Home  >  Carreira

Seleção criteriosa e crescimento são destaque da Visagio

Consultoria carioca de engenharia de gestão alcança segunda colocação entre empresas médias no GPTW TI e Telecom

Marcelo Gimenes Vieira, especial para a Computerworld

18/10/2018 às 21h12

Foto: Divulgação

Selecionar pessoas com cuidado e rigor, principalmente estagiários e trainees que se adequem à cultura corporativa e que tenham alto potencial para que tenham o crescimento impulsionado por programas de desenvolvimento. Essa é a Visagio, consultoria em engenharia de gestão com sede no Rio de Janeiro e que aparece no ranking do GPTW TI e Telecom, publicado anualmente pela IT Mídia, desde 2009 – neste ano na segunda colocação entre as empresas consideradas médias.

Anualmente são dois processos seletivos fixos com foco em admitir estagiários e trainees, cargos que foram ocupados pela maior parte dos recursos humanos da companhia atualmente. Profissionais de mercado são contratados eventualmente conforme a demanda dos projetos, mas a empresa prefere esperar as duas ocasiões.

“Hoje, temos mais demanda do que podemos atender, pois queremos esperar nosso processo de formação interno para que as pessoas se aculturem e se formem profissionalmente antes de assumir”, conta Izaias Miguel, fundador e sócio da Visagio. “Raramente contratamos alguém no mercado, esperamos a maturação [dos funcionários atuais]. Às vezes trazemos pessoas muito boas, mas que não tem nossa cultura.”

Segundo o executivo, o segredo do processo de seleção está no envolvimento direto de todos na empresa. Ações de retenção e desenvolvimento de pessoas não são delegadas apenas para o RH, mas a todos, desde o sócio sênior ao estagiário. Enquanto o time de RH se dedica a atividades mais operacionais, como folha de pagamento e comunicados internos, o comitê de RH formado por sócios é responsável pelo direcionamento estratégico.

“É o processo mais importante da empresa, pois somos uma consultoria e vivemos de gente boa”, explica Miguel. “No nosso processo seletivo, quase todos os sócios estarão lá. Consultores e estagiários também, e isso tudo é voluntário. O cuidado que temos com as pessoas é o que nos faz melhorar ano a ano.”

Izaias Miguel, fundador e sócio da Visagio

Desenvolvimento

Feedbacks o tempo todo criam um clima de trabalho positivo, explica o sócio. Antes de começar qualquer projeto são feitos os team buildings, em que são discutidas não só metas do trabalho, mas também pessoais. Cada um estabelece uma regra de ouro (como sair mais cedo terças e quintas-feiras, por exemplo) da qual cuida ao longo do projeto. Os demais também ajudam a zelar pelas metas alheias.

Há um programa de mentoring em que desde o estagiário até o consultor sênior tem um mentor (sempre um dos sócios da consultoria) com que se reúne para obter feedbacks semestrais. Ele acompanha a carreira do colaborador como um todo e pode indicá-lo para promoções, considerando ainda uma autoavaliação e as opiniões de colegas e gestores de projeto.

Dessa avaliação surge uma nota que baliza não só promoções, mas também a participação nos lucros. O mentor também pode aconselhar e ajudar o colaborador a buscar oportunidades fora da Visagio, caso percebe que os objetivos não se alinham mais à cultura da empresa.

“Tentamos ser bastante meritocráticos para premiar mais quem vai melhor ao longo do ano. Os cargos de consultor vão de um até dez, e depois vem o [cargo] de sócio”, explica Miguel. “Começamos com cinco sócios fundadores e hoje somos 38. Ou seja, 33 entraram depois, e só dois não começaram como estagiários.”

Uma universidade interna com mais de mil horas de aulas assistidas por ano ajuda nesse processo de desenvolvimento. Há trilhas de conteúdo para times de consultoria e de tecnologia, mas interessados podem se inscrever no que quiserem.

Parcerias com universidades e instituições de ensino foram feitas, como a Ohio State, nos EUA, para a qual vão três colaboradores da Visagio por ano sem custos. A pessoa continua recebendo salário durante as sete semanas ou dois anos (no caso de um MBA). Outros cursos podem ser submetidos à aprovação do mentor e a empresa paga até 50%, se estiverem é claro relacionados ao desenvolvimento profissional.

Entre julho de 2017 e o mesmo mês de 2018, o número de promoções foi de 187. Atualmente, a Visagio tem 450 funcionários espalhados entre Rio de Janeiro, São Paulo, Londres (Reino Unido), Perth (Austrália) e Moscou (Rússia), sendo cem deles nos escritórios fora do Brasil.

Time Visagio

Bom clima

A Visagio é uma empresa jovem em dois sentidos: completou 15 anos de mercado em 2018 e tem uma média de idade de 26 anos entre os colaboradores. Isso significa que, apesar de os consultores no geral passarem pouco tempo no escritório, algumas iniciativas físicas existem – como uma sala de videogame e happy hours semanais para comemorar entregas de projeto.

São promovidos alguns eventos durante o ano, como o Visagio Way, em que são apresentados os casos de sucesso da empresa, além de resultados e objetivos. “Depois vem uma festa bem animada que vara a madrugada”, conta, rindo, Miguel.

Atividades esportivas e competições são estimuladas para promover a integração. Iniciativas de promoção da diversidade também: existe um grupo de trabalho formado apenas por mulheres para debater questões de gênero; outro (o GLOVE – Gay and Lesbian of Visagio Everywhere) discute diversidade e orientação sexual. Outras parcerias buscam fomentar a igualdade racial e a responsabilidade social.

“São uma série de ações e grupos que foram se formando de forma quase espontânea, não necessariamente por meio de uma ação de marketing ou de RH”, explica o sócio. “Acreditamos muito no empoderamento das pessoas, ‘visão de dono’ como chamamos internamente, para que busquem o que acham importante para a empresa.”

Para o futuro, a empresa pretende dar uma carreira mais empreendedora para pessoas que tenham esse perfil e queiram criar um negócio. A Visagio está criando uma incubadora de startups, que inclusive já investe em alguns produtos que em breve devem ganhar o mercado.

“Nossa visão de futuro é ser uma plataforma em que pessoas do bem façam coisas grandiosas. Tudo o que fazemos é dirigido para este propósito”, finaliza Miguel.

Top 3 entre as Médias no ranking GPTW TI

1º Microsoft

2º Visagio

3º Dextra

Tags