Home  >  Plataformas

Hiperconvergência ganha espaço e vai além de workloads específicos

Entenda o cenário de IHC e quais as perspectivas de adoção

Bob Violino | Network Cloud (EUA)

27/11/2018 às 16h31

Foto: Shutterstock

A hiperconvergência já percorreu um longo caminho em um tempo relativamente curto e as empresas estão aproveitando os novos recursos.

A infraestrutura hiperconvergente (IHC - Hyperconverged infrastructure) combina armazenamento (storage), computação e redes em um único sistema. Essas plataformas incluem um hipervisor para computação virtualizada, armazenamento definido por software e rede virtualizada.

Estas foram criadas inicialmente voltadas para a infraestrutura de desktop virtual (VDI), armazenamento de vídeo e outras cargas de trabalho distintas com requisitos de recursos previsíveis. Mas, com o tempo, elas avançaram para se tornarem plataformas adequadas para aplicativos corporativos, bancos de dados, nuvens privadas e implantações de edge computing.

Alguns desenvolvimentos importantes tornaram a HCI mais atraente para mais cargas de trabalho. Uma é a capacidade de dimensionar de forma independente a capacidade de computação e armazenamento, por meio de um modelo desagregado. A outra é a capacidade de criar uma solução hiperconvergente usando o NVMe - uma especificação de interface de dispositivo lógico aberto para acessar mídia de armazenamento conectada via malhas de barramento PCI Express.

"Em geral, há uma maior compreensão da proposta de valor do IHC, especificamente para empresas menores que podem não precisar de uma infraestrutura de data center em grande escala, mas querem manter algum controle sobre seus ambientes", explica Sebastian Lagana, gerente de pesquisa, plataformas de infraestrutura e tecnologias do IDC.

“O uso crescente de ambientes de nuvem híbrida pelas empresas também se alinha com a história do data center definido por software, da qual a HCI é certamente uma grande parte”, diz Lagana.

A HCI se tornou uma plataforma adequada para uso mais amplo devido a muitas melhorias subjacentes na tecnologia. Ao mesmo tempo, muitas empresas passaram por um “ciclo de atualização” de TI e a HCI parece uma transição natural.

"Conversamos com alguns usuários que adotaram a IHC e, em alguns casos, estamos conversando com a atualização de várias infraestruturas antigas em execução em software antigo, às vezes sem suporte. Nesse ponto, se o servidor antigo e/ou a tecnologia de armazenamento que eles estão usando estiverem muito atrás do que está disponível agora, isso se torna uma questão do nível de complexidade que eles buscam em seu novo ambiente", comenta o especialista.

A HCI tem a potência necessária ao mesmo tempo em que fornece uma interface de gerenciamento amigável ao usuário. "Você poderia correr mais rápido com uma solução altamente personalizada? Claro, mas em muitos casos não vale a pena o esforço extra quando a solução HCI for suficiente e fornecer uma boa escalabilidade a longo prazo.”.

Benefícios

Entre os principais benefícios que as organizações podem ver de implantar a HCI de forma mais ampla estão a maior consolidação e simplificação da infraestrutura de TI, o que permite que as equipes de TI ofereçam suporte aos objetivos de negócios, diz Lagana.

Além disso, os tempos de resposta se tornam mais rápidos do helpdesk, há entendimento proativo de possíveis falhas de hardware, capacidade de criar rapidamente novos servidores ou ambientes de teste, disaster recovery mais rápido e recursos de backup mais fáceis.

"Há também os benefícios mais mecânicos. A consolidação de hardware fornece economia de energia, resfriamento e instalações, o que é fácil de medir e é uma venda fácil para os detentores de orçamento menos experientes em tecnologia. A HCI e o software subjacente facilitam a maximização da utilização dos recursos existentes, o que reduz também o armazenamento a longo prazo e as despesas com servidores”, frisa Lagana.

Tendências do mercado de hiperconvergência

A demanda por IHC e pela convergência de data center em geral está aumentando. Um relatório recente da IDC mostra que a receita mundial do mercado de sistemas convergentes aumentou 10% de um ano para outro, chegando a US$ 3,5 bilhões durante o segundo trimestre de 2018.

Os produtos de HCI ajudaram a impulsionar a expansão do segundo trimestre, segundo o estudo, graças em parte à capacidade de reduzir a complexidade da infraestrutura, promover a consolidação e permitir que as equipes de TI apoiem os objetivos de negócios de uma organização.

A receita de vendas de sistemas hiperconvergentes cresceu 78% ano a ano durante o segundo trimestre, gerando US$ 1,5 bilhão em vendas. Isso representou 41% do mercado total de sistemas convergentes, segundo o relatório.

A IDC apresenta duas maneiras de classificar os fornecedores de tecnologia no mercado de sistemas hiperconvergentes, em termos de participação de mercado. Uma é pela marca da plataforma hiperconvergente e a outra é pelo proprietário do software que fornece as principais capacidades hiperconvergidas.

Por marcas, aqueles com a maior participação são Dell, Nutanix, Cisco e HPE. Em termos de software HCI, os líderes são Nutanix, VMware, Dell, Cisco e HPE.

Quanto aos desenvolvimentos futuros no mercado de hiperconvergência, uma das tendências em crescimento é a HCI baseada em NVMe, adianta Lagana. "Estamos vendo o flash como um importante impulsionador da adoção, não apenas na IHC, mas em mercados de infraestrutura convergente e armazenamento mais amplos, e a NVMe é o próximo passo nessa evolução".