Home  >  Plataformas

Visiona lança sistema de controle de órbita de satélites desenvolvido no Brasil

Equipamento é responsável pelas funções de navegação, apontamento e controle do satélite

Da Redação

08/10/2018 às 13h16

satelite_cw.jpg
Foto: Shutterstock

A Visiona Tecnologia Espacial, joint-venture entre Embraer Defesa & Segurança e Telebras para integração de sistemas espaciais, anunciou a conclusão do desenvolvimento do Sistema de Controle de Órbita e Atitude de satélites, também conhecido pela sigla em inglês como AOCS (Attitude and Orbit Control System), o primeiro criado no Brasil.

O equipamento é responsável pelas funções de navegação, apontamento e controle do satélite, e é o elemento que permite a um satélite, por exemplo, apontar com precisão sua câmera para o local que se deseja coletar imagens ou ainda acionar o seu sistema de propulsão para realizar uma correção desejada de órbita.

Himilcon Carvalho, Diretor de Tecnologia da Visiona, ressalta que o desenvolvimento no Brasil de uma tecnologia sensível e frequentemente sujeita a embargos, como o Sistema de Controle de Órbita e Atitude de satélites, é um passo extremamente significativo para o avanço e autonomia da indústria aeroespacial brasileira. "Esse é o passo maior e mais complexo dentro do plano da Visiona de dominar todo software embarcado de satélites, que inclui também o sistema de controle e gestão de dados de bordo, tecnologias que julgamos fundamentais para uma integradora de sistemas espaciais", afirmou.

O próximo passo da empresa, segundo o executivo, é validar esses sistemas em um satélite operacional, o que será feito no início de 2020 com o lançamento do VCUB1.

VCUB1

O VCUB1, que conta com a participação do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de Santa Catarina (SENAI-SC), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN) no seu desenvolvimento, assim como com o apoio da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII), será o primeiro satélite projetado integralmente pela indústria nacional e deverá demonstrar a capacidade da Visiona em conceber sistemas espaciais de alto desempenho.

Apesar de estar situado na classe dos nanosatélites e possuir apenas 10 quilos de massa, o VCUB1 possui arquitetura altamente sofisticada e características como precisão de apontamento, estabilidade e geração de energia típicas de satélites bem maiores.

O satélite estará equipado com uma câmera de alta resolução espacial capaz de coletar imagens com qualidades radiométrica e geométrica superiores às encontradas no mercado, fatores fundamentais para aplicações agrícolas e de proteção do meio ambiente. O VCUB1 contará também com um sistema de coleta de dados baseado na tecnologia de rádio definido por software voltado inicialmente a aplicações de coleta de dados hidro-meteorológicos, mas que pode ser atualizado mesmo após o lançamento para a inclusão de outras aplicações de internet das coisas (IoT) de uma forma mais ampla.

João Paulo Campos, Presidente da Visiona, destaca que os resultados do projeto são extremamente animadores, pois mostram que a empresa é capaz de entregar com eficiência e eficácia mesmo os sistemas e missões mais complexos. "Estamos diante de tecnologias que poderão efetivamente ser fundamentais para as futuras missões espaciais brasileiras", afirmou.