Home  >  Carreira

Open source: o que fazer para aderir ao conceito de código aberto

Confira algumas dicas para vencer o receio inicial e ser uma parte ativa da comunidade

Da Redação

19/09/2018 às 17h02

programação open source
Foto: Shutterstock

Legenda: programação open source

O software open source (código aberto) está presente em muitas coisas nas nossas vidas, mesmo sem percebermos. Os fãs das placas Raspberry Pi, por exemplo, se aproveitam do software open source. Servidores open-source Linux e BSD rodam nossos sites e redes corporativas, assim como unidades de entretenimento de aviões e quiosques de computadores.

O software open-source está preseta também no núcleo dos aparelhos Android. Até mesmo navegadores populares são open-source, incluindo o Firefox, o Opera e o projeto Chromium, que serve como base para o Chrome.

O software open-source é hoje um elemento fundacional do mundo computadorizado graças aos esforços de inúmeras organizações, desenvolvedores independentes e usuários comuns.

E, por trás do conceito de compartilhamento de códigos, existe uma forte comunidade, cada vez mais ativa. A comunidade Rails é um dos exemplos de lugares onde você pode encontrar tanta coisa que nunca parece que encontrará algo novo para criar.

Você pode até tentar resolver alguns problemas, mas os comentários já existentes parecem vir de pessoas que sabem tanto que o cenário pode ser intimidante.

Para vencer esse compreensivo receio inicial e ser uma parte ativa da comunidade, confira algumas dicas da startup Mastertech, para entrar de vez no mundo do open source.

Não é mágica

Se você perguntasse para seu eu de três anos de idade como era possível que tantas pessoas soubessem se comunicar e escrever com tanta facilidade, ele também diria que era bruxaria (se ele soubesse falar). Nós só começamos a tirar as pessoas dos pedestais que colocamos quando vamos nos familiarizando com o que elas sabem.

No open source, seu primeiro passo é parar de utilizar as bibliotecas para tudo e começar a criar as suas. Não precisa ser algo inédito nem melhor do que qualquer um, só precisa ser seu. Com o passar do tempo você vai ver que provavelmente poderia ter construído grande parte das coisas que vê na comunidade e vai ter mais confiança para apresentar as suas soluções para o mundo.

Compartilhar é se importar

Enquanto algumas pessoas fazem da sua vida o trabalho de participar ativamente de diversos códigos open source, você pode começar com aqueles que realmente precisou ter algum contato. Por exemplo, se estiver desenvolvendo determinado software e encontrar um framework útil em alguma comunidade, mas que falta um feature X ou Y, você pode contribuir incorporando essa característica ao projeto.

Não subestime o poder das pequenas mudanças, elas podem ser tudo que alguém precisava para resolver um problema do qual não conseguiam tirar sua cabeça. Você vai perceber com o tempo o quanto isso é gratificante, para você e para os outros. O que me leva ao próximo ponto:

Open source é viciante

Contribuir para open source é realmente viciante! Saber como dobrar o código às suas vontades pode mesmo fazer você se sentir como um bruxo, mas transformar um código já existente de alguém em algo melhor é ainda mais mágico. O sentimento quando o criador concorda com suas mudanças é indescritível e vai aumentar ainda mais sua paixão por programação.

Como fazer sua contribuição no GitHub

Para contribuir no GitHub, por exemplo, é só achar a biblioteca que quer adicionar algo e clicar no botão Fork. O próximo passo é Clonar a biblioteca e fazer as mudanças no arquivo do repositório. Depois é só mudar o nome do arquivo para algo que reflita as mudanças realizadas e adicionar novamente ao GitHub. Confira em seu perfil se o arquivo está correto e mande o pedido para o criador original da biblioteca. Por fim, você pode notificar o criador original de sua mudança por meio de um tweet.

Algumas modificações simples para começar são: alterar o ReadMe para adicionar informações úteis sobre o código, adicionar funções extras similares ou alterar o código de refatoração. Trabalhar com open source vai ser uma ótima forma de aprender a partir dos melhores e aperfeiçoar suas práticas!

1 Trackback

Deixe uma resposta