Home  >  Plataformas

Empresas devem se unir para fomentar desenvolvimento de IoT

Associação Brasileira de Internet das Coisas quer incentivar a troca de informações para acelerar iniciativas na área

Da Redação

31/08/2018 às 9h02

Foto: Shutterstock

O avanço da tecnologia tem trazido cada vez mais atenção ao conceito de internet das coisas (IoT na sigla em inglês). A possibilidade de conectar qualquer dispositivo à internet pode impactar diretamente nos negócios, na cultura e na vida em sociedade de forma geral. Com o seu uso ainda limitado, inclusive no Brasil, diversas iniciativas têm despontado com o intuito de difundir e popularizar o uso desta ferramenta que já está trazendo avanço nas áreas agrícola, automotiva, saúde, transporte e mobilidade e tantas outras que podem impactar diretamente na vida das pessoas.

A Associação Brasileira de Internet das Coisas (ABINC) quer fomentar o mercado, cumprindo seu objetivo de incentivar a troca de informações, fomentar a atividade comercial, promover atividades de pesquisa e desenvolvimento, atuar junto às autoridades governamentais envolvidas no âmbito da IoT e representar e fazer parcerias internacionais com entidade do setor.

Para Flávio Maeda, presidente da ABINC, não existe indústria que ficará à margem das transformações proporcionadas pela internet das coisas: “Todas as verticais de negócios já possuem casos de uso de IoT com destaque para o Varejo, Saúde, Transporte e Logística, Energia, Manufatura (com a chamada Indústria 4.0), Agronegócio, Seguros e Cidades Inteligentes. A IoT proporcionará ganhos de eficiência e redução de custos na casa de trilhões de dólares. Mas o principal fator de importância econômica serão os novos Modelos de Negócios que atualmente só existem no mundo digital da Internet, mas que trarão receita incremental para todas as verticais de negócios do mundo físico”, afirma.

Para o Brasil se posicionar, rapidamente, como um player mundial de peso em IoT é condição primordial a formação de um ecossistema forte e robusto, defende a ABINC. “A cooperação é condição vital de sucesso na IoT”, enfatiza Maeda.

IoT em números

A expectativa para o setor é de que até 2020 cerca de 25 trilhões de equipamentos estejam integrados a sistemas inteligentes em todo o mundo, atendendo 4 bilhões de pessoas conectadas em cerca de 25 milhões de aplicativos disponibilizando cerca de 50 trilhões GBs de dados.

Por isso a IoT já é considerada a mais promissora plataforma de tecnologia do mundo e deve movimentar US$ 19 trilhões até a próxima década, segundo previsões da Cisco. Desse montante, a América Latina será responsável por US$ 860 bilhões, sendo o Brasil o detentor de US$ 352 bilhões - US$ 70 bilhões por parte do setor público e US$ 282 bi do privado. Na sequência vêm México, com US$ 197 bilhões, Argentina, com US$ 79 bilhões, e Colômbia, com US$ 64 bilhões.

Tags

Tags:, ,