Home  > 

Como encontrar – e manter – um bom desenvolvedor

Déborah Oliveira

26/06/2018 às 9h19

desenvolvedor
Foto:

De acordo com pesquisa recente, o profissional que trabalha com desenvolvimento de software é o mais bem pago do mercado de tecnologia. O estudo realizado pela plataforma de recrutamento Revelo analisou informações de 9 mil ofertas de empregos e 100 mil candidatos. De acordo com os resultados da análise, um desenvolvedor ganha em média R$ 6.452 no Brasil.

Esse profissional é relativamente novo no mercado. Não que antes não existissem desenvolvedores, mas com o crescimento acelerado das empresas de tecnologia, aumentou a demanda por pessoas que atuem nesse setor. O crescimento da procura foi repentino e a formação de profissionais especializados para preenchê-las não acompanhou o mesmo ritmo, portanto, hoje os desenvolvedores são tão valorizados porque sobram vagas nas empresas para esses cargos.

Mas como as instituições podem reter um bom desenvolvedor com o mercado tão aquecido? Bom, não é regra, mas grande parte da mão de obra que atua nessa área hoje é jovem e valoriza diferentes benefícios. Por mais que bonificações ajudem, o profissional precisa se sentir motivado com o trabalho.

Os funcionários querem enxergar um propósito no que fazem, portanto, sentir-se parte da empresa ajuda na retenção. Aquela pesquisa que falamos anteriormente também mostrou que 61% dos candidatos não aceitaram as vagas com maior salário e sim as que proporcionam mais liberdade e oportunidade de crescimento.

Alguns diferenciais para cativar esse profissional tão procurado pelo mercado são um plano de carreira que dê autonomia para o funcionário escolher o caminho que quer traçar e ofereça oportunidade de crescimento; um ambiente descontraído onde a colaboração seja mais importante do que a competição; bons salários e benefícios, é claro; ambientes de descompressão — estudos apontam que o desenvolvedor precisa descansar a cabeça de tempos em tempos para manter a produtividade; e uma equipe que estimule a conquista de novos desafios.

O Brasil se destaca na formação de desenvolvedores. O maior berço da tecnologia mundial, o Vale do Silício, busca profissionais brasileiros para desenvolver suas soluções, uma vez que lá a mão de obra não é tão abundante quanto aqui e a qualidade profissional também não apresenta o mesmo nível. Além disso, o perfil colaborativo dos brasileiros – que sempre busca ajudar o outro – é um grande diferencial para esse mercado. O Brasil é um dos grandes países que mais contribuem para bibliotecas open-source no mundo, sendo que diversas bibliotecas, e até linguagens (como o Elixir) são criadas em solo brasileiro.

carro_automovel.jpg

A receita para reter um desenvolvedor, por fim, não é complicada. Os ingredientes são comuns para o perfil desse profissional que, muitas vezes, escolheu trabalhar com tecnologia porque sempre foi o seu passa tempo e agora percebeu que pode ser também o seu ganha pão.

*Victor Oliveira é CEO da Cheesecake Labs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *