Home  >  Plataformas

Você conhece o conceito de arquitetura de TI TOGAF?

Conceito ajuda a organizar o processo de desenvolvimento por meio de uma abordagem sistemática que visa reduzir erros, manter cronogramas e orçamento

Sarah K. White - CIO (EUA)

16/08/2018 às 14h14

Foto: Shutterstock

O Open Group Architecture Framework (TOGAF) é um framework que ajuda a construir uma arquitetura de TI corporativa que oferece uma estrutura de alto nível para o desenvolvimento de software. O TOGAF ajuda a organizar o processo de desenvolvimento por meio de uma abordagem sistemática que visa reduzir erros, manter cronogramas e orçamento, além de alinhar a TI com as unidades de negócios para produzir resultados de qualidade.

O Open Group desenvolveu o TOGAF em 1995 e, em 2016, 80% das empresas do rol Global 50 e 60% das empresas da Fortune 500 usaram o framework, gratuito para as organizações usarem internamente, mas não para fins comerciais.

As empresas podem ter ferramentas, software ou programas de treinamento certificados pelo The Open Group. Atualmente, existem oito ferramentas certificadas do TOGAF e 71 cursos credenciados oferecidos por 70 organizações.

Visão geral do TOGAF
Como outros frameworks de gerenciamento de TI, o TOGAF ajuda as empresas a alinharem as metas de TI com as metas gerais de negócios, ao mesmo tempo em que ajuda a organizar os esforços de TI entre departamentos. Auxilia a definir e organizar os requisitos antes do início de um projeto, mantendo o processo em movimento rapidamente com poucos erros.

O Open Group afirma que o TOGAF se destina a:

- Garantir que todos falem o mesmo idioma

- Evitar o aprisionamento de soluções proprietárias padronizando métodos abertos para arquitetura corporativa

- Economizar tempo e dinheiro e utilizar recursos de maneira mais eficaz

- Obter ROI demonstrável

Benefícios de negócios do TOGAF
O TOGAF ajuda as organizações a implementar a tecnologia de software de maneira estruturada e organizada, com foco na governança e no cumprimento dos objetivos do negócio. O desenvolvimento de software depende da colaboração entre vários departamentos e unidades de negócios, tanto dentro como fora de TI, e o TOGAF ajuda a resolver qualquer problema relacionado à obtenção das principais partes interessadas.

O TOGAF se destina a ajudar a criar uma abordagem sistemática para simplificar o processo de desenvolvimento, de modo que ele possa ser replicado, com o mínimo de erros ou problemas possíveis, à medida que cada fase do desenvolvimento muda de mãos. Ao criar uma linguagem comum que preenche as lacunas entre a TI e os negócios, ajuda a trazer clareza a todos os envolvidos. É um documento extenso - mas você não precisa adotar todas as partes do TOGAF. É melhor que as empresas avaliem suas necessidades para determinar em quais partes dp framework se concentrar.

A evolução do TOGAF
O TOGAF é baseado no TAFIM (Framework de Arquitetura Técnica para Gerenciamento de Informações), uma estrutura de gerenciamento de TI desenvolvida pelo Departamento de Defesa dos EUA na década de 1990. Foi lançado como um modelo de referência para arquitetura corporativa, oferecendo insights sobre a própria infraestrutura técnica do DoD, incluindo como ela é estruturada, mantida e configurada para se alinhar a requisitos específicos. Desde 1999, o DoD deixou de usar o TAFIM  e foi eliminado de toda a documentação do processo.

O Architecture Development Method (ADM) é o coração do TOGAF. O ADM ajuda as empresas a estabelecer um processo em torno do ciclo de vida da arquitetura corporativa. O ADM pode ser adaptado e personalizado para uma necessidade organizacional específica, que pode ajudar a informar a abordagem do negócio à arquitetura da informação. A ADM ajuda as empresas a desenvolver processos que envolvem vários pontos de verificação e estabelecem com firmeza os requisitos, para que o processo possa ser repetido com erros mínimos.

O TOGAF foi lançado em 1995, expandindo os conceitos encontrados no framework TAFIM. O TOGAF 7 foi lançado em dezembro de 2001 como “Edição Técnica”, seguido pelo TOGAF 8 Enterprise Edition em dezembro de 2002; foi então atualizado para TOGAF 8.1 em dezembro de 2003. O Open Group assumiu o TOGAF em 2005 e lançou o TOGAF 8.1.1 em novembro de 2006. O TOGAF 9 foi introduzido em 2009, com novos detalhes sobre a estrutura geral, incluindo diretrizes e técnicas aprimoradas. A versão mais recente do TOGAF é o TOGAF 9.1, lançado em 2011.

Pilares do TOGAF
Existem quatro domínios de arquitetura no TOGAF 9.1 que oferecem especializações para empresas.

Arquitetura de negócios: inclui informações sobre estratégia de negócios, governança, organização e como adaptar os processos existentes dentro da organização.

Arquitetura de aplicativos: um projeto para estruturar e implantar sistemas de aplicativos e de acordo com as metas de negócios, outras estruturas organizacionais e todos os principais processos de negócios.

Arquitetura de dados: definição do armazenamento, gerenciamento e manutenção de dados da organização, incluindo modelos de dados lógicos e físicos.

Arquitetura técnica: também chamada de arquitetura de tecnologia. Descreve todo o hardware, software e infraestrutura de TI necessários para desenvolver e implantar aplicativos de negócios.

O que há de novo no TOGAF 9.1?
A versão mais recente do TOGAF foi atualizada para incluir:

Metamodelo de conteúdo: este processo de ciclo de vida orienta a criação e o gerenciamento da arquitetura corporativa dentro das diretrizes do ADM. Ele ajuda as empresas a implementar a arquitetura proprietária em outra ferramenta de arquitetura, usando listas de verificação de saída, uma abordagem simplificada e um padrão mais detalhado e detalhado para a descrição de arquiteturas.

Particionamento: o TOGAF 9 apresenta sugestões e orientações para particionar arquiteturas específicas dentro da empresa.

Repositório de Arquitetura: Funciona como um documento que contém todos os detalhes relativos à arquitetura corporativa e a qualquer projeto relevante, e inclui ideias, projetos, estruturas, políticas, processos e assim por diante.

Enterprise Continuum: Este documento aborda os conceitos mais abstratos no framework, estabelecendo como tudo definido no repositório de arquitetura se encaixa no processo e como cada ativo se relaciona entre si e com o framework TOGAF. É também como as empresas podem ajudar a TI e outras unidades de negócios a se relacionarem umas com as outras com uma linguagem comum, para melhorar a comunicação e reduzir a confusão.

Diretrizes e técnicas da ADM: isso expande as informações no ADM, incluindo como aplicá-las em sua organização, quando elas devem ser usadas, como elas se relacionam com o TOGAF e considerações de segurança.

Certificação TOGAF e treinamento
A certificação TOGAF do The Open Group consiste em dois níveis: Certificação TOGAF Nível 1, que cobre os fundamentos do TOGAF 9.1; e a certificação TOGAF Nível 2, que cobre seu conhecimento prático do TOGAF e todas as tecnologias, ferramentas e conceitos relevantes. A certificação é oferecida por meio do The Open Group nos níveis individual e organizacional e não precisa ser renovada. No entanto, se uma nova versão do TOGAF for lançada, talvez seja necessário obter a certificação na versão mais recente da estrutura no futuro.

A certificação TOGAF é especialmente útil para arquitetos corporativos. É também uma certificação neutra de fornecedor que tem reconhecimento global. A obtenção da uma certificação TOGAF demonstrará a capacidade do profissional de usar a estrutura do TOGAF para implementar tecnologia e gerenciar a arquitetura corporativa. Ele validará suas habilidades para trabalhar com o TOGAF, já que o gramework se aplica a dados, tecnologia, aplicativos corporativos e metas de negócios.

Deixe uma resposta