Home  >  Carreira

Thomas Kurian: quem é e quais os desafios do novo CEO do Google Cloud

Executivo assumirá cargo deixado por Diane Greene

Scott Carey | Computerworld UK

21/11/2018 às 12h31

Thomas Kurian
Foto: Divulgação

A CEO da divisão Google Cloud, Diane Greene, pediu renúncia ao cargo na última sexta-feira (16/11), e o escolhido para ocupar a posição é o indiano Thomas Kurian, ex-executivo da Oracle.

Greene continuará em seu cargo até janeiro e manterá um lugar no board da Alphabet (dona do Google). A fundadora da VMware escreveu que ela havia dito originalmente a seus amigos e familiares que pretendia desempenhar o papel por dois anos e agora, depois de quase três anos, desistir de se concentrar em orientar e apoiar líderes empresariais com experiência em engenharia ou ciência, como ela mesma.

Ela será substituída no final deste mês por Kurian, que mais recentemente ficou encarregado do desenvolvimento de produtos em nuvem para a Oracle, que busca fazer a transição dos clientes para a nuvem e acompanhar os avanços da AWS e do Microsoft Azure.

Quem é Thomas Kurian?

Kurian nasceu na Índia na década de 1960 e se mudou para os EUA em 1986 para cursar a Universidade de Princeton com seu irmão gêmeo George, que agora é o CEO da empresa de soluções de storage do Vale do Silício, a NetApp. Ele é formado em engenharia elétrica e ciência da computação e possui um MBA da Stanford em administração e gerenciamento de negócios.

O executivo ingressou na Oracle há 22 anos, antes de ascender nas fileiras para ocupar recentemente o cargo de presidente.

Ele deixou o cargo em setembro, com a Bloomberg relatando que ele havia se desentendido recentemente com o fundador da Oracle, Larry Ellison, sobre "se a Oracle deveria disponibilizar mais de seus softwares para rodar em computação em nuvem dos principais rivais Amazon e Microsoft."

google android

A Oracle mudou a forma como reporta suas receitas de nuvem em junho, com muitos especulando que isso significava que o fornecedor estava lutando para manter o ritmo com seus maiores rivais na nuvem.

Onde costumava relatar dois segmentos de receita de nuvem - Software como serviço (SaaS) como um e, em seguida, uma figura combinada de plataforma como serviço (PaaS) e infraestrutura como serviço (IaaS) como outra, menor, figura - agora está relatando apenas uma figura: serviços em nuvem e suporte a licenças.

O que ele deve fazer?

Agora, no Google Cloud, Kurian será responsável por recuperar participação de mercado em relação aos líderes da nuvem, AWS, Microsoft e IBM, algo que ele não conseguiu fazer na Oracle. Isso se resumirá à sua capacidade de posicionar o Google como um participante relevante no mercado corporativo e atrair empresas de grande porte a usar a infraestrutura de nuvem do Google, uma meta que sua experiência empresarial e contatos no setor devem colocá-lo em uma posição forte para fazer.

"Estamos muito felizes em dar as boas-vindas a Thomas, cuja visão do produto, foco no cliente e profundo conhecimento serão um grande trunfo para o nosso crescente negócio na nuvem", disse Sundar Pichai, CEO do Google, em comunicado.

O Google Cloud ainda está atrás dos líderes do mercado de nuvem, mas conseguiu contar algumas grandes histórias de sucesso sob a liderança de Greene, incluindo uma migração completa da empresa pelo Spotify e um compromisso de US$ 5 bilhões e cinco anos da empresa de mídia social Snapchat.

Ray Wang, fundador e principal analista da Constellation Research - que já trabalhou ao lado da Kurian na Oracle - disse à Computerworld UK que o executivo é um líder sistemático e, como tal, seu primeiro trabalho será "sentar com uma folha de papel e olhar para o problema".

Wang acredita que, embora Greene tenha feito bons progressos para tornar o Google Cloud mais propício à empresa na nuvem pública "não foi o suficiente", disse ele.

"Os clientes corporativos precisam de um nível diferente de cuidado, e o Google não conseguiu entregar até o momento. Portanto, os recursos disponíveis para Diane podem nem sempre ter sido alocados no lugar certo, mas o recurso está lá e ele precisa se sentar e ver o que os parceiros e clientes estão dizendo", acrescentou.

Em seu blog, Greene destacou algumas dessas conquistas pessoais, incluindo o estabelecimento de uma organização de treinamento e serviços profissionais e organizações parceiras. "Renovamos a engenharia de clientes e adicionamos uma equipe de especialistas no Escritório do CTO", escreveu ela.

Greene também estava fortemente focado em tornar os recursos de machine learning e as inovações de engenharia do Google disponíveis para os clientes como um diferencial importante, por isso será interessante ver se a Kurian mantém esse rumo ou seguirá a linha de uma empresa mais tradicional.

Isso pode tomar a forma de um crescimento das equipes de vendas ou go-to-market no Google Cloud, mas essencialmente "as empresas precisam de consistência e roteiros para se ajustarem", disse Wang, e o Google Cloud precisa melhorar na oferta se quiser ter uma fatia maior do mercado de nuvem pública nos próximos anos cruciais. "O Google tem a oportunidade, mas a janela está se fechando, então há 18 meses a dois anos para consertar o navio", disse ele.

Com Kurian, o Google pensa claramente que tem a pessoa certa para fazer a transição nessa direção.