Home  >  Negócios

GeneXus oculta complexidades no desenvolvimento, define executivo

Ricardo Recchi, country manager da empresa no Brasil, afirma que solução torna mais simples desenvolvimento e elimina horas de trabalho

Déborah Oliveira

01/10/2018 às 9h46

GeneXus oculta complexidades no desenvolvimento, define executivo
Foto: Divulgação/GeneXus

Fundada em 1988, a GeneXus está sediada em Montevidéu (Uruguai) e cresceu rapidamente. Hoje, tem escritórios no Brasil, Estados Unidos, Japão e México. Além de presença em 45 países da África, Ásia, Europa, Oceania e Américas.

A companhia nasceu pelas mãos de um professor universitário com a proposta de possibilitar um ambiente seguro para desenvolvimento de software multiplataforma. E seu diferencial, aponta Ricardo Recchi (foto), country manager da GeneXus no Brasil, está no fato de automatizar o desenvolvimento, tornando-o simples, sem que seja necessário dispor de conhecimentos profundos em codificação ou linguagens de programação.

Mas calma. A ideia da empresa não é eliminar o trabalho dos desenvolvedores. “Ao contrário. Facilitamos sua rotina”, esclarece o executivo, completando: “Somos o maior ocultador de complexidade no desenvolvimento”. Assim, por exemplo, em vez de escrever mil linhas de código usando apenas uma linguagem de programação, o profissional passa a escrever cem linhas, ou menos, em várias linguagens usando a ferramenta, reduzindo o tempo de trabalho.

“Meu maior concorrente são os desenvolvedores ‘old school’, que pensam que a tecnologia vai substituí-lo”. Mas estudos feitos pela GeneXus indicam que a ferramenta gera produtividade de três a cinco vezes superior ao método de desenvolvimento tradicional, contribuindo para o trabalho.

Apesar do ceticismo por parte de alguns, a proposta da solução da companhia é bem aceita na comunidade, garante o executivo. Tanto que ela é usada por mais de 9 mil empresas em todo o mundo, e cerca de 2 mil no Brasil, e por mais outros milhares de desenvolvedores.

Um dos exemplos de empresa que usa a tecnologia GeneXus, atualmente em sua versão 16, é a Honda. A montadora contava com mais de 60 sistemas em seu chão de fábrica e conseguiu interligá-los via GeneXus. Outro case é a Prefeitura de Blumenau, que criou, com base em GeneXus, o Pronto Mobile, aplicativo para smartphone que visa facilitar o acesso dos cidadãos aos serviços de saúde.

O app permite aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) do município tenham acesso a diversas informações, como prontuário, prescrições, histórico de vacinas, mapeamento das unidades de saúde e, futuramente, a possibilidade de agendamento de consultas eletivas médicas e odontológicas.

Inteligência artificial fomenta negócios

Empresas de TI estão voltando suas atenção para a inteligência artificial (AI, na sigla em inglês) e a GeneXus também tem acelerado suas estratégias na área, conta Recchi.

Na versão 16 do GeneXus, a interação com aplicativos móveis ou web tradicionais se somam aos chatbots, ao acesso por wearables, TV, voz e realidade aumentada. O foco é na multiexperiência para dar ao desenvolvedor um conjunto de ferramentas e processos que simplificam a criação e manutenção de software.

Segundo ele, o GeneXus 16 tem kits de integração ativos com provedores de cloud e de AI. “Temos APIs para inteligência artificial com IBM Watson, Microsoft Azure Cognitive Services e SAP Leonardo”, lista.

Já para cloud, as APIs incluem Amazon WebServices (AWS), AWS Lambda, AWS API Gateway, Google Cloud Platform, IBM Bluemix, Microsoft Azure e SAP Cloud Platform.

Tags