Home  > 

Quarta revolução industrial e o Process Mining

Mineração de processos promete revolucionar disciplinas como ITSM 2.0, CRM e a Indústria 4.0. Neste último, materializamos o conceito de revolução industrial

Kleber Stroeh*

11/06/2018 às 9h43

data mining
Foto:

Temos muita sorte em testemunhar (e fazer parte?) da Quarta Revolução Industrial. Tempos emocionantes estes em que vivemos, não é mesmo? Ao invés de motores a vapor, eletricidade ou semicondutores, a revolução de nossa geração é impulsionada por dados. Muitos dados!

Novos negócios e novos modelos de negócios foram criados em torno da coleta, organização, co-criação e promoção de dados. Nomes como Google e Facebook soam familiares?

Um tipo de dado específico é quase onipresente no mundo de hoje: são os eventos. Você quer exemplos? Mensagens em redes sociais, navegação em sites, alarmes gerados por sensores, entradas nos arquivos de log de sistemas. A lista é longa. Pesquisadores renomados, como Wil van der Aalst, vão ainda mais longe, a ponto de cunhar o termo "Internet dos Eventos".

Process Mining, ou a mineração de processos, é fazer uso e dar sentido a tais eventos dentro do contexto de processos. Em suma, é a convergência de mineração de dados e gerenciamento de processos. Simplificando, é a aplicação de técnicas de análise dos eventos para aprender e explorar os processos associados a esses eventos.

Sobre suas aplicações? Ah! Aqui a lista é longa, também!

Process Mining pode ser usado desde a descoberta de processos (ou engenharia reversa baseada em eventos), otimização (identificação de desvios, gargalos, retrabalho) e verificação de conformidade de processos, até o gerenciamento de jornadas de clientes e muito mais.

Já existem ferramentas no mercado que auxiliam na execução das técnicas de mineração de processos. E o Brasil figura na lista dos principais fornecedores desta tecnologia, como o próprio Gartner mostrou em seu recente “The Market Guide for Process Mining”.

São surpreendentes as análises que estas ferramentas podem realizar utilizando apenas três informações de um evento: registro de data e hora (timestamp), ID do caso (número do ticket, da ordem de serviço, do cliente) e ID da atividade (ação, estado, grupo de resolução).

A mineração de processos promete revolucionar disciplinas como ITSM 2.0, CRM e a Indústria 4.0. Neste último, materializamos o conceito de revolução industrial. Explico: uma disciplina baseada em dados, Process Mining, que faz parte da Quarta Revolução Industrial, consegue revolucionar a própria Indústria. Que ironia!

*Kleber Stroeh é sócio e CTO da Icaro Tech

Tags