Home  >  Negócios

5 tendências que definirão o futuro da sua empresa

Reter talentos é um dos desafios das empresas de tecnologia

Vaibhav Namburi | CIO Austrália

14/11/2018 às 9h49

Foto: Shutterstock

As seis empresas mais valiosas do mundo são quase todas marcas de nomes familiares e todas são empresas de tecnologia. A Apple passou décadas estabelecendo o padrão para hardware, enquanto a Amazon mudou as expectativas no varejo.

O sucesso digital é fundamental, mesmo para aquelas empresas consideradas "tradicionais". Segundo estudo do Gartner, 84% dos entrevistados em organizações de alto desempenho são responsáveis ​​por áreas de negócios fora da TI tradicional, sendo as mais comuns inovação e transformação. O trabalho do CIO está mudando, entregando resultados de negócios cada vez mais esperados.

A transformação digital não é um objetivo final, mas uma mudança de mentalidade dentro das organizações. Confira cinco tendências que podem definir o futuro das empresas:

  1. Busca por talentos

Existe uma crise de talentos. A demanda está aumentando a cada ano e não há novos talentos se formando no setor. A Robert Half Technology entrevistou 160 CIOs/CTOs australianos e descobriu que apenas 3% disseram que o sistema educacional de hoje é capaz de atender às demandas do mercado de empregos de TI. Na verdade, 82% dizem que é mais desafiador encontrar profissionais de TI qualificados hoje em comparação a cinco anos atrás.

Na Europa, Andrus Ansip, chefe do mercado único digital da CE, afirmou: “apesar do rápido crescimento no setor de TIC, criando cerca de 120 mil novos empregos por ano, a Europa pode enfrentar uma escassez de mais de 800 mil trabalhadores de TIC qualificados até 2020”.

Além disso, um relatório recente da Deloitte Access Economics descobriu que, para acompanhar, a Austrália precisará de 100 mil funcionários extras em TIC até 2023. Para se tornar um líder global, de outros 100 mil. Com apenas 5 mil graduados a cada ano, isso significa precisar importar talentos.

linguagem de programação C

No Brasil, a Korn Ferry estima que, até 2030, a digitalização causará um déficit de 15,8 milhões de trabalhadores, perdendo a chance de crescer 13% mais.

  1. Mobilidade gera mudanças

E a experiência para quem já está no mercado não é fantástica. Desenvolvedor de banco de dados é um dos sete principais trabalhos técnicos sob demanda este ano. Mas a posição preocupantemente não tem lealdade - com três de cada quatro desenvolvedores afirmando que estão abertos a novas oportunidades em 2018, de acordo com o estudo Stack Overflow.

Dois terços disseram que perderiam o interesse em um emprego se não houvesse resposta dentro de duas semanas após uma entrevista de emprego. E tendo em mente que a Glassdoor acha que leva 4,5 semanas para preencher um papel, isso deixa muitas empresas lutando para ter a melhor equipe.

Agora existem plataformas como o openhyre.com com testes de tecnologia pré-carregados, que conectam empregadores a talentos técnicos em apenas sete cliques. Então, o recrutamento está ficando mais simplificado.

  1. Configuração de expectativa

O problema das "empresas tradicionais" é que não são apenas os gigantes da tecnologia que devem ser líderes digitais agora. Sua empresa não está mais classificada em relação à concorrência apenas em seu setor. O auge da experiência do cliente digital, logo se torna o ponto de referência contra o qual a marca é julgada.

Redesenhar a marca para uma experiência digital para seus clientes não é um processo simples.

  1. Mudança de ritmo

O pensamento legado e a falta de atitude são responsáveis ​​por um número crescente de demissões. O impacto digital nas empresas, como a loja de brinquedos Toys'R'Us, está acelerando a taxa que os concorrentes podem ficar para trás (embora outros fatores tenham contribuído para a queda da gigante dos brinquedos).

A idade média de uma empresa S & P 500 9 (Standard & Poor's - índice composto por quinhentos ativos cotados nas bolsas de NYSE ou NASDAQ), qualificadas devido ao seu tamanho de mercado, sua liquidez e sua representação de grupo industrial, é agora menor que 20 anos. Eram cerca de 60 anos na década de 1950. A velocidade da mudança está reduzida à interrupção e agora à automação, já que a indústria 4.0 reivindica mais vítimas todo mês.

As empresas que não conseguem acompanhar a mudança na tecnologia estão ficando cada vez mais para trás em taxas mais rápidas do que jamais conhecemos. A estimativa é de que, até 2027, o tempo médio de permanência das empresas na lista S&P 500 seja de apenas 12 anos, diminuindo para metade em relação ao valor de 2016. Identificar talentos digitalmente alfabetizados nunca foi tão importante.

  1. influência governamental

Para manter o talento, é preciso garantir o trabalho que eles querem contribuir. De acordo com uma Escola de Pós-Graduação em Administração de Stanford, 90% dos graduados em MBA classificaram a responsabilidade social como um dos principais quesitos na escolha de uma empresa para se trabalhar. É por isso que as startups são atraentes. A ideia de trabalhar em direção a um propósito comum é uma venda atraente aos millennials e àqueles que entram no mercado de trabalho. No entanto, as startups de pequenas empresas, como porcentagem de todas as pequenas empresas, caíram pela metade desde 2003.

Quando levados em consideração os problemas com o visto, com a obtenção de talentos estrangeiros para preencher as lacunas na indústria, fica claro o quão vital é o talento importador e a criação do ambiente certo para que eles tenham sucesso.