Home  >  Carreira

Freelancer: como se preparar o período de recesso

Plataforma Freelancer.com dá importantes dicas para profissionais conseguirem se organizar para ter um período de descanso no final do ano

Da Redação

26/11/2018 às 13h55

Foto: Shutterstock

Com o mercado brasileiro ainda retomando o rumo do crescimento após a recessão econômica que assolou o país nos últimos anos, muitos profissionais optaram por novas formas de garantir a renda no dia a dia.

O índice de informalidade, por exemplo, bateu um recorde no trimestre entre julho e setembro de 2018, chegando a 43% dos trabalhadores, o mais alto já registrado desde 2015. Os dados são de um novo levantamento divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que mostra que quatro entre dez brasileiros possuem empregos informais. Ou seja, de um total de 92,6 milhões de pessoas ocupadas no período, cerca de 39,7 milhões não tinham carteira assinada.

Além disso, segundo a consultoria Tendências, de cerca de 1,3 milhão de pessoas que voltaram a trabalhar no período, 601 mil atuavam no setor privado sem carteira assinada.

O mercado de freelancers se mostra como uma opção a qualquer tipo de profissional, seja para quem opta deliberadamente por este modelo ou, ainda, quem o procura como uma forma de complementar sua renda. Segundo o estudo Mercado Freelancer 2017, elaborado por empresas do ramo de marketing, este modelo de trabalho deve registrar um crescimento de 20% até o final de 2018.

A área de Tecnologia da Informação (TI) é uma das mais fortes no modelo freelancer, com destaque para projetos curtos, sobretudo de desenvolvimento.

Mas, para seguir uma carreira de freela, é preciso tomar certos cuidados, para conseguir administrar bem as suas finanças, principalmente nesta época, em que as empresas começam a diminuir o ritmo, já pensando nos balanços e recessos de final de ano.

Para ajudar os freelas a conseguir seu merecido descanso no período de recesso de fim de ano que se aproxima, o Freelancer.com, plataforma para freelancers e crowdsourcing, reuniu algumas dicas sobre como administrar bem os seus ganhos. Confira:

1. Elabore um planejamento de gastos

O dia a dia de um freelancer é muito semelhante ao de uma empresa. Geralmente, é o próprio profissional quem faz toda a gestão de suas finanças, além de planejar, desenvolver e entregar os trabalhos encomendados. Por isso, é preciso se organizar, para que não haja complicações no futuro.

Para isso, monte uma planilha (pode ser no Excel ou então utilizando alguma outra tecnologia disponível) para fazer o controle de gastos, especificando o dinheiro que entrou e saiu do seu “caixa”. Use aplicativos, acompanhe pelo Internet Banking os fluxos e tenha tudo sempre em mãos, para evitar dores de cabeça.

Uma boa dica é separar o dinheiro pessoal do profissional. É de extrema importância definir quais são os valores utilizados para cobrir gastos e investimentos no trabalho, daqueles que serão utilizados para pagamentos de contas pessoais e destinados ao lazer.

2. Poupe dinheiro e faça investimentos

Como a renda de um profissional freelancer pode ser inconstante, diferente de quem trabalha com carteira assinada e tem o salário fixo todo mês, é preciso se organizar para períodos de escassez. No final do ano, geralmente muitas empresas diminuem as demandas de trabalhos destinados a freelancers. Como isso é uma constante, o profissional já deve estar preparado para esta fase.

Portanto, poupe dinheiro quando seu fluxo financeiro estiver acima da média ou, então, aproveite esse "extra" para fazer investimentos que podem render e serem utilizados em períodos de recesso. Existem diversas formas de investir, até mesmo com pequenos valores, que podem gerar uma grana extra, colaborando para que o freelancer possa tirar um merecido descanso, sem se preocupar com a falta de trabalhos.

3. Regularize-se

O freelancer também precisa planejar seu futuro. Por isso, contribuir com o INSS é algo primordial nessa carreira. O programa de Microempreendedor Individual (MEI) oferece a facilidade para que o profissional faça uma contribuição mensal, que garante direitos de aposentadoria e afastamento por doenças, sem perder a renda mensal. Além disso, também é possível que o freelancer emita notas fiscais para os trabalhos que realiza.