Home  >  Negócios

Em carta aberta, CEO interino da Intel fala de escassez de suprimentos

Bob Swan informou que a empresa tem estoque necessário para atender à perspectiva de receita para o ano anunciada em julho, mas segue investindo para

Da Redação

02/10/2018 às 10h37

Em carta aberta, CEO interino da Intel fala de escassez de suprimentos
Foto: Shutterstock

Bob Swan, CFO e CEO interino da Intel, escreveu ontem (2/10) carta aberta na qual comemora o crescimento da indústria no primeiro semestre do ano. Segundo ele, o mercado tem registrado números positivos em razão do grande fluxo de dados, que precisa ser continuamente processados, armazenados, analisados e compartilhados. Cenário que está acelerando as inovações da indústria e aumentando consideravelmente a demanda por desempenho na nuvem, na rede e nas empresas.

"Até junho, o crescimento dos nossos negócios baseados em dados foi de 25% e as receitas de cloud aumentaram incríveis 43% nos primeiros seis meses do ano. Já o desempenho do nosso negócio em PCs foi ainda mais surpreendente. Como indústria, nossos produtos mostram os clientes que já é hora de adquirirem um PC novo e atualizado", afirmou ele.

Segundo ele, o cenário positivo gerou expectativa da Intel para crescimento modesto no mercado total (TAM) deste ano pela primeira vez desde 2011, impulsionado pela demanda de games e sistemas comerciais.

Desafios

Citando os desafios daqui para frente, Swan apontou que a retomada do crescimento do mercado total de PCs aumentou a pressão sobre as fábricas da Intel. Assim, revelou, a empresa está priorizando a produção dos processadores Intel Xeon e Intel Core para atender todos os segmentos de alto desempenho do mercado.

"Dito isso, há sem dúvida uma escassez de suprimentos, especialmente para o mercado de acesso para PCs. Seguimos acreditando que teremos pelo menos o estoque necessário para atender à perspectiva de receita para o ano anunciada em julho, que foi 4,5 bilhões de dólares maior do que as projeções de janeiro", comentou.

Para lidar com esse desafio, o executivo listou três ações que estão sendo colocadas em prática pela empresa:

1. Investimento

O executivo afirmou que a Intel está fazendo investimento recorde de US$ 15 bilhões nos gastos de capital de 2018, quase US$ 1 bilhão a mais do que no início do ano. "Estamos investindo US$ 1 bilhão nas nossas unidades de produção 14nm no Oregon, Arizona, Irlanda e Israel. Esse investimento, juntamente com outros aprimoramentos, está aumentando nosso estoque para atender ao aumento na demanda dos nossos clientes."

2. Progressos na área de 10nm

"Nossos rendimentos estão crescendo e prevemos uma produção em larga escala para 2019."

3. Foco no cliente

"Estamos trabalhando em conjunto com nossas equipes para alinhar a demanda ao estoque disponível. Vamos estar por perto, ouvindo as demandas, atuando como parceiros e compartilhando informações com nossos clientes", comentou.