Home  >  Plataformas

AWS lança servidores baseados em ARM

Empresa sai na frente dos principais concorrentes - Microsoft, Google e IBM - como primeira empresa de nuvem a lançar o recurso

Guilherme Borini

27/11/2018 às 17h49

Foto:

Peter DeSantis, VP de infraestrutura da Amazon Web Services (AWS) deu o pontapé inicial do re:invent 2018, evento anual da unidade de cloud computing da gigante de varejo Amazon, na última segunda-feira (26/11) em Las Vegas, nos EUA. Dentre os anúncios que visam demonstrar o conhecido poder de inovação da companhia, o executivo apresentou o primeiro chip de servidor com processador baseado em arquitetura ARM, desenvolvido pela AWS para o serviço de nuvem EC2.

Líder no mercado de infraestrutura de nuvem pública, a empresa sai na frente dos principais concorrentes - Microsoft, Google e IBM - como primeira empresa de cloud a lançar recursos de computação baseados em ARM. O foco é que os serviços da AWS fiquem mais baratos graças ao novo modelo de chip de servidor com a arquitetura. Segundo DeSantis, para certas cargas de trabalho, como servidores web, os custos podem ser até 45% menores.

DeSantis, no entanto, garantiu que não se trata de uma concorrência a outras opções de processadores disponíveis para uso na plataforma: Intel Xeon e AMD Epyc Processor. Na maioria das infraestruturas de nuvem, além de data centers corporativos, as cargas de trabalho são executadas em chips baseados em Intel.

A tecnologia ARM, de propriedade da SoftBank, é amplamente utilizada para chips de smartphones e tablets, e agora tem sido considerada uma alternativa em potencial que poderia funcionar com menos energia, o que poderia levar a custos mais baixos.

O primeiro conjunto de instâncias, chamado A1, suporta todos os modelos de precificação de instâncias padrão da AWS. Jeff Bar, evangelista da AWS, explica que a ferramenta foi construída em torno de núcleos ARM e fazendo uso extensivo de silício personalizado. "As instâncias A1 são otimizadas para desempenho e custo. Elas são ótimas para cargas de trabalho escaláveis, em que você pode compartilhar a carga em um grupo de instâncias menores. Isso inclui microsserviços em contêiner, servidores da web, ambientes de desenvolvimento e frotas de armazenamento em cache", disse, em um post no seu blog.

Instância A1 rodando

Preços

Os preços para essas instâncias começam em US$ 0,0255/hora para uma máquina a1.medium com 1 CPU e 2 GiB de RAM e sobem para US$ 0,4080/hora para máquinas com 16 CPUs e 32 GiB de RAM. A título de comparação, um servidor t3.nano baseado em X86 começa em US$ 0,0052/hora, mas é possível economizar bastante usando instâncias spot. Até termos os primeiros resultados, no entanto, é difícil comparar esses diferentes tipos de máquinas.

As instâncias A1 estão disponíveis nas regiões Leste (Virgínia), Oeste (Ohio), Oeste (Oregon) e Europa (Irlanda), todos nos EUA.  Ainda não há previsão sobre a disponibilização local em data centers em outras regiões, como São Paulo.

Desenvolvimento

As instâncias de computação EC2 A1 da AWS contam com o processador Graviton da Annapurna, grupo de desenvolvimento de chips da AWS. A Annapurna foi adquirida pela AWS em 2015.

*O jornalista viajou a Las Vegas (EUA) a convite da Amazon Web Services (AWS)