Home  >  Plataformas

5 plugins do Google Chrome para Digital Analytics

Guilherme Borini

13/07/2018 às 17h01

digital_analytics
Foto:

Digital Analytics refere-se às medidas qualitativas e quantitativas dos dados de sites, para melhorar a experiência do cliente. Para um analista de BI é muito importante ter plugins que ajudem no dia a dia do trabalho, seja para uma validação de tags ou para saber quais ferramentas estão inseridas em um site. É o que aponta Ariane Maia, co-fundadora e diretora executiva da A² BI, empresa especializada em gestão de dados.

Para ajudar quem trabalha com análise de dados, Ariane separou cinco plugins de Digital Analytics para Google Chrome. Confira:

GOOGLE TAG ASSISTANT

Extensão para o navegador que auxilia na validação das suas ferramentas. O Google Tag Assistant só valida a implementação dos produtos do próprio Google, mas já é um grande passo na validação desse alicerce de mensuração e atingimento de objetivos.

GOOGLE ANALYTICS DEBUGGER

Extensão utilizada para validar a implementação do Google Analytics, trazendo no console dos navegadores a descrição dos disparos registrados. Com o Debugger é possível saber se os disparos implementados estão acontecendo no local e da maneira correta. Por exemplo, se as variáveis de evento estão disparando corretamente no clique de um botão.

GHOSTERY

Extensão que auxilia na identificação das tags presentes em um site. Por exemplo, ao entrar no site a2bi.com.br, o Ghostery irá apontar 9 rastreadores encontrados, ou seja, 9 ferramentas implementadas. Se o responsável sabe que deveriam ter 10 já é um alerta para fazer a validação da ferramenta que está faltando.

ADOBE MARKETING DEBUGGER

Assim como o Google Analytics, o Adobe Analytics Debugger traz no console do navegador as chamadas provenientes do Adobe Analytics. A cada chamada de pageview ou evento ele trará todas as variáveis envolvidas, como evars e props. Na hora da validação da implementação é bom contar com um plug-in como este.

lg-g6-hands-on.jpg

SELECTOR CADGET

Ajuda na hora de fazer a implementação de uma tag de clique ou que esteja amarrada em algum elemento do código, pois com ele é possível clicar no elemento que se quer utilizar e ver seu atributo e quantas vezes ele se repete no código. Por exemplo, um botão com classe btn pode aparecer diversas vezes no código. Se utilizarmos esse atributo provavelmente iremos disparar a tag em lugares incorretos.

>Siga a Computerworld Brasil também no Twitter Facebook

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *