Home  >  Negócios

Gastos com inteligência artificial triplicarão até 2022

Valor chegará a US$ 77,6 bilhões daqui a quatro anos, três vezes mais do que os US$ 24 bi de 2018

Da Redação

21/09/2018 às 11h01

Foto: Shutterstock

Os gastos globais com sistemas de inteligência artificial (AI) e cognitivos manterão a trajetória de crescimento exponencial, segundo previsões da IDC. De acordo com estudo da consultoria, os investimentos chegarão a US$ 77,6 bilhões em 2022, mais que o triplo dos US$ 24 bilhões previstos para 2018. A taxa de crescimento composto (CAGR) para o período de previsão 2017-2022 será de 37,3%.

David Schubmehl, diretor de pesquisa da IDC, comenta que os fornecedores que buscam tirar proveito da AI deep learning e machine learning precisam se movimentar rapidamente para ganhar espaço nesse mercado emergente. "A IDC já está percebendo que as organizações que usam essas tecnologias para impulsionar a inovação estão se beneficiando em termos de receita, lucro e liderança em suas respectivas indústrias e segmentos", disse.

Software será a maior e mais rápida categoria de tecnologia em crescimento ao longo da previsão, representando cerca de 40% de todos os gastos cognitivos e de inteligência artificial com um CAGR de cinco anos de 43,1%. Duas áreas de foco para esses investimentos são aplicativos de AI de conversação (por exemplo: assistentes pessoais e chatbots) e aplicativos de machine e deeep learning (empregados em uma ampla variedade de casos de uso).

Hardware (servidores e armazenamento) será a segunda maior área de gastos até o final da previsão, quando será ultrapassado pelos gastos com serviços de TI e de negócios relacionados. Ambas as categorias experimentarão um forte crescimento em relação à previsão (30,6% e 36,4% CAGRs, respectivamente), apesar de crescerem mais lentamente do que o mercado global.

Os casos de uso cognitivo que terão o maior gasto em 2018 são agentes automatizados de atendimento ao cliente (US$ 2,9 bilhões), inteligência automatizada contra ameaças e sistemas de prevenção (US$ 1,9 bilhão), recomendação e automação de processos de vendas (US$ 1,7 bilhão) e manutenção preventiva automatizada (US$ 1,7 bilhão).

Verticais

O setor bancário e o varejo serão os dois setores que mais investirão em sistemas cognitivos/de inteligência artificial em 2018, com expectativa de que cada setor gaste mais de US$ 4,0 bilhões este ano. O setor bancário dedicará mais da metade de seus gastos a sistemas automatizados de inteligência e prevenção de ameaças e análise e investigação de fraudes, enquanto o varejo se concentrará em agentes automatizados de atendimento ao cliente, consultores de compras especializados e recomendações de produtos.

Além do setor bancário e do varejo, manufatura discreta, provedores de assistência médica e manufatura de processos também farão investimentos consideráveis ​​em sistemas cognitivos este ano. As indústrias que deverão ter o crescimento mais rápido em gastos são serviços pessoais e ao consumidor (44,5% CAGR) e governo federal/central (43,5% CAGR). O varejo passará para a primeira posição até o final da previsão, com um CAGR de cinco anos de 40,7%.

Deixe uma resposta