Home  > 

Qual o papel do CIO para estratégias multicloud de sucesso?

Guilherme Borini

27/06/2018 às 11h25

cloud
Foto:

As empresas já estão compreendendo que fazer uso de uma estrutura na nuvem permite economizar recursos e armazenar volumes de arquivos com segurança. Uma outra tendência de mercado cada vez mais presente nas companhias é a opção pelo multicloud. E para optar por esse novo modelo de serviço na nuvem, o CIO é peça fundamental nesse processo de transição que permitirá melhorar a produtividade e evitar gastos excessivos.

O multicloud permite utilizar duas ou mais infraestruturas de computação na nuvem. Com isso, é possível combinar fornecedores diferentes de serviços na nuvem para ampliar a capacidade computacional, segurança e disponibilidade, até mesmo otimizar investimentos.

Segundo recente pesquisa do Gartner, cerca de 70% das empresas adotarão estratégias Multicloud até 2019. E, ainda, de acordo com a IDC, os gastos com infraestrutura de TI na nuvem representarão 46% do mercado total do setor.

Para conquistar os bons resultados que o multicloud pode oferecer é necessário adotar estratégias sólidas principalmente quanto à escolha de fornecedores para a entrega de serviços de qualidade, e principalmente a expertise de gerenciamento, que otimizem os investimentos realizados. Ao invés de ter times focados em cada uma das demandas de cloud, o CIO pode contar com advisors especializados.

A presença de especialistas para apoiarem o CIO nessa trajetória contribuirá na definição de qual a melhor nuvem a ser adotada, levando em consideração as necessidades da companhia. Essa equipe ficará responsável por apresentar soluções em ambientes de missão crítica, migrando, monitorando, dando suporte e garantia de segurança e proteção de dados. Enquanto isso, o CIO pode direcionar suas energias para questões relativas ao melhor rendimento do core business da organização.

Um ponto de cuidado que a equipe deve ter em mente é quanto à importância de verificar se a nuvem escolhida tem proximidade com o negócio e que tipo de aplicações a empresa precisa, pois há alguns arquivos e programas que possuem diferentes requisitos e podem não funcionar adequadamente em algum ambiente de nuvem. Por isso, a análise é fundamental para escolher quais nuvens respondem com tecnologias e características diferentes.

Uma estratégia multicloud ainda precisa prever os tipos de nuvens que podem ser utilizadas, seja nuvem pública, privada ou on premisse (servidor local). A escolha ainda deve considerar se o que a empresa busca será entregue, com destaque para o limite de armazenamento, flexibilidade de recursos e que tenha um modelo pensado exclusivamente para as necessidades da empresa, garantindo a melhor performance.

A palavra-chave é criatividade. Com processos mais flexíveis, as decisões do CIO passam a dar margem para soluções mais criativas, multidisciplinares e rápidas. Com essa liberdade, cabe ao CIO compreender a dinâmica do mercado, adequar às necessidades da sua companhia e buscar os melhores parceiros para investir na tendência a partir do melhor custo x benefício para demandas específicas.

*Diogo Santos é CTO da CorpFlex

Tags

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *