Home  >  Carreira

Cresce participação de empreendedoras no e-commerce brasileiro

Empreendedorismo feminino manteve o ritmo de crescimento no mercado brasileiro de comércio eletrônico e já representam quase 60% do total

Da Redação

11/09/2018 às 17h46

mulher empreendedora
Foto: Shutterstock

O empreendedorismo feminino manteve o ritmo de crescimento no mercado brasileiro de e-commerce. Dados de levantamento realizado pela Nuvem Shop confirmam o histórico desde 2016, no qual houve um aumento progressivo do empreendedorismo feminino, numa crescente de 48,20% em 2016, 50,30% em 2017 e, agora, 57,60% em 2018. Os resultados foram extraídos da base de dados de quase 200 mil lojas cadastradas na plataforma de serviços de e-commerce da Nuvem Shop no Brasil (de julho de 2017 a julho de 2018).

De acordo com Danniela Karam, Gerente de Marca e Marketing da Nuvem Shop, o levantamento confirma o avanço das mulheres que ganham cada vez mais espaço nesse mercado. “Estamos em um momento em que o empoderamento feminino tem ajudado a quebrar paradigmas e estimular mulheres a abrirem o próprio negócio. E isso tem se refletido em nossa própria base, que hoje já é de maioria feminina”, apontou.

O levantamento da Nuvem Shop mostra que o segmento de moda possui o maior volume de líderes mulheres (64%), seguido de saúde e beleza (58%), casa e decoração (45%) e eletrônicos (23%).

Poder feminino

O crescimento da participação das mulheres no empreendedorismo também é destascado em outros estudos. A última pesquisa realizada pelo Fórum Empreendedoras, com 1,3 mil mulheres no Brasil, revela que 85% já são empreendedoras, enquanto 15% pensam em empreender. Ainda, a Pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) 2016, realizada em parceria com o Sebrae, mostrou que a taxa de sucesso do empreendedorismo feminino de empresas com até três anos e meio de existência ficou em 15,4% frente a 12,6% entre os homens.

O relatório apontou ainda que as mulheres foram responsáveis por 51,5% dos novos negócios criados no Brasil em 2016. A persistência feminina se confirma com o estudo realizado pelo The Boston Consulting Group, que revelou que startups fundadas por mulheres faturam mais do que as empresas fundadas por homens. Para cada dólar de financiamento, as startups com mulheres fundadoras geraram 78 centavos, enquanto as fundadas por homens renderam menos da metade disso - 31 centavos.