Home  > 

Plugins: será que eles realmente ajudam seu site?

Guilherme Borini

30/05/2018 às 8h25

black_friday
Foto:

Não é preciso dizer que melhorar o desempenho dos negócios é uma atividade mandatória para os executivos de qualquer marca. E quando nos referimos à performance, falamos de métricas como satisfação dos clientes, retenção, memória de marca, vendas, etc. No caminho do sucesso, sabemos que não há uma fórmula ou solução mágica: é preciso inovar, mas inovar certo! No caso dos e-commerces, uma das inovações pode ser o plugin.

O plugin é uma ferramenta que permite ao e-commerce, ou a qualquer outro site, ter uma infinidade de características e funcionalidades ‘extras’ que não existiam no seu desenvolvimento original. Quem aposta nas lojas online deve ficar atento a cada detalhe, principalmente às promessas de resultados milagrosos relacionados a tais ferramentas. Há muito dinheiro envolvido e que não podemos colocar em risco: por exemplo, em 2017, só a Black Friday gerou um faturamento de R$2,1 bilhões aos e-commerces, segundo estudo da Ebit.

Existem, por exemplo, plugins antifraude, de integração com meios de pagamento, de retargeting para captação de usuários que acessaram seu site e não compraram, dentre outras alternativas. E apesar de oferecerem inúmeras opções para melhorar o desempenho de um e-commerce, os plugins, quando mal implementados, podem prejudicar o funcionamento de uma página, causando lentidão no carregamento, por exemplo.

Assim, não basta apenas instalá-lo e acreditar que ele está funcionando, e que com isso, vai, magicamente, melhorar o comportamento do site. É fundamental que as aplicações trabalhem corretamente, e com aproveitamento máximo. Sem isso, provavelmente seu e-commerce passará por uma queda significativa no desempenho, impactando negativamente a experiência do cliente e trazendo uma redução nos resultados.

De nada adianta passar dias tentando diminuir o tempo de carregamento do site compactando imagens e preparando servidores, por exemplo, se você não avaliar os impactos que um plugin mal configurado pode causar quando houver um pico de acesso. Uma das respostas mais comuns de uma aplicação em mau funcionamento é justamente a lentidão e os problemas no carregamento. Além disso, quanto mais plugins instalados, maior deverá ser esse tempo, já que o site só estará definitivamente pronto para uso depois que todos os plugins carregarem.

Lembre-se de que tempo é dinheiro, portanto, tenha em mente que o número de conversões diminui proporcionalmente ao tempo de carregamento da sua página. Uma análise do Google mostra que ‘53% dos usuários abandonam sites que demoram mais de 3 segundos para carregar’.

Maior lentidão = Menos receita

Quanto tempo você espera pacientemente o carregamento de uma página em um e-commerce? Qual é a probabilidade de você continuar em uma página onde tudo está aparentemente ok, mas que segue em looping de carregamento mesmo após 15 segundos? Provavelmente você fecharia o site e desistiria da compra, ou até compraria o produto no concorrente. Esse gap entre o seu negócio e o consumidor, causado por um plugin que não está funcionando normalmente, pode comprometer significativamente a experiência do usuário e colocar tudo a perder.

Imagine na Black Friday: quantos consumidores da sua loja online não seriam impactados por uma situação de lentidão? A pesquisa “Thank God It’s Black Friday 2017”, realizada pelo Google, apontou que essa data gera uma movimentação média 15 vezes maior que um dia normal para o e-commerce brasileiro. Esse período também é importante para os pequenos negócios, pois dados desse mesmo estudo apontaram o crescimento de 140% nos acessos a sites menores versus 78% em sites maiores na quinta-feira, antes da Black Friday; na sexta-feira, os números são de 161% nos pequenos portais versus 134% nos maiores.

Sabendo da importância do tema, também produzimos um estudo no qual analisamos 43 e-commerces brasileiros durante a Black Friday com o objetivo de mensurar o desempenho de cada um, verificando se haveria algum problema de carregamento por conta do alto volume de acessos. A análise mostrou que 36 lojas tiveram instabilidade durante o período. Em 50% delas a lentidão foi causada justamente por problemas técnicos de plugins instalados nos sites.

Por exemplo, descobrimos que o plugin de um programa de afiliados gerou lentidão no carregamento de todos os sites em que estava instalado por conta do mau funcionamento, e justamente no horário de maior busca por ofertas. Isso gerou uma queda nas vendas, uma vez que pouquíssimas pessoas esperariam 45 segundos ou mais para carregar um site durante a Black Friday.

Lentidão não é a única consequência de plugins com mau funcionamento: deixar o site fora do ar por alguns instantes é um dos problemas, assim como ter uma página que aparentemente está pronta para uso, mas que ainda indica carregamento na aba do navegador (aquele famoso ícone de “loading”), gerando confusão ao usuário. Todas essas ocorrências ganham mais importância no período da Black Friday, mas vale lembrar que elas podem acontecer diariamente.

Solução

Em primeiro lugar, pergunte-se: quais plugins realmente fazem diferença positivamente no meu e-commerce? Claramente, as expectativas de aumentar os negócios de maneira mágica existem, porém, é necessário ter em mente o real objetivo do negócio antes de ceder à qualquer solução que apareça no mercado. A partir daí, analise qual aplicação pode de fato te ajudar.

É possível impedir que uma grande variedade de plugins deixe seu site lento, além de prevenir que uma imensa quantidade de informações geradas por eles tire o foco da sua equipe. Ainda assim, não deixe de monitorar tais aplicações periodicamente para constatar se estão funcionando como esperado. Sem saber o que está errado e qual é o causador da ‘falha’, é grande a chance de que os seus resultados fiquem aquém do esperado.

*Bruno Abreu é CEO e sócio-fundador da Sofist

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *