Home  >  Segurança

4 passos para não ter problemas de segurança com redes VPN

Guilherme Borini

27/06/2018 às 17h02

vpn_seguranca
Foto:

Usar uma VPN é uma das maneiras mais fáceis de aumentar sua segurança e anonimato online. Elas são projetadas para serem muito fáceis de usar, custam menos do que o preço de uma xícara de café por mês e garantem que seus movimentos online sejam mantidos seguros.

Há algumas coisas que você pode fazer para otimizar sua VPN, e nós vamos guiá-lo por essas opções para garantir que você esteja o mais seguro possível ao navegar na Web.

1 - Como impedir que seu DNS vaze

Servidores de nomes de domínio (DNS) são essencialmente os catálogos telefônicos da Internet. Eles são um diretório sempre atualizado de nomes de domínio que têm endereços IP (Internet Protocol) associados a eles, o que permite que você se lembre do nome de um site em vez da cadeia de números que compõe seu endereço IP.

Quando você está conectado a uma VPN, ele deve usar automaticamente um servidor DNS seguro fornecido pelo serviço. No entanto, isso nem sempre é o caso, pois o seu computador pode estar padronizado para um serviço DNS público padrão. Isso é conhecido como "vazamento de DNS". Você viu? Serviços populares de VPNs estão "vigiando" usuários 

Você pode testar se o seu DNS está vazando usando o site www.dnsleaktest.com. Se você tem sua VPN ativada, mas esse site estiver exibido sua localização física em vez da localização em que sua VPN está definida, seu DNS está vazando.

O site tem mais instruções sobre como consertar um vazamento de DNS, caso você precise.

2 - Como parar vazamentos de IPv6

Já que estamos tratando de vazamentos, precisamos conversar sobre o IPv6.

O IPv6 é uma versão do protocolo de internet que permite uma quantidade maior de endereços internet que o IPv4, que era o padrão anterior. Os provedores de Internet estão no processo de migração para o IPv6, mas atualmente ele opera fora da VPN, para que possa dar sua identidade.

Alguns clientes VPN terão a capacidade interna de desabilitar o IPv6, e você pode verificar se o seu IPv6 está sendo informado aqui.

Se o seu IPv6 está vazando, você pode desativá-lo manualmente para preservar seu anonimato no link

3 - Selecionar o protocolo correto

Existem alguns tipos diferentes de protocolos VPN, e você geralmente terá que fazer uma escolha. O protocolo é essencialmente o método pelo qual sua conexão é criptografada, então você vai querer a combinação do mais rápido e mais seguro para máxima segurança e velocidade.

Vale a pena usar o OpenVPN em quase todas as situações. É rápido e possui criptografia de 256 bits que, no momento, é completamente segura.

Você poderá alterar o protocolo que sua VPN está usando nas opções do cliente.

4 - Ativar um kill switch

Um dos principais problemas com uma conexão VPN é que, se falhar por qualquer motivo, o servidor ficará inoperante ou a conexão será interrompida, e o computador voltará automaticamente ao método normal e desprotegido de entrar em contato com a Internet, o que pode torná-lo vulnerável.

Um kill switch garante que, quando sua conexão cair, sua conexão com a Internet seja instantaneamente desligada, para que você não se conecte automaticamente por outro meio. Isso garante que seus dados permaneçam privados.

Muitos clientes VPN terão seu próprio kill switch integrado em seu software, mas não todos. Nesse caso, você pode adicionar manualmente um kill switch de software usando um programa chamado VPNetMon. Instruções sobre como configurá-lo podem ser encontradas em seu site.

É muito fácil de configurar para que você não precise se preocupar com nada muito técnico.

Fazer essas alterações garantirá que sua experiência com o uso da VPN seja tão segura quanto possível, levando sua segurança ainda mais longe, para que você tenha tranquilidade total.

>Siga a Computerworld Brasil também no Twitter Facebook

Tags

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *