Home  >  Plataformas

Grupo Marista unifica sistemas de gestão e troca três ERPs por apenas um

Guilherme Borini

03/07/2018 às 13h27

erp
Foto:

O Grupo Marista, que atua nas áreas de Educação e Saúde, unificou suas ferramentas de gestão, trocando os três ERPs utilizados por apenas uma solução, da fornecedora de software Benner.

Com a integração dos processos em um só fornecedor, o grupo estabeleceu uma base única de dados, com informações consolidadas e confiáveis. “Já percebemos aumento da eficiência operacional, os treinamentos se tornaram mais fáceis e rápidos de serem aplicados, eliminamos a sobreposição de custos e qualificamos a gestão da informação”, conta Maurício Zanforlin, CFO do Grupo Marista.

Outros ganhos apontados pela empresa são a redução de tempo para extrair informações gerenciais em período de fechamento, agilidade e eficiência na conciliação de informações contábeis e financeiras, higienização e saneamento de dados, conferência diária de saldos, padronização do plano de contas do financeiro, do plano de conta contábil e operações para todas as empresas do grupo.

Ainda, Zanforlin destaca que, agora, a empresa tem acesso a relatórios inteligentes, eliminou o pagamento em duplicidade na solicitação de customizações, alcançou mais agilidade na atualização de versão e release e também mais performance do sistema, com uma economia de 15% do valor orçado.

O que mudou

O Grupo Marista atuava até meados de 2016 em um cenário de tecnologia que detinha três ERPs reunindo as informações administrativas/financeiras vindas de todas as áreas de negócio do grupo. Um dos grandes desafios era unificar todos os fluxos de compras de todos os negócios. A partir desta necessidade foi elaborado um projeto para que o grupo ficasse com apenas dois ERPs, já se preparando para uma futura unificação de sistemas, que ocorreu em 2018 com a implantação do ERP completo.

Antes da adoção das soluções Benner, o grupo mantinha vários sistemas em seu departamento financeiro, o que ocasionava perda de tempo. “Imagine que, no passado, um superintendente aprovava manualmente, via formulários em papel, compras de todas as áreas. Hoje, ele consegue otimizar seu trabalho realizando, com segurança, todo o fluxo diretamente do sistema. Com isso, tivemos uma melhoria significativa de processos e retorno de investimento”, completa Zanforlin.

>Siga a Computerworld Brasil também no Twitter Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *