Home  >  Inovação

SP passa a contar com centro de inovação para área do Direito

Future Law Innovation Center, da Thomson Reuters, tem como objetivo proporcionar ambiente de diversidade e integração profissional

Da Redação

06/09/2018 às 10h02

Foto: Divulgação/Thomson Reuters

A cidade de São Paulo acaba de ganhar um centro de inovação e tecnologia voltado para o Direito. Trata-se do Future Law Innovation Center (FLIC), da Thomson Reuters, iniciativa da plataforma de transformação digital Future Law com apoio da multinacional de soluções em tecnologia Thomson Reuters.

Localizado na esquina da Avenida Pres. Juscelino Kubitschek com Avenida Brigadeiro Faria Lima, um hub de empresas na zona Sul de São Paulo, o objetivo do FLIC é proporcionar um espaço de liberdade com estímulo à inovação e à diversidade, para fomentar o desenvolvimento de soluções práticas e respostas confiáveis para diferentes segmentos da economia e da sociedade.

A Future Law conta com o apoio da Thomson Reuters e é uma iniciativa dos advogados Christiano Xavier, mestre em Direito dos Negócios pela FGV; Alexandre Zavaglia, professor e palestrante especializado em Direito Digital; e Bruno Feigelson, diretor-presidente da Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs.

“A tecnologia avançou exponencialmente nos últimos anos e o cruzamento de dados para a solução de problemas jurídicos complexos é um grande diferencial, pois o mundo todo está caminhando para o movimento data-driven. Temos que preparar os profissionais para essa nova realidade, para otimizar o uso de seu tempo de trabalho para tarefas de alto valor agregado e que permitam mais eficácia e assertividade”, explica Alexandre Zavaglia Coelho, VP de Educação da Future Law.

Por dentro do FLIC 

O FLIC conta com dezenas de professores e orientadores que atuam em empresas referência em seus segmentos. É uma forma de garantir conteúdos de qualidade e que representem a realidade do mercado. O centro terá cursos de direito, inteligência artificial, uso de dados, marketing, inovação, empreendedorismo, futuro tributário, entre outros.

Além de promover palestras, debates e eventos Hackathons sobre temas correlacionados, o espaço conta com dois laboratórios de inovação – cada um com capacidade para 40 pessoas – e um ambiente que permite a configuração do espaço em salas de aula. A estimativa é que cerca de 800 pessoas circulem pelo local todos os meses.

Uma das apostas do FLIC para alcançar bons resultados é promover a diversidade, sobretudo por meio da metodologia de Design Thinking: unir profissionais de diferentes setores para discutir possíveis soluções para o mesmo tema e, dessa forma, chegar a denominadores comuns que possam viabilizar inovações que saiam do papel.

Principalmente em ações e projetos sociais. Um dos exemplos que já está sendo estudado é o desenvolvimento de tecnologias que aproximem pessoas que denunciam a violência contra mulher do poder público, facilitando o diálogo e o combate a este tipo de crime.

“A tecnologia não tem valor sem a experiência e o conhecimento técnico dos profissionais do Direito. A tendência é a criação de equipes multidisciplinares e a utilização crescente de metodologias de design jurídico. Estamos em um momento de mudança da cultura de gestão na nossa área”, afirma Christiano Xavier, CEO da Future Law.

Inovação

Outro importante pilar para propiciar um ambiente moderno é a estrutura pensada em inovação. O espaço é amplo e livre, sem paredes, aberto a diferentes profissionais e empreendedores, de forma a estimular a integração e troca de ideias.

Por que o Brasil?

O FLIC é o primeiro centro de inovação patrocinado pela Thomson Reuters na América Latina. O Brasil foi escolhido devido à relevância do mercado local, potencial criativo e complexidade regulatória. A empresa já desenvolve eventos e programas de aceleração de startups para os segmentos jurídico, de comércio exterior e de gerenciamento de risco. “Enquanto vemos no mundo a criação de grandes corporações de tecnologia, temos o maior número de ações e todas as condições para desenvolver as mais avançadas inovações para melhorar a prestação de serviços jurídicos. Não tenho dúvidas de que nosso país será referência mundial nessa área“, ressalta Bruno Feigelson, Head de Futurismo da Future Law.

Fora do Brasil, a Thomson Reuters é mantenedora do CodeX Stanford Center for Legal Informatics, centro de inovação para o direito na Universidade Stanford, na região do Vale do Silício, nos EUA .A companhia também mantém seis laboratórios de inovação (Boston, Cidade do Cabo, Waterloo, Londres, Cingapura e São Francisco), que colaboram para resolução de grandes problemas globais, usando ciência de dados e técnicas lean, assim como uma incubadora de startups (Zurique), e iniciativas como a promoção de mentorias, a oferta de recursos de parceiros, escritórios, networking e acesso a dados e tecnologias.

1 Trackback

Deixe uma resposta