Home  >  Inovação

Venturus adota conceito de Design Sprint para processos de criação

Empresa consegue resolver problemas de processos e entregar o protótipo de um novo produto em apenas 5 dias

Da Redação

16/11/2018 às 16h29

Foto: Shutterstock

O Venturus, centro privado de pesquisa e inovação, adotou a metodologia de Design Sprint para transformar sua estratégia comercial e melhorar a performance nas vendas e do seu processo de criação de novos produtos.

O Design Sprint é uma metodologia intuitiva, prática, colaborativa e que coloca o usuário no centro do processo desde o início. Derivada do Design Thinking, o conceito serve para que as equipes possam criar e prototipar soluções de forma ágil e estruturada. O objetivo é dar vida a uma ideia com prazos curtos, comprimindo meses de discussões em um ciclo de no máximo cinco dias.

João Maia, diretor de negócios do Venturus, comenta que o jeito de fazer negócios mudou e não há mais espaço para longos debates dentro do processo de criação. "Metodologia de prototipação é a ferramenta que todo gestor precisar ter para encurtar esse caminho", destacou.

Maia ressalta que, ao inserir colaboradores de áreas distintas, os gestores de TI conseguem ampliar o campo de visão sobre os problemas e as soluções para o produto. "Para desenvolver novos negócios, é necessário aplicar conceitos que valorizem a cultura focada na experiência do cliente”, adicionou.

Tempo é dinheiro

A empresa calcula que um projeto pequeno de aplicativo, por exemplo, demora de dois a quatro meses para ser desenvolvido. Plataformas mais complexas levam de seis meses a um ano. E quanto mais tempo leva, maior é o custo. Na criação de um novo App, ao usar métodos tradicionais como o levantamento de requisitos, as incertezas e erros na concepção do produto podem consumir até 30% do investimento no projeto.

Com Design Sprint, o Venturus estima que é possível reduzir drasticamente esse custo. "Conseguimos entregar o projeto de um App em 40 horas, eliminando desperdícios e assertividade no prazo de entrega. Essa redução impacta diretamente na capacidade de realocar investimentos para outras áreas mais críticas", completou Maia.