Home  >  Carreira

4 dicas para conseguir um emprego em empresas de tecnologia

Existem alguns pontos que os recrutadores analisam e que ainda não te contaram. Saiba quais são

Da Redação

18/09/2018 às 18h03

profissional_satisfeito
Foto: Shutterstock

Em meio ao alto índice de desemprego no Brasil, profissionais buscam se reinventar em busca de um novo emprego.

Um dos mercados que tem atraído diversas pessoas é o de Tecnologia da Informação (TI), que ainda oferece boas oportunidades.

Mas o que será que os recrutadores das grandes empresas de tecnologia analisam quando querem preencher uma nova vaga? Será que a formação acadêmica já basta? Se esta é a sua estratégia, a péssima notícia é que todos os demais concorrentes também farão o mesmo.

É o que alerta Lorena Rocha, gerente de recrutamento da Ewave Brasil. A especialista afirma que existem alguns pontos que os recrutadores analisam e que ainda não te contaram.

Lorena selecionou quatro pontos chaves que podem definir quem assume um novo posto e quem vai seguir procurando um novo trabalho. Confira:

Buscar Conhecimento

Lorena diz que um bom profissional precisa ser autodidata. Quem trabalha com tecnologia sabe que a natureza do negócio possui a característica de constantes atualizações e mudanças. "O profissional tem que estar atento. Na Internet, existe muita informação, diversos fóruns, cursos de forma gratuita e alguns pagos que não tem um valor tão elevado. É possível estar se atualizando com o que há de melhor prática no mercado."

Relacionamento

Outro ponto analisado pelos recrutadores é o relacionamento interpessoal, detalhe fundamental na hora da decisão final. "Não basta apenas saber executar alguma atividade. Este profissional precisa saber interagir com clientes, fornecedores, usuários, colegas de trabalho e com quem está na gestão imediata. A falta de boa comunicação pode atrapalhar a busca por uma oportunidade."

Inteligencia Emocional

Outro ponto destacado pela profissional é a inteligência emocional, uma vez que o mercado está muito competitivo - e essa competitividade seguirá sendo uma tendência. "Profissionais que tenham resiliência, a capacidade de encarar os desafios e o mercado, consegue se destacar. As empresas querem pessoas que não absorvam problemas do trabalho. Este equilíbrio entre a vida profissional e pessoal faz toda a diferença."

Estar por dentro do que a empresa faz

Muitos profissionais não estão atento em ter mais conhecimento sobre o negócio da empresa. Lorena explica que demonstrar interesse em buscar e apresentar soluções é uma característica pessoal que chama a atenção imediatamente. "O profissional que mostrar esta proatividade na hora de ser recrutado tem muita chance de ser contratado. Mais ainda, uma vez contratado este profissional vai conseguir fazer parte do todo e novas oportunidades vãos se abrindo."