Home  >  Segurança

América Latina tem mais de 800 mil armas de DDoS

Brasil está entre os 10 países mais atingidos por este tipo de ciberataque

Da Redação

15/11/2018 às 14h37

Foto: Shutterstock

Estudo realizado pela fornecedora de soluções de segurança cibernética A10 Networks identificou 804.744 armas de DDoS (Distributed Denial-of-Service) usadas em toda a América Latina nos últimos três meses. Estes ataques são destinados à amplificação de DDoS e ataques via IoT e podem atingir websites corporativos de qualquer lugar do mundo.

A pesquisa também apontou também que o Brasil está entre as 10 regiões que mais recebem ataques, embora não seja um dos maiores produtores de ameaças. As outras localidades que compõem essa lista são EUA, França, China, Grã-Bretanha, Holanda, Arábia Saudita, Singapura, Hong Kong e Ásia-Pacífico.

Ameaça

Embora os ataques de DDoS não resultem em roubos de dados, eles são perigosos porque servem como arma de distração, abrindo brecha para ações de grandes proporções.

Paul Nicholson, gerente de Marketing e Estratégia de Produtos da A10 Networks, explica que um dos maiores exemplos disto foi o ataque feito a uma instituição financeira da Califórnia. "O site da companhia ficou fora do ar por cerda de 24 horas e mais de US$ 900 mil foram roubados. Os hackers mantiveram os analistas de segurança ocupados com a invasão, mascarando assim o verdadeiro intuito deles", lembrou.

Variações

O estudo foi capaz de identificar também 74 tipos únicos de malware lançadores de DDoS e 174 variações de botnets conhecidas, entre elasMirai e Reaper. No mundo todo, o número de armas de DDoS frequentemente usadas, segundo o estudo, é de mais de 22 milhões.

DDoS

"Os ataques são imprevisíveis e cada vez mais complexos. A solução para mitigar estas ações está na adoção de uma proteção híbrida, inteligente e escalável para adaptar eficientemente as estratégias de mitigação nas mudanças de cenário de um ataque DDoS", completou Nicholson.