Home  >  Negócios

VMware e AWS: o que a extensão da parceria significa para as duas empresas

Entenda como novos serviços em conjunto podem trazer vantagens e representar novos mercados para as companhias

Guilherme Borini

28/08/2018 às 9h52

aws e vmware
Foto: Guilherme Borini

O painel de abertura do VMworld 2018, evento anual da VMware realizado nesta semana em Las Vegas (EUA), teve uma participação especial. Andy Jassy, CEO da Amazon Web Services (AWS), foi convidado para subir ao palco ao lado de Pat Gelsinger, CEO da VMware, quem conduziu a apresentação.

De início, os executivos anunciaram a expansão geográfica do recém-lançado serviço VMware Cloud on AWS, que agora está disponível também na região Ásia-Pacífico, a partir do data center da provedora de nuvem na Austrália.

O VMware Cloud on AWS permite que as organizações migrem e ampliem diretamente ambientes locais baseados no VMware vSphere para execução na nuvem AWS em infraestruturas do Amazon Elastic Compute Cloud (Amazon EC2). O serviço, segundo as empresas, é ideal para organizações de infraestrutura e operações de TI corporativas que precisam migrar cargas de trabalho locais baseadas no vSphere para a nuvem pública, consolidar e ampliar recursos de data centers, além de simplificar e modernizar soluções de disaster recovery.

Mas o principal anúncio que as empresas planejavam viria na sequência: a disponibilização do Amazon Relational Database Service (Amazon RDS) - ferramenta que visa facilitar configurar, operar e escalar bancos de dados relacionais na nuvem - na infraestrutura VMware.

O Amazon RDS on VMware - como foi batizada a nova oferta - estará disponível nos próximos meses e busca facilitar aos clientes os processos de configuração e operação de bancos de dados em data centers e ambientes híbridos definidos por software baseados em VMware, além da migração para a nuvem pública AWS ou VMware Cloud on AWS.

O serviço permite aos usuários VMware a criação e o gerenciamento de banco de dados em data center privado ou na nuvem pública AWS, em uma mesma plataforma.

Jassy destacou que centenas milhares de clientes confiam no Amazon RDS para gerenciar seus bancos de dados em grande escala. "Estamos felizes em trazer este mesmo serviço operacional para clientes híbridos da VMware, o que não só tornará a gestão de bases de dados mais fácil para as empresas, como também simplifica a transição desses bancos de dados para a nuvem", afirmou.

Impactos para as empresas

Levar o RDS para a VMware, independentemente de ser em cloud ou em data center próprio do cliente, é um novo passo para ambas as empresas.

O anúncio reforça a nova estratégia da AWS para suportar a computação corporativa fora de suas próprias instalações, mesmo em um momento de forte migração para a nuvem, área que a companhia lidera o mercado - e, ao mesmo tempo, vê o crescimento de outros fortes concorrentes, como Microsoft Azure e Google Cloud. O movimento fortalece ofertas de nuvem híbrida da AWS e bate de frente justamente com esses rivais, que vêm se concentrando nesses tipos de implementações de nuvem híbrida há algum tempo.

Agora, a AWS parece ter entrado de vez no jogo. Isso porque a nova oferta pode representar, por exemplo, uma ameaça para o Azure Stack, extensão da Microsoft que traz a inovação da computação em nuvem para criar e implantar aplicativos híbridos em qualquer lugar. E também pode desafiar a Oracle, que opera sua própria nuvem pública.

No anúncio, AWS e VMware dizem que, com a nova oferta, clientes poderão usar a tecnologia da AWS para executar e gerenciar bancos de dados de Microsoft SQL Server, Oracle, PostgreSQL, MySQL e MariaDB em seus próprios data centers. A ideia, segundo a AWS, é facilitar o processo de gerenciamento e configuração de bancos de dados das empresas onde quiserem hospedar seus dados, e depois migrá-los para a AWS quando desejarem.

Gelsinger comentou que, quando a VMware firmou a parceria para o VMware Cloud on AWS, a mensagem foi clara: estamos dando aos clientes o que eles querem: o melhor dos dois mundos dos líderes em nuvem privada e pública. "Com Amazon RDS for VMware, estamos fazendo isso de novo", disse.

"Desta vez, estamos levando a inovação da AWS para centenas de milhares de clientes que fizeram da VMware sua infraestrutura de nuvem privada como sua escolha. Com esta oferta, usuários finais e administradores de banco de dados agora têm acesso a um banco de dados semelhante à nuvem, em qualquer ambiente que optem por executar", completou.

Para a VMware, o fortalecimento da parceria com a AWS é mais um passo da sua estratégia de multicloud, em que a companhia pretende fazer o papel de governança e orquestração dos diversos tipos de nuvens escolhidas pelos clientes. Estratégia que inclui também outras plataformas de cloud, como Azure, Google Cloud e IBM, sob a missão de ter soluções agnósticas. Mas a relação com a Amazon está um passo à frente.

VMware Cloud on AWS no Brasil

A VMware e seus parceiros entregam, vendem e oferecem suporte ao VMware Cloud on AWS em todo o mundo, com disponibilidade nas seguintes regiões da AWS: Oeste dos EUA (Oregon), Leste dos EUA (Norte da Virgínia), Europa (Londres), Europa (Frankfurt) e, agora, Ásia-Pacífico (Austrália).

Jassy garantiu que os planos de levar o serviço a todas as instalações da AWS, conforme anunciado no lançamento, segue de pé. No próximo trimestre, Tóquio (Japão), Irlanda, Carolina do Norte (Oeste dos EUA), Ohio (Leste dos EUA) e AWS GovCloud (EUA) receberão a novidade. No ano que vem, Cingapura, Mumbai, Canadá, Paris (França), São Paulo, Hong Kong, Osaka (Japão) e Seoul (China) serão os contemplados.

André Andriolli, diretor de engenharia de sistemas da VMware Brasil, diz que a escolha das prioridades foi por demanda, por isso a prioridade com EUA e Europa, agora Ásia e, na sequência, o Brasil.

Já José Duarte, presidente da VMware Brasil, destaca que diversos clientes locais já estão utilizando o serviço, com base em data centers no exterior. Mas a chegada da oferta para o data center local fortalecerá questões como latência e possíveis problemas de governança.

Atualizações do VMware Cloud on AWS.

Além dos anúncios das disponibilidades globais, a VMware apresentou as últimas atualizações da solução. Confira as principais:

• Preço de entrada de 50% menor e nova configuração mínima: a VMware reduzirá a preço de entrada para VMware Cloud on AWS em 50% e oferecer um mínimo de 3 hosts menor Configuração do SDDC como ponto de partida para cargas de trabalho de produção. Por um tempo limitado, a VMware oferecerá o ambiente SDDC de 3 hosts para o custo de uma configuração de 2 hosts.

• Otimização de licenças para aplicativos corporativos (Oracle/Microsoft): com nova CPU customizada capacidades de contagem de núcleo, os clientes serão capazes de especificar apenas o número de núcleos de CPU que eles necessidade, reduzindo o custo de execução de aplicativos essenciais que são licenciados por CPU testemunho. Com o VM-Host Affinity, os clientes poderão fixar cargas de trabalho em um grupo de hosts específico para apoiar os requisitos de licenciamento.

• Evacuação instantânea do data center com migração ao vivo de milhares de VMs: os clientes poderão para viver migrar milhares de VMs com tempo de inatividade zero e agendar exatamente quando cortar para o novo ambiente de nuvem com o VMware NSX Hybrid Connect (anteriormente conhecido como Extensão de nuvem híbrida da VMware) com tecnologia do vMotion e do vSphere Replication.

• Nova opção de armazenamento de alta capacidade, apoiada pelo Amazon Elastic Block Store (Amazon EBS): os clientes poderão dimensionar de forma independente requisitos de recursos de computação e armazenamento, e reduzir custos para cargas de trabalho exigentes em capacidade de armazenamento com novos clusters.

• Segurança centrada em aplicativos com o VMware NSX: os clientes ganharão controle granular sobre tráfego leste-oeste entre cargas de trabalho em execução no VMware Cloud na AWS por meio de microssegmentação fornecido pelo NSX. Políticas de segurança podem ser definidas com base na carga de trabalho. Os atributos (por exemplo, nomes de VM, versões do sistema operacional) e tags definidos pelo usuário são aplicados dinamicamente em o nível da VM e siga as cargas de trabalho onde quer que elas sejam movidas.

• Custo/desempenho otimizado com escalonamento automático: o Elastic DRS permite que os usuários automatizem o VMware Nuvem no dimensionamento de cluster da AWS. O Elastic DRS permite a ampliação ou redução automatizada de hosts e rebalanceamento de clusters, com base nas necessidades dos aplicativos e das políticas o cliente define.

• Gerenciamento de log em tempo real sem custo adicional: a VMware adicionou o VMware Log Intelligence para o núcleo do VMware Cloud no serviço AWS, oferecendo aos clientes acesso a VMware Cloud nos logs de auditoria da AWS para maior segurança e conformidade sem custo.

*O jornalista viajou a Las Vegas (EUA) a convite da VMware

Deixe uma resposta