Home  >  Inovação

Arquitetura Serverless: redução de custos e tempo para inovar

O que antes gerava necessidade de gerenciamento, provisionamento, e manutenção dos servidores agora pode ser automatizando via código

Amando Amaral*

26/10/2018 às 16h29

servidores
Foto: Shutterstock

Há pelo menos uma década, ouvimos falar sobre como a jornada para a nuvem tem mudado a perspectiva dos negócios. E, hoje, percebemos cada vez mais o valor que essa tecnologia tem apresentado, justamente pelo aumento da eficácia na administração orçamentária corporativa, e na diminuição do tempo gasto na gestão de projetos e equipes. Com essa evolução, vivemos agora o momento no qual os ambientes em cloud migram para a arquitetura Serverless, ou melhor, processamento distribuído sem servidores definidos controlados por API.

É o que aponta uma pesquisa feita pelo Gartner sobre a adoção de Serverless – ou FaaS (funções como serviço) –, que mostra que essa tecnologia continuará a crescer nos próximos anos. O estudo indica que mais de 20% das empresas globais terão implantado tecnologias Serverless até 2020, o que representa um aumento considerável ante os 5% já instalados hoje.

No caminho da maturidade

Conhecida por eliminar a necessidade do sistema tradicional “sempre ligado”, essa arquitetura otimiza o trabalho da equipe usando outra tecnologia conhecida com IaC (Infrastructure as code) ou infraestrutura como código. O que antes gerava necessidade de gerenciamento, provisionamento, e manutenção dos servidores com administradores de forma manual, ou até mesmo através de ferramentas, agora pode ser automatizando via código, aumentando exponencialmente a produtividade dos administradores. Ao implantar um sistema usando essa tecnologia é possível definir exatamente a capacidade de armazenamento e o banco de dados necessários, o que otimiza o gasto para execução de uma carga de trabalho.  Em um cenário com arquitetura Serveless, toda a estrutura passa a ser gerenciada de forma automatizada, dando à organização e ao seu time, segurança e liberdade para dedicar os esforços de TI em estratégia, inovação e entrega.

Mesmo sabendo que temos um longo caminho para que todas as aplicações sejam adaptadas para usar a arquitetura Serveless, entendemos que essa estratégia está próxima a entrar na agenda de prioridades da maior parte dos CIOs.

Se esse é o tipo de flexibilidade e otimização de processos que a sua empresa precisa, mas ainda tinha dúvidas sobre qual tecnologia adotar, vale a pena procurar um especialista e entender a fundo como a arquitetura Serverless vai ajudar nos negócios.

*Amando Amaral é CTO & Head of Innovation na TIVIT

Tags