Home  >  Inovação

Novo ministro da Ciência e Tecnologia promete intercâmbio com Espanha e Canadá

Marcos Pontes, escolhido por Jair Bolsonaro para a pasta, destaca suas experiências anteriores e a importância de relações com outros países

Da Redação

30/10/2018 às 10h37

Foto:

O novo presidente eleito, Jair Bolsonaro, já definiu ao menos quatro ministros para seu governo - mesmo que ainda não tenha a definição de quantos ministérios haverá no total, já que pretende fazer uma reestruturação de ministérios.

Na pasta de Ciência e Tecnologia, para a qual Bolsonaro prometeu R$ 10 bilhões para projetos, o escolhido para assumir como ministro é o astronauta brasileiro Marcos Pontes, tenente-coronel da Aeronáutica, atualmente na reserva, conhecido como primeiro astronauta brasileiro a ir para o espaço. Pontes já havia afirmado antes da definição das eleições que aceitaria a missão e esteve com Bolsonaro no último domingo (28/10), durante a apuração dos resultados das eleições. Ele assumirá o lugar atualmente ocupado por Gilberto Kassab.

Em sua primeira entrevista após a definição da eleição de Bolsonaro - portanto praticamente oficializado como novo ministro a partir de janeiro -, Pontes fez questão de valorizar seu histórico profissional e acadêmico, para demonstrar preparo para assumir a pasta.

"Geralmente o pessoal acha que o astronauta está flutuando, mas esquece de ver a carreira toda que está por trás. Sou administrador, com ênfase em administração pública, coisa que pouca gente sabe. Sou bacharel em ciências aeronáuticas, engenheiro formado pelo ITA, tenho pós-graduação na área de integração de sistemas, tenho trabalhado com a NASA há 20 anos nessa área", afirmou, em entrevista à Rádio Jovem Pan.

Ainda, Pontes garantiu que, por ter tido a oportunidade de conhecer muito sobre Ciência e Tecnologia dentro e fora do Brasil, está preparado para conduzir o País rumo a resultados no setor. "Sou empresário também. Quando você investe em alguma coisa, você quer resultado daquilo. Quando um contribuinte investe seu dinheiro em Ciência e Tecnologia, com impostos, tem que ter um resultado da quilo. Esse resultado pode ser em produção de riquezas ou na melhoria da qualidade de vida das pessoas. Podemos interferir positivamente nos dois lados", afirmou.

Ele destacou a importância da tecnologia para setores como agricultura, ou para ajudar a resolver a seca. E, por isso, promete integração com outros ministérios. "Todos os lugares que você olha, vê muita tecnologia. Vamos fazer essa aproximação muito maior no dia a dia das pessoas."

Intercâmbio tecnológico

Pontes lembrou também que é embaixador da ONU para desenvolvimento sustentável, outro quesito que ajudou a conhecer projetos ao redor do mundo.

Ele prometeu que, assim que sentar na cadeira de ministro, vai ligar para autoridades como Pedro Duque, ministro da Ciência e Tecnologia da Espanha - também astronauta e amigo de Pontes -, bem como Julie Payette, governadora geral do Canadá, com quem Pontes dividia sala na NASA. "Pretendemos transformar esses conhecimentos em benefícios para o país", completou.

Novidade

Até o momento, Pontes não teve nenhum cargo política. Em sua página na internet, Pontes cita em sua biografia o desejo de fazer parte da política. "Se eu entrar para a política, no congresso nacional, por exemplo, tenho de adiar os planos técnicos e o sonho de voltar ao espaço por pelo menos cinco anos", comentou.