Home  >  Negócios

RD vislumbra futuro promissor com internacionalização

Depois de abrir escritórios na Colômbia e no México, empresa trabalha na tradução de seus produtos

Déborah Oliveira

09/11/2018 às 10h38

Foto: Filipe Carneiro/RD Summit

Em meados de 2005, Eric Santos tinha acabado de fundar seu primeiro negócio, a Praesto, uma empresa de desenvolvimento de aplicativos mobile. Rapidamente, no entanto, ele se viu diante do desafio de promover-se por meio do marketing tradicional. Faltavam, contudo, alternativas às grandes agências de publicidade. Afinal, Santos não tinha no cofre os altos montantes que as gigantes dispendem para lançar campanhas.

Foi quando ele descobriu o Inbound Marketing, técnica pouco conhecida à época que busca despertar no universo digital o interesse de cliente para que ele vá até a empresa e tenha interesse pelo o que ela oferece. A isca são conteúdos relevantes e de alta qualidade, como posts em blog, e-books e ferramentas de acompanhamento on-line. Deu certo. A empresa começou a crescer e chamar a atenção de negócios de diferentes tipos.

O executivo decidiu, então, vender a startup e focar em uma solução que pudesse ajudar pequenas e médias empresas a crescer por meio do marketing digital. Em 2010, nasceu a Sistemarketing, logo depois renomeada para Resultados Digitais (RD).

Com sede em Florianópolis, hoje a companhia soma 680 funcionários, 12 mil clientes e outros escritórios em São Paulo, Joinville, Bogotá, Cidade do México e San Francisco, nos Estados Unidos.

A empresa baseou sua estratégia em um produto: o RD Station Marketing, solução em nuvem que automatiza ações de marketing digital. Nesta semana, a empresa adicionou mais uma solução ao portfólio, o RD Station CRM, para gestão de relacionamento com o cliente. A plataforma, gratuita e voltada para pequenas e médias empresas, já foi bem recebida pelo mercado. No mesmo dia em que foi lançada, mais de mil contas de CRM foram criadas.

“Estamos em um momento especial da RD. Seguimos crescendo e com muita oportunidade de penetração. Desde o ano passado, estamos com a estratégia de crescer com base em duas frentes: expansão internacional e de produtos”, comentou Eric Santos, CEO da RD.

CI&T

Segundo ele, o CRM era uma sequência lógica à sua estratégia, já que grande parte dos clientes dizia que já havia gerado leads, mas não sabia o que fazer depois. “Quando fomos investigar esse problema, vimos que a maioria não tinha processo de gestão de relacionamento com o cliente”, disse, acrescentando que 70% da base de clientes RD não tem um CRM. “Nosso maior competidor é a planilha”, contou.

Internacionalização

Em maio de 2018, a RD sentiu a necessidade de iniciar sua jornada de internacionalização. O ponta pé foi a abertura do escritório da Colômbia e depois no México.

Essa expansão, comentou Santos, começou de forma orgânica. “Nosso software era, até pouco tempo, só em português. Começamos, contudo, a ter clientes em outros lugares. A ficha caiu quando descobri um cliente no Egito usando RD com tradutor. Começamos a estudar, entender o que estava acontecendo no mercado e decidimos pela internacionalização”, comentou.

A estratégia também está associada a timing. “Se fizermos um bom trabalho nos próximos quatro a cinco anos, vamos dominar o mercado, assim como fizemos no Brasil. Essa estratégia não só é benéfica do ponto de vista de investidores, como para o time, que tem oportunidades de carreira global.”

E apesar de recente, a jornada de internacionalização já tem gerado aprendizados. Segundo o CEO, a empresa entendeu que agora tudo o que fizer tem de ser global. Por isso que até o primeiro trimestre de 2019, o RD Station CRM terá suas versões em inglês e espanhol. O executivo não compartilhou expectativas de crescimento, mas ressaltou que o futuro é certamente promissor.