Home  >  Plataformas

IBM disponibiliza serviço gerenciado de Kubernetes no Brasil

Guilherme Borini

21/05/2018 às 8h30

containers
Foto:

O serviço de containers da IBM, que faz uso dos padrões abertos docker e Kubernetes, agora está disponível no data center da companhia no Brasil. Antes IBM Cloud Container, o serviço passa globalmente a se chamar IBM Cloud Kubernetes Service (IKS), com aposta no conceito que tem ganhado adeptos em todo o mundo.

O serviço em containers é uma solução para que aplicações sejam executadas de maneira confiável quando movidas entre ambientes diferentes – no mundo de DevOps – teste e produção, por exemplo, melhorando o gerenciamento e configuração das cargas de trabalho.

A oferta foi lançada há um ano, mas rodava em apenas cinco data centers da empresa: Dallas e Washington, nos EUA, além de Londres (Inglaterra), Sidney (Austrália) e Frankfurt (Alemanha) - todos eles atendendo diversas regiões de todo o mundo, inclusive o Brasil. Agora, a empresa está ampliando para 20 data centers, sendo o Brasil um dos primeiros a receber a infraestrutura.

Sergio Loza, Líder de Vendas de IBM Cloud da IBM América Latina, explica que um dos principais motivos para a empresa localizar o serviço foi o pedido dos próprios clientes que já estavam utilizando lá fora. "Eles já usavam a infraestrutura e queriam ter mais perto para poder subir outros tipos de aplicações, como acesso a sistemas legados. A latência menor entre os pontos ajuda bastante", destacou o executivo, em entrevista à Computerworld Brasil, garantindo que a proximidade das aplicações da operação do cliente gera um menor período de latência.

Ainda, Loza destaca a vantagem de Kubernetes para trazer facilidade para desenvolver aplicações nativas para cloud, em um modelo de automação de DevOps de maneira a acelerar a capacidade de desenvolver, testar vulnerabilidades e aplicações etc.

Por estar localizado no Brasil, a oferta traz ainda para as empresas a vantagem de usar um serviço dentro de regulamentações que restringem cargas de trabalho hospedadas fora do país.

Arquiteturas híbridas

Para modelos de cloud híbrida, containers são uma maneira moderna e ágil para a orquestração na nuvem, trazendo mais velocidade nos processos e ganho de escala. O uso de padrões abertos como Kubernetes e docker nesse serviço permite melhor administração e monitoramento dos containers, dando às empresas a possibilidade de uma entrega contínua de novas aplicações.

Outro ponto destacado pelo executivo é justamente o suporte a arquiteturas híbridas. Usando containers, clientes agora podem, inclusive, utilizar topologias mais sofisticadas, com containers em seus data centers trabalhando com containers na nuvem de forma orquestrada, implementando o conceito de nuvem híbrida de maneira prática.

"Quando falamos de cloud, não podemos deixar de olhar para aplicações que estão na nuvem, mas precisam acessar sistemas em data centers privados. Temos feito muitas coisas para que clientes possam usar a nuvem, mas também para quem precisa de uma parte no outro modelo tradicional."

Diante da estratégia de suporte híbrido, Loza comenta que a vinda de Kubernetes para o data center em São Paulo garante que clientes possam usar a tecnologia em qualquer modelo, integrando e usando containers kunerbentes e gerenciados de maneiras central, o que, segundo ele, é uma evolução interessante. "É possível jogar a aplicação de um lado para outro, de maneira dinâmica", definiu.

Até então, o executivo lembra que só era possível fazer essa integração com uma tecnologia de virtualização e uso de máquinas virtuais. "Containers são estruturas bem menores do que máquinas virtuais e trazem ganho de agilidade, ligando dentro de um fluxo de DevOps. É muito mais dinâmico do que subir máquinas virtuais pesadas e consegue reduzir o tempo para produzir inovação. O resultado tem de ser acelerar o negócio, o que significa acelerar a produção da inovação digital, que são as aplicações."

Serviço gerenciado

Com o serviço de Kubernetes rodando na cloud IBM, a empresa garante serviço gerenciado, o que significa que o cliente não precisa se preocupar com instalações ou entender como monta um sistema gerenciado de cluster. "Ele já tem o ambiente pronto", garante.

Mas, por ser uma tecnologia open source, existe a possibilidade de baixar e instalar em um servidor externo, assim como em outra cloud. "Mas, nesse caso, não terá a vantagem de ter um serviço gerenciado, algo que a maioria dos clientes quer. Eles não querem ser especialistas em infraestrutura, mas sim aplicar novas soluções com velocidade."

Experiência dentro de casa

A aposta da IBM em containers é resultado de experiência própria. Antes de disponibilizar a tecnologia para clientes, a própria empresa iniciou um trabalho de evolução da estrutura interna de cloud para ser totalmente baseada em Kubernetes.

"O software que opera nossa cloud é feito em Kubernetes, a partir de um update que a empresa vem fazendo desde 2016 na nossa retaguarda. Atualmente, praticamente todos serviços do Watson são todos feitos em cima de Kubernetes, por conta desse aspecto dinâmico que a tecnologia nos dá", completou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *