Home  >  Negócios

Riverbed fortalece aceleração de redes para manter retomada no Brasil

Guilherme Borini

25/06/2018 às 13h38

Rosano Riverbed
Foto:

O período de recessão econômica vivido pelo Brasil nos últimos anos freou investimentos e afetou empresas dos mais diversos segmentos. Uma delas foi a Riverbed, fornecedora de soluções para otimização de redes, que, segundo Rosano Moraes (foto), VP da empresa na América Latina, ficou flat nos últimos fechamentos.

O momento é de retomada. Após já registrar crescimento em 2017, a companhia, que tem faturamento global de US$ 1,1 bilhão, prevê novo avanço neste ano - acompanhado da retomada do PIB - para voltar a ter a mesma relevância a nível global. Nesse meio tempo, as operações da empresa no México superaram o Brasil e a meta é inverter o cenário.

"Nossa meta é ter o Brasil com 60% do faturamento da América Latina ainda neste ano", afirmou o executivo, que prevê outros 25% para México e o restante para os outros países da região como divisão ideal.

O grande motivador para esse avanço é o crescente movimento para nuvem e a "nova onda" de experiência de usuário. "São duas linhas importantes para nós."

Aceleração

A Pesquisa Global de Desempenho Digital 2018, conduzida pela Riverbed que inclui respostas de 1 mil executivos de empresas com receitas superior a US$ 500 milhões em nove países, revela que quase todos (99%) tomadores de decisões nas empresas concordam que otimizar o desempenho digital é essencial para o desempenho dos negócios, enquanto 98% concordam que o digital, incluindo a entrega de serviços digitais e aplicações, é fundamental para o futuro dos negócios.

No entanto, 95% desses mesmos tomadores de decisão afirmam que as principais barreiras – incluindo reduções orçamentárias, redes legadas e falta de visibilidade – estão impedindo o avanço das estratégias digitais e atrapalhando o desempenho e a experiência do cliente exigidos no mundo digital atual.

Os resultados do estudo vão ao encontro do que a Riverbed oferece ao mercado. Cerca de 60% do faturamento da companhia no Brasil vem de produtos de aceleração de redes, enquanto outros 35% são de soluções de visibilidade, monitoração e experiência do usuário.

"Uma das ofertas da Riverbed nesse novo mundo envolve desenvolvimento, qualidade do código, data center e estrutura de cloud. É entender o que está ocasionando o tempo de resposta ou a não realização de tarefe de um app. A Riverbed olha de forma holística o que está acontecendo, entendendo camadas de negócios e tecnologias", explicou.

Moraes cita a chegada de novos recursos, como realidade virtual e aumentada, bem como dispositivos de internet das coisas (IoT). "É importante ter um parceiro tecnológico que ajuda a entender o sucesso das iniciativas digitais. Quantas transações novas estou fazendo? Como o negócio está desempenhando? É preciso entender a experiência do usuário."

Latência

O aumento da confiança com cloud aumentou as possibilidades de aplicações a partir deste modelo. É onde a Riverbed tem surfado a onda. "Quando as empresas colocam aplicações em cloud, está seguro, tem uma série de ferramentas, mas o data center de uma Azure, AWS etc pode estar aqui ou muito longe. O tempo para tudo acontecer pode demorar dois ou três minutos", lembrou.

O ponto, segundo Moraes, é que os provedores de cloud pública oferecem serviço com excelência, mas até a porta do data center. "Entre o data center e a empresa tem um meio, que são as telecomunicações. A Riverbed resolve essa estrutura de telecomunicações e faz com que as aplicações em nuvem fiquem perto de novo."

O grande foco é que as aplicações web em cloud tenham o mesmo desempenho como se tivessem em um data center local. "É nisso que somos parceiros gold da Microsoft e Premium da AWS."

"Muitas vezes a empresa não sabe se está na nuvem ou no prédio aqui do lado. Ou até mesmo o controle de dispositivos. Algumas companhias perderam o controle completamente. Elas não conseguem gerenciar o que é acessado pelos usuários. Garantir eficiência na comunicação é fundamental", afirmou Eduardo Lopes, country manager da empresa no Brasil.

O executivo lembra um caso prático de uma companhia que migrou as contas de e-mail da empresa para o Office 365 na nuvem. O tempo de resposta saiu de seis segundos e foi para 15. Foi onde a Riverbed entrou com as soluções para acelerar a resposta da rede.

"A Riverbed se encaixa nesse mundo em que a comunicação importa. Seja para IoT ou transformação digital, você precisa ter uma comunicação própria ágil e eficiente", completou Lopes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *