Home  >  Negócios

Nexa Resources migra para nuvem com Tivit

Mineradora migrou 60% de seu parque tecnológico para cloud, alcançando uma economia de 27% nos custos operacionais

Da Redação

29/10/2018 às 11h25

cloud_computing_smartphone
Foto: Shutterstoclk

A Nexa Resources, ex-Votorantim Metais, migoru 60% do seu parque tecnológico para a nuvem, em projeto condizido pela Tivit.

O projeto, segundo a empresa, tem como objetivo central apoiar a companhia em seu projeto de transformação digital, com foco no suporte ao plano de crescimento e desenvolvimento dos negócios da Nexa. Para esses resultados, a companhia buscou um parceiro que proporcionasse flexibilidade e agilidade no processamento de seus ambientes, garantindo, além disso, a segurança dos dados.

José Antônio Furtado, CIO da Nexa, destaca que a Tivit ofereceu as melhores soluções para a transformação digital, alinhada com a estratégia de crescimento da companhia. "Por isso, a opção foi migrar para uma solução de cloud, que tem muito mais capacidade e flexibilidade, comparada aos servidores físicos. Isso foi um ponto chave dentro da proposta, entregar o processamento em uma velocidade maior promovendo capacidade para acompanhar os planos de crescimento da companhia", afirmou.

Etapas

A equipe de especialistas da Tivit realizou um trabalho completo de jornada de nuvem, iniciando por uma etapa de Cloud Strategy, por meio da qual foram definidos os objetivos a serem alcançados e o roadmap para a jornada.

Na sequência, o projeto contou com o Workload Assessment, que foi a análise dos ambientes a serem migrados e o estudo de integração com ambientes híbridos; além do Onboarding, que já é o começo do processo de integração, quando o fluxo é iniciado, e, finalmente, o Cloud Migration, que é a transição dos workloads: a transformação dos ambientes e a integração com os serviços tradicionais de TI.

Larry Ellison - Oracle

Resultados

Um dos maiores impactos no negócio da Nexa durante a jornada para a nuvem foi o aumento da capacidade de processamento, além da simplificação no processo de gestão dos servidores. Com isso, as companhias já têm estudado a implementação da segunda fase do projeto, que contará agora com a migração dos quase 40% restantes do parque da Nexa para a nuvem, somando, ao todo, 200 servidores. "Atualmente, avaliamos quais outras áreas devem ser migradas. Para nós, o importante é viabilizar a estratégia da Nexa, e sabemos que essa análise, baseada em inteligência de negócio, é imprescindível e deve ser constante. Vamos migrar tudo o que fizer sentido", completou Furtado.