Home  >  Segurança

IBM diz que Banco TSB não fez testes rigorosos antes de migrar plataforma

Guilherme Borini

27/06/2018 às 12h58

Banco TSB
Foto:

De acordo com um relatório da IBM, o Banco TSB não realizou testes rigorosos antes de sua desastrosa migração da plataforma bancária central, em abril. A empresa foi contratada para ajudar a instituição financeira a resolver o problema.

Os clientes do banco tiveram suas contas bloqueadas, o dinheiro desapareceu e eles puderam até mesmo ver contas de outros correntistas, após a falha na migração. Depois do problema inicial, o TSB contratou a IBM para ajudar a lidar com seus problemas de TI.

Como resultado, a empresa de tecnologia produziu um documento para apresentar à diretoria do TSB com suas observações iniciais em abril. Agora, as informações foram publicadas pelos membros do Comitê do Tesouro. O relatório afirma que “a IBM não viu evidências de aplicação de um rigoroso conjunto de critérios de ativação para comprovar a eficácia da produção”.

No relatório, a IBM afirmou que realizou uma migração parecida para outro cliente de serviços financeiros. “Em uma situação semelhante, quando a IBM fez uma parceria com uma organização financeira para migrar para uma nova plataforma bancária central, várias migrações de teste foram conduzidas, revertidas e ajustadas antes do lançamento. A produção foi feita em um período mais longo, inicialmente aberta apenas aos membros do programa, depois à equipe, aos grupos de clientes-alvo e, enfim, para novos clientes e migração total.”

O relatório inicial também descobriu que “a maioria dos problemas observados está relacionada a aplicativos personalizados e de pacotes, serviços de middleware e rede, ao invés de infraestrutura subjacente.”

Resposta do TSB

O banco pediu que a seguinte declaração fosse anexada ao documento. “Este documento foi produzido pela IBM para apresentação ao Conselho do TSB em 29 de abril de 2018. Ele contém um plano de trabalho preliminar com hipóteses iniciais, produzido após apenas três dias de compromisso. Essas hipóteses não foram definitivas ou uma visão validada do que deu errado ou das ações que podem ou não ter sido tomadas posteriormente.”

Em uma entrevista à Computerworld UK, o banco afirmou ter conduzido testes suficientes antes da migração e que não teria realizado a migração se não estivesse preparada para fazê-lo.

O documento feito por Paul Pester, CEO do TSB, ao Comitê do Tesouro em 5 de junho último, diz: “após nossas investigações internas, parece que o projeto da plataforma em si era robusto, mas que a implantação na infraestrutura técnica levou a muitos dos problemas que estamos vivenciando. A coordenação e o teste foram liderados pela Sabis e seus fornecedores terceirizados. A TSB e a Sabis estão, agora, mudando o foco da investigação interna dos problemas após a migração”.

Uma investigação interna sobre a migração está em andamento no banco.

>Siga a Computerworld Brasil também no Twitter Facebook

Tags

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *