do seu software, dizendo que as assinaturas representavam 57% da receita total de software, um aumento de cinco pontos em relação ao ano passado e de 18% para US$ 1,42 bilhão. A empresa também informou que seu negócio de segurança, que é principalmente baseado em software, subiu 11% no ano a no, chegando a US$ 651 milhões.

E isso sem mencionar que a receita total de produtos aumentou 9%, para US$ 9,9 bilhões, crescimento de 9% em seus negócios de switches e roteadores, atingindo US$ 7,64 bilhões.

Não é um mau caminho para começar um ano. Então, para onde a Cisco vai em 2019?

Uma visão de nuvem

“Enquanto a nuvem, quatro ou cinco anos atrás, era vista como uma ameaça existencial aos nossos negócios, eu acredito fundamentalmente que a nuvem e a transição para a nuvem que nossos clientes estão fazendo passam por um crescimento”, afirma Chuck Robbins, CEO da Cisco.

De fato, a Cisco fez uma série de mudanças na nuvem em 2018, incluindo um acordo com a Amazon Web Services (AWS) que oferecerá aos clientes corporativos uma plataforma integrada que promete ajudá-los a construir, proteger e conectar clusters Kubernetes em data centers privados e nuvem da AWS. Ainda, a plataforma conjunta entre Google e Cisco Kubernetes para clientes corporativos também avançou em 2018.

Houve outros movimentos na nuvem para seus próprios produtos, como o AppDynamics for Kubernetes, que, segundo a Cisco, reduzirá o tempo necessário para identificar e solucionar problemas de desempenho nos clusters do Kubernetes. E a empresa anunciou que sua suíte CloudCenter se tornará um elemento-chave da oferta de nuvem híbrida aberta que está sendo desenvolvida pela Cisco e pelo Google e que está prevista para o final deste ano.

É seguro dizer que a empresa continuará a desenvolver essa estratégia em grande escala em 2019.

"A Cisco vai pensar mais nos moldes do acordo com a AWS. Eles precisam ter uma estratégia de nuvem híbrida e evitar ser um provedor de nuvem ou vão irritar clientes potenciais. A nuvem híbrida significa duas coisas: uma parceria de nuvem com os principais provedores e uma forte estratégia de data center empresarial. A Cisco realmente quer o último, assim, eu procuraria algo mais detalhado e útil no espaço da nuvem privada”, disse Tom Nolle, presidente da CIMI Research.

A estratégia da Cisco em cloud está se concentrando mais na integração de software, disse Sameh Boujelbene, diretor sênior da Dell'Oro. "Em geral, a Cisco está tentando dominar, controlar e aumentar sua presença no mercado [local] a partir de uma perspectiva de software, em vez do tradicional domínio de hardware."

A Cisco poderia fazer uma aquisição importante no campo da nuvem, acredita Brad Casemore, vice-presidente de pesquisa do IDC. “Acredito que a Cisco enxergue a malha de serviços e o Istio como uma nova oportunidade para fornecer rede nativa para containers e microsserviços. Eu não ficaria surpreso em ver a Cisco fazer uma aquisição neste espaço em 2019 ”, afirmou Casemore.

A chegada do SD-WAN

A próxima grande área de foco de 2019 para a Cisco certamente será o SD-WAN.

No centro de sua estratégia está a integração e utilização contínuas da tecnologia SD-WAN adquirida em 2017, quando comprou a Viptela por US$ 610 milhões. A notícia mais esperada de 2019 será a integração completa da tecnologia Viptela no Centro de DNA da Cisco, em que os clientes poderiam aproveitar os recursos de automação, configuração de garantia, provisionamento de malha e segmentação SD-WAN baseada em políticas de um único local. Em julho deste ano, a Cisco disse que essa integração estava em andamento, mas ainda demoraria cerca de um ano. Isso poderia colocar o anúncio dessa integração já no final de julho.

A adição de recursos de segurança às ofertas do SD-WAN também será um foco no próximo ano, dizem os especialistas.

Mais recentemente, a Cisco fundiu seu pacote SD-WAN com suporte para seu sistema de segurança Umbrella, sistema que bloqueia o acesso a destinos maliciosos antes que uma conexão seja estabelecida e é apoiada pela inteligência de ameaças do Cisco Talos.

A segurança avançada está agora integrada nos dispositivos Cisco SD-WAN e pode ser gerenciada por meio de um único painel, simplificando o gerenciamento e o controle da SD-WAN e da borda da nuvem.

Neste ano, a companhia trouxe a tecnologia SD-WAN para a vanguarda neste ano, adicionando a tecnologia Viptela SD-WAN ao software IOS XE que executa seus principais roteadores ISR/ASR. Mais de um milhão de roteadores de borda ISR/ASR, como os modelos ISR 1000, 4000 e ASR 5000, estão em uso por organizações em todo o mundo. O lançamento do SD-WAN/Cisco IOS XE fornece um caminho de atualização instantânea para a criação de malhas SD-WAN controladas por nuvem para conectar escritórios distribuídos, pessoas, dispositivos e aplicativos que operam na base instalada.

Reforço na segurança

Continuar a reforçar seu conjunto geral de segurança é outra área que terá um impulso em 2019. Uma das maiores adições que os clientes da Cisco provavelmente perceberão é a integração da tecnologia da recente aquisição da Duo Security, que promete trazer identidade baseada em nuvem.

O CEO da Cisco falou sobre a importância da Duo na recente teleconferência sobre resultados financeiros, dizendo que “as soluções Duo desempenham um papel importante na ampliação da nossa arquitetura baseada em intenções em um ambiente com várias nuvens, simplificando a política de segurança na nuvem e expandindo a cobertura de visibilidade do endpoint. A integração das plataformas de segurança de nuvem, dispositivo e rede da Cisco com os produtos de autenticação e acesso sem confiança da Duo foi projetada para nos permitir conectar os usuários de forma fácil e segura a qualquer aplicativo em qualquer dispositivo de rede.”

A Cisco fez aquisições recentes, como a Duo, buscando diretamente remediar uma série de desafios de segurança, disse Casey Quillin, diretor de Pesquisa de Mercado de Network Security Appliance e Storage Area Network da Dell'Oro.

“O Duo fornece uma segurança de acesso unificado e autenticação multifatorial e credencial fácil de usar. Isso se encaixa em vários produtos de segurança da Cisco. Portanto, é provável que novos produtos sejam desenvolvidos em torno dessa aquisição, bem como a implementação de recursos do Duo em classes de produtos existentes. A plataforma também oferece funcionalidade relevante - juntamente com Umbrella e Stealthwatch - segurança cloud-to-cloud/multicloud”, comenta ele.

O DDoS também é uma área de segurança que provavelmente continuará sendo focada em 2019, disse Quillin.

Especialistas dizem que a Cisco provavelmente continuará a expandir seu portfólio de segurança com tecnologia interna e de aquisição em 2019. "Acredito que podemos esperar aquisições adicionais de segurança, especialmente em áreas que reforcem a capacidade da Cisco de usar a rede para detectar e impedir vulnerabilidades e ameaças por meio da detecção avançada de anomalias", disse Casemore, do IDC. “A segurança continua sendo uma prioridade fundamental para todas as empresas, já que o desafio da TI híbrida e do multicloud expande o cenário de ameaças.”

Rede Ethernet de alta velocidade

Houve muito barulho no mundo da Ethernet de 400G este ano, e muitos observadores acham que 2019 apresentará muito mais. A Cisco disse que traria Ethernet de alta velocidade para o data center com quatro novos switches - duas caixas na família Nexus 9000 voltadas para clientes de rede de grandes empresas e duas na classe 3400-S voltadas para alta banda larga, usuários de hiperescala.

A companhia se juntou à Juniper, que assumiu um amplo compromisso com a tecnologia, e à Arista, que adicionou switches capazes de suportar velocidades de 400G - todas voltadas para redes de data center e de nuvem hiperescala.

Software

Por fim, uma das maiores tendências da Cisco para 2019 será uma continuação de sua campanha para disponibilizar componentes importantes de seu arsenal baseado em subscrição.

A Cisco está mudando para um modelo de receita baseado em software e subscrição, e isso continuará e se acelerará até 2019, especialmente para produtos de segurança. Em geral, a expectativa é de que a Cisco se concentre em produtos e serviços que garantam cargas de trabalho da próxima geração - Cloud, SDWAN, IoT - além de visibilidade e controle.

Outros não estão tão convencidos de que a Cisco possa realmente cumprir essa estratégia. “Esse é o grande desafio deles, porque quanto mais eles tentam licenciar o software básico da Cisco a partir de dispositivos, mais pressão eles geram para abrir seu hardware para outras opções de software. Eu acho que eles farão muito, mas não farão muitas mudanças fundamentais”, disse Nolle.

 

Tags