Home  >  Plataformas

Cortana, da Microsoft, seguirá o mesmo caminho do Windows Phone?

Sinais sugerem que a empresa reduzirá suas perdas no mercado de assistentes digitais. Pode ser uma jogada inteligente

Preston Galla | ComputerWorld EUA

24/11/2018 às 14h40

Foto: Shutterstock

"Say goodbye, Cortana."

A Cortana, ou pelo menos a plataforma como conhecemos hoje, pode acabar na pilha de sucata da Microsoft, ao lado do Windows Phone, que foi descontinuado pela companhia em 2017. A assistente virtual Cortana parece não ter alcançado o mesmo poder e mercado da plataforma da Apple, a Siri, nem ter algum processo no mercado de alto-falantes inteligentes, como o Echo, da Amazon, o Dot e o Google Home.

Relatórios afirmam que a Amazon vendeu 50 milhões de alto-falantes inteligentes. As vendas de alto-falante inteligente do Google também aumentaram. A empresa de análise Canalys descobriu que os alto-falantes inteligentes do Google superaram a Amazon pela primeira vez no primeiro trimestre de 2018, vendendo 3,2 milhões de unidades para os 2,5 milhões da Amazon.

Já as vendas do único alto-falante inteligente com a Cortana embutido, o Harman Kardon Invoke, eram pequenas demais para serem medidas no mesmo relatório. E, embora a Apple não tenha essencialmente uma boa presença no mercado de alto-falantes inteligentes, a Siri é tão popular em iPhone que se tornou um marco.

Se tudo isso não for o suficiente para convencer que o Cortana não tem futuro, talvez isso ajude: desde 16 de novembro, os alto-falantes inteligentes Amazon Dot e Echo passaram a ser listados para venda na Microsoft Store. A Amazon e a Microsoft fizeram um acordo para que a Cortana e a Alexa, cérebros por trás dos alto-falantes inteligentes da Amazon, cooperassem.

Baixas na equipe

Há mais evidências sobre o provável destino de Cortana. Javier Soltero, uma estrela em ascensão na Microsoft, responsável pelo desenvolvimento da Cortana, anunciou no início do mês que deixaria a Microsoft. Isso não foi uma grande surpresa para os observadores da empresa. Algumas semanas antes do anúncio, outra engrenagem importante na equipe de Cortana também partiu. Samuel Moreau, veterano de onze anos da Microsoft e diretor de design da Cortana e de inteligência artificial, deixou o cargo para ser vice-presidente de design global e experiência do usuário do Expedia Group.

Inteligencia artificial

Os dois saíram na esteira de uma reorganização da Microsoft que parece ter rebaixado a importância da Cortana. O assistente foi transferido da Divisão de Pesquisa e AI para a equipe de Experiências e Usuários. Isso pode soar como o habitual arrastar de cadeiras de grandes empresas como a Microsoft. Mas é mais que isso. Provavelmente sinaliza o fim da Cortana como uma tecnologia de ponta e um assistente digital independente. Em vez disso, provavelmente se tornará uma tecnologia menos visível que fornece assistência a outros produtos da Microsoft nos bastidores, em vez de um produto de marca altamente visível.

Acordo com a Amazon

O que isso significa na prática? Analisar o acordo entre a Microsoft e a Amazon sobre como a Cortana e a Alexa trabalharão juntas fornece algumas pistas. Em agosto de 2017, as empresas concordaram que o usuário poderia abrir o Alexa da Cortana, e vice-versa, dizendo “Alexa, abra o Cortana” ou “Cortana, abra o Alexa” e depois emitir um comando de voz para o assistente digital apropriado.

Isso pode soar como um acordo entre iguais, mas não é. Alto-falantes inteligentes fazem sua mágica usando o que são chamadas de “habilidades”, que são essencialmente aplicativos de voz para coisas como tocar música, controlar uma casa inteligente, jogar jogos, interagir com aplicativos de negócios e produtividade e muito mais. A eficácia de um alto-falante inteligente e do assistente digital depende inteiramente da variedade e utilidade dessas habilidades.

A Amazon anunciou em um blog no dia 1º de setembro que Alexa tinha mais de 50 mil habilidades. A Microsoft não divulgou recentemente quantas habilidades a Cortana possui, mas no final de 2017, ela tinha apenas 230. Considerando que tão poucas pessoas compraram caixas de som Cortana, é provável que ele ainda tenha poucas habilidades, porque os desenvolvedores não podem ganhar muito dinheiro criando habilidades para um pequeno segmento de mercado.

O que isso significa para Cortana? Em essência, quando se trata de alto-falantes inteligentes, o assistente provavelmente se tornará apenas uma habilidade do Alexa entre dezenas de milhares outras. O único fabricante de alto-falantes da Cortana, Harman Kardon, provavelmente deixará o mercado. Além disso, a Cortana provavelmente viverá nos bastidores do Windows, oferecendo ajuda às pessoas quando elas fizerem coisas como tentar encontrar um horário conveniente para agendar reuniões e outros tipos de tarefas de produtividade.

Lado positivo

A disposição da Microsoft em rebaixar a posição de Cortana, em vez de entrar em uma guerra perdida de longo prazo e multibilionária contra Amazon, Google e Apple, mostra que a empresa aprendeu com o passado. O fiasco do Windows Phone, no qual a Microsoft jogou bilhões de dólares no buraco e desperdiçou o precioso tempo de milhares de desenvolvedores, poderia ter ensinado alguma coisa à empresa. Portanto, dizer adeus à iteração atual da Cortana é uma coisa boa para a empresa, não ruim.