Home  > 

Google recebe multa recorde de 4,3 bilhões de euros por prática antitruste

Comissão europeia alega que empresa tem feito do Android um veículo para consolidar seu motor de busca; Google informou que vai recorrer da decisão

Da Redação

18/07/2018 às 11h33

Foto:

O Google recebeu nesta quarta-feira (18) uma multa recorde de 4,34 bilhões de euros aplicada pela União Europeia. A companhia é acusada de abusar da posição de liderança do sistema operacional Android para garantir a hegemonia do seu buscador online. 

"O Google usou o Android como um veículo para consolidar a posição dominante de seu motor de busca. Essas práticas (...) privaram os consumidores europeus das vantagens de uma concorrência efetiva", alegou Margrethe Vestager, comissária europeia de Concorrência. O sistema operacional é líder global, sendo usado por cerca de 80% de smartphones em todo mundo. 

Segundo informações do jornal Deutsche Welle, reguladores do mercado afirmam que o Google teria obrigado fabricantes de smartphones, como Samsung e Huawei, a instalar o mecanismo de busca Google Search e o navegador Chrome caso quisessem ter acesso a outros apps da companhia. Além disso, teria oferecido "incentivos financeiros" a fabricantes e operadoras de redes de telefonia celular, caso elas pré-instalassem, o buscador em seus aparelhos.

Multa recorde 

A multa imposta pela Comissão Europeia é a maior emitida pelas autoridades antitruste da União Europeia. O órgão determinou que as práticas do Google são ilegais e deu um prazo de 90 dias para que elas sejam encerradas. Caso contrário, a companhia pode enfrentar novas multas que podem ir até 5% da média mundial do volume de negócios diário da Alphabet, empresa que detém o Google. 

Apesar do valor alto, a pena representa um pouco mais de duas semanas de receita da Alphabet, de acordo com levantamento da Reuters.

Vale lembrar que a multa desta semana não é a primeira imposta pela UE ao Google. No ano passado, a empresa recebeu uma punição de pouco mais de 2,4 bilhões de euros. Na ocasião, a companhia era acusada de favorecer o seu comparador de preços, o Google Shopping. 

Google reage

A gigante de tecnologia de Mountain View anunciou que irá recorrer na justiça contra a multa imposta pelo órgão europeu. Em post publicado no blog da empresa, Sundar Pichai, presidente-executivo do Google, afirmou que a decisão abala o "equilíbrio cuidadoso que atingimos com o Android", ao mesmo tempo que lhe preocupa que o posicionamento da UE favoreça sistemas proprietários sobre plataformas abertas. 

"O Android criou mais escolhas para todos, não menos. Um ecossistema vibrante, inovação rápida e preços menores são sinais clássicos de competição robusta", disse no comunicado.

 

Deixe uma resposta